A segunda vez do Cascas

quinta às oito da noite. távamos à pressa para ir para o ginásio, já atrasados, quando dou à chave, o sacana do carro não pega... oi??

nada de anormal aceso no dashboard, rádio a funcionar, e ainda há três dias andou a passear-se e não deu sinais de que alguma coisa estaria mal.. tento mais uma vez, nada. tento outra, nada. daqui não saio, daqui ninguém me tira.. onde é que eu já vi esta história antes?

podia ser a bateria outra vez (apesar do indicador estar verde).. ou podia estar sem gasóleo, e o computador de bordo estar a calcular mal o combustível que restava no depósito (seria inédito, mas pronto).. ou podia ser algo muito mais grave, que eu nem queria pensar.. mas o que mais me estava mesmo a chatear, era a perspectiva de ficar sem carro durante o fim-de-semana..

vá lá que desta vez escolheu um sitio *bem* melhor para amuar, no conforto da sua casinha, e a 3km da oficina onde costuma a ir. e as coisas correram muito melhor. aliás, tão bem que até estávamos a estranhar,

na manhã seguinte, depois da fisioterapia, o homem telefona para a assistência da nissan, explicou por alto o que estava a passar com o carro, e do outro lado perguntaram-lhe se queria tentar desempanagem no local, antes de mandar o reboque. siga!!

tinha acabado de sair do banho, quando vejo uma mensagem do homem, a avisar-me para estar atenta que o técnico devia aparecer dali a 30-40 minutos. visto-me nas calmas.

dez minutos depois, telefona-me a dizer que o técnico já estava a chegar. nem tive tempo de secar o cabelo, peguei no casaco, nas chaves, e no telemóvel, e voei para as traseiras do prédio, onde já la estava a pick-up de desempangem à minha espera. that was fast!!

chegados à beira do paciente, o técnico dá uma espreitada, abre o capot, e pede-me para ligar o carro. o carro borra-se todo, "é bateria" diz ele. vai à pick-up, saca de um arrancador, liga-o à bateria moribunda, e pede-me para tentar outra vez. e o cascas subitamente volta à vida. yay!!

"ainda nem tem 5 anos..." desabafo. "pois, estes carros costumam precisar de bateria nova a cada 4 anos" informa-me ele. FFFUUUUUUUU que mamão do crl, cabrão do carro!!

"agora é melhor não deixá-lo ir a baixo" avisa-me. "não seja por isso, vou já com ele prá oficina", cabelo molhado e tudo. o rapaz tira umas notas, dá mais uma vista de olhos em redor do carro, e estamos despachados. aperta-me a mão, e segue atrás de mim para fora da garagem.

telefono para o homem a dizer que me ia por a caminho da oficina, para se meter a jeito. e lá fui eu, com o maior dos cuidados para não deixar o carro ir abaixo. a meio do caminho apanhei o homem, e em poucos minutos estávamos a chegar ao entreposto.

apesar de ser hora de almoço, o bixo foi recebido e preparado para ser visto. com sorte ainda ficava pronto até ao final do dia, e não tinha que estar com trabalhos de tentar arranjar um carro de cortesia, para me safar no fim de semana.

a meio da tarde, telefonema da oficina a confirmar que era a bateria. informam os custos, e perguntam se podem avançar. pois claro que podem, se não, não tinha levado o carro praí, né?

uma hora depois telefonam novamente, a dizer que o carro estava a precisar de velas novas, se podiam trocar, e em quanto ficava a brincadeira. oh migos, já que estão com a mão na massa, façam favor. 

ainda fico à espera do telefonema onde perguntam se já agora, também podem trocar o motor, porque já está a ficar velhote e os actuais são mais eficientes. felizmente esse telefonema não chegou :D 

o terceiro e último telefonema foi para indicar que o carro já estava pronto, e que podia ser levantado 24h por dia. YAY i can has my car now!!!

fomos buscá-lo por volta das dez da noite. pagamos o serviço na portaria de segurança, e descemos até à oficina. e lá estava ele, todo lavadinho, e cheirosinho, a pegar impecavelmente à primeira... e com as estações de rádio desprogramadas, e o relógio certo.. humpf!

e pronto, posso pagar mais por levá-lo à marca, mas a verdade é que tratam tão bem ele, e fazem um acompanhamento tão bom naquela oficina, que não consigo sequer considerar levá-lo a outro sitio.

22 de Janeiro de 2018, às 01:00link do post comentar ver comentários (2)(1)

ZOMG!!!

15 anos


15 anos passaram desde aquela aborrecida semana de janeiro, em que achei que isto dos blogs era giro, e queria ter um também, ainda que não tivesse grande utilidade. nestes 15 anos muita coisa mudou na minha vida, e estou-me eternamente grata por ter criado aquela página de internet aparentemente inútil. se estou! de outra forma não teria este precioso registo de memórias, que o tempo haveria de apagar. entre outras constatações,

ter um blog há tanto tempo é não reconhecer aquela pessoa que escrevia aquelas coisas ao inicio - e ainda dizem que as pessoas não mudam.. nã, q'jeite. adoro quando vou vasculhar os arquivos, e esbarro em montes de cenas que já não me identifico nem um bocadinho. às vezes fico chocada, tipo "wtf.. quem é esta pessoa?? eu escrevi mesmo isto??" 😳

ter um blog há tanto tempo, das duas uma, ou é sinal de teimosia, ou de resiliência. em retrospectiva, já resistiu a pelo menos duas extinções anunciadas da blogosfera, e a várias modas. e ainda assim tem-se aguentado fiel àquilo que sempre foi, um reflexo de quem o escreve. nunca lhe quis dar uma direcção, nem torná-lo numa obrigação, porque sei que a partir desse momento, iria perder piada toda. o segredo da longevidade tem sido esse mesmo, não levá-lo muito a sério. escrevo as merdas que me apetece, quando me apetece, e como me apetece.

se bem que nestes últimos anos, admito que me contenho mais do que gostaria. os tempos são outros, existe muito mais exposição, e cada vez menos tolerância. as pessoas são mais rápidas a fazer juízos de valor, do que a tentar perceber ou contextualizar aquilo que estão a ler. e longe de mim ofender alguém com aquilo que escrevo por diversão.

mas quando me ponho a ler os primeiros anos,  bate-me umas brutas saudades daqueles tempos, quando escrevíamos o que nos apetecia (por mais estúpido que fosse), sem nos preocupar com o que pensavam de nós. a internet era um lugar muito diferente, muito mais descontraído.

anyway, o saldo é muito positivo. em 15 anos escrevi 2253 posts. o número pode não impressionar muito, mas noves fora nada, são cerca de 150 por ano. não é nada mau! e como a maioria deles são lençóis gigantes, tenho uma "certa" curiosidade em saber quantas palavras já debitei por aqui, deve ser um número giro. e ainda era mais giro se contasse com as páginas intermináveis de rascunhos que fui coleccionando ao longo dos anos, que nunca irão ver a luz do dia.

visitas já lhes perdi a conta há muito tempo. não ligo muito, diga-se de passagem, o que interessa são todos os que entraram na minha vida por esta porta.

e por isso mesmo, malta que continua a passar por aqui ano após ano, activos ou lurkers, quem está de parabéns são vocês, por irem me irem aturando os humores, /me bows 😍🙌

venham outros 15!!!

Há semanas que passam a voar

...e há semanas que são tão longas, que mais parecem duas encavadas numa só!

é um fenómeno que me acontece sempre em alturas de noitada, quando me deito às seis ou sete da manhã, e acordo ao meio dia - que foi a minha vida desde terça. é nestas alturas que detesto realmente esta minha condição de ser mais produtiva à noite :P

se for verdade aquilo de janeiro ditar o que se vai passar no ano inteiro, tou tramada.. trabalho e stress a dar cum pau. não sei gosto disso..

12 de Janeiro de 2018, às 23:00link do post comentar ver comentários (5)(1)

Se provas faltassem.. IV

eis o episódio que arrebanhou o troféu de mais caricato de 2017!

aproveitamos a black friday parar comprar dois tapetes de yoga todos cromos. tapetes esses, que viemos a descobrir que tinham que ser "partidos" para melhorar a aderência. "partir" um tapete de yoga significa dar-lhe uma "esfoliação" com sal grosso, para retirar uma película que traz do processo de fabrico (dizem eles). não tou a inventar, vem mesmo nas instruções do tapete.

então numa belíssima tarde de sol resplandecente, munidos de um pacote de 1kg de sal marinho, dois panos grossos de limpeza, e um recipiente com água, arregaçamos as mangas, inspiramos fundo, e metemos as mãos na massa. ou melhor, no sal!

eles lá no site têm razão, aquilo parecia um ritual (fdx, as desculpas esfarrapadas que as marcas arranjam para contornar os problemas dos produtos lol),

"wax on, right hand. wax off, left hand. wax on, wax off. breathe in through nose, out the mouth. wax on, wax off. don't forget to breathe, very important".

tinha tudo para correr às mil maravilhas.. se não fosse o homem ter-se entusiasmado e usar metade do pacote de sal no tapete dele! para o serviço ficar bem feito à primeira.. isso! (a versão oficial é que era para ficar fixe no instagram)

...e ZOMG! não vos passa pela cabeça a porcaria inacreditável que o sal faz!!

o sal mete-se em todo o lado. às tantas já estava tudo cheio de sal e salitre, chão, vidros, roupa, pele.. (vá lá que não nos deu para fazer isto em casa lol acho que hoje ainda andava a aspirar pedras de sal)

estivemos umas duas horas naquilo, primeiro a esfregar os tapetes, depois a limpar o sal. mas hey! não deixou de ser uma tarde memorável, no terraço privado de um hotel que eu cá sei :D

salt on, salt off

e sim funcionou, os tapetes ficaram com melhor tracção \m/

e a pele das mãos super macia!

Para 2018 tenho apenas uma resolução

(ainda vou a tempo, não vou? :D e aposto aqui e agora que não vou cumpri-la...)

meter cortinas na casa! 

é que isto uma pessoa vai ficando cada vez menos tolerante ao frio, e ter um janelão enorme é muito giro, mas no inverno ajuda a arrefecer a casa ainda mais, e ter a casa fria é um desconforto.. e depois a edp e a galp batem muitas palminhas à nossa conta.

e já agora, também para termos um bocadinho mais de privacidade, que isto dos vizinhos da frente verem *tudo* o que o que se passa cá em casa não muito é fixe. parece uma tela de cinema ao ar livre.. ou o canal de cabo do big brother.


ah e tal, mas isso não tem nada que saber. pegas em ti, vais ali ao ikea, compras umas calhas e umas cortinas já feitas, e tá a andar. só que nãaaaaao.. é preciso mandar fazer uma sanca, porque o homem assim o deseja (e eu concordo com ele, vá), porque fica mais elegante... ainda que meta obras e pinturas e o cacete. e as cortinas não têm medidas standard, porque têm que ocupar a parede toda, e o tecido tem que ser à prova de unhas de gato, porque eu tenho um gato arraçado de tarzan. talvez lá para 2028...

6 de Janeiro de 2018, às 21:40link do post comentar ver comentários (1)(3)

Arranjei um slanket!!

i.e., um cobertor com mangas!

andei òzanos para comprar uma cena destas (não é o original, é um knockoff provavelmente feito na mesma fábrica lá na china), acho genial, a sério. tive um encontro imediato com uma montanha deles no aldi, e decidi na hora oferecer-me como prenda de natal. porque eu mereço!

anyway, vim a descobrir que este fantástico cobertor com mangas não cumpre apenas a função de me manter quentinha no sofá, como é tão confortável que acabo por usá-lo como robe, e até me ajuda a manter o chão da casa limpo. se pudesse, casava-me com ele :D

...pena não fazer também o jantar lol

4 de Janeiro de 2018, às 21:00link do post comentar ver comentários (1)(2)

E a primeira compra de 2018 foi...

um pau de selfie!

yep, começamos muito bem 😂
1 de Janeiro de 2018, às 01:50link do post comentar

365/365

eis que chega a tradicional posta de fim d'ano.. yay!!

2017 foi um ano fixe (provavelmente porque não esperava nada dele lol já vem sendo assim há uns anos, e continua a provar-se um bom truque lol), não foi *tão* difícil como previa, mas foi *muito* agitado e cheio de desafios, tanto pessoais como profissionais. tenho a sensação que não parei um segundo para respirar, enquanto via o tempo a passar por mim à velocidade da luz, os dias e os meses a queimarem-se uns atrás dos outros sem conseguir fazer nada para abrandá-lo... mas porque parar é morrer, (grande parte) esta agitação até foi muito bem vinda. 

no fundo, acho que só não foi melhor porque o verão foi manhoso, e já se sabe que o verão por aqui é um assunto muito sério!

o verão dá comigo em maluca... milhares de km por terra e ar (mais por terra do que por ar), para umas horas de dolce far niente like a pro. deixei um bocadinho do coração na maior das baleares, e pelo terceiro ano seguido, tavira foi o destino de eleição. entre férias e fins-de-semana, foram duas semanas lá passadas. na costa alentejana apenas passamos um fim-de-semana, na galé, e alguns dias de praia em tróia e saint tropez.

o verão pode ter sido muito longo, mas foi merdoso. foram raros os dias de praia sem vento e sem ondas, mesmo lá prós lados de tavira. não cheguei a sentir aqueles calores infernais, aliás, na maioria dos dias de praia tive frio. também me lembro de noites bem mais agradáveis no campismo. mas apesar da meteorologia ter andado avariada, foi espremido até à ultima gota. não houve fim-de-semana que não tivesse sido devidamente aproveitado.

demos umas voltinhas à maneira. muitos regressos: serra da estrela já é um clássico, depois fomos matar as saudades de madrid, passamos um dia em monsaraz, depois fomos tratar de uns assuntos inacabados em londres. dedicamos três dias a conhecer as aldeias históricas e o sul da beira interior, com salto a espanha para o cliché de ir encher a mula à viatura por um preço mais em conta. fizemos uma road trip brutal em maiorca, dividimos os dias de praia entre tavira e tróia. visitamos a praia da luz, santa luzia, a aldeia da pedralva, a praia da bordeira, e já mais no final do ano, odeceixe, zambujeira, s. teotónio e o cabo sardão.

ainda não foi o ano em que fiz uma viagem grande, e já tenho várias a acumularem-se. puta da ironia da vida, quando se pod€, não se tem tempo. qualquer dia vão todas de uma só vez. a woman can dream :D

a antena 3 fez-nos companhia durante horas a fio por essas estradas fora, e deu-nos a conhecer pérolas incríveis, como o pirata do rui de castro, naqueles programas alternativos que dão a altas horas da madrugada.

houve patuscadas à fartazana, tanta comidinha boa por essas tascas fora eu comi neste ano. muitas jantaradas, muitas festas de aniversário, um baptizado, e uma despedida. inacreditavelmente não houve quilos a mais!

no inicio de junho desafiei-me a não comer batatas-fritas enquanto durasse o verão. correu melhor do que esperava. e mantive o desafio, que contra todas as expectativas tem sido bem sucedido. tenho conseguido travar um dos meus maiores vícios de sempre. agora a ver se consigo fazer o mesmo com os palmiers e os pães de leite (mas... ain’t gonna happen muhahaha)

muitas séries, e poucos filmes. poucos concertos, mas grandioso de descobertas musicais, all hail the music streaming goodness!

escrevi posts saudosistas, de há 20 anos, porque 1997 foi um dos anos mais marados da minha vida e quero guardar memórias sobre ele. entre eles, um post sobre um sobre o irc que enganou uma porrada de gente, a pensar que o programa celebrava 20 anos hi hi hi épico!

em outubro começou outro desafio, aprender japonês. tem sido muito giro e temos estado a aguentá-lo bem. em julho espero conseguir ter uma conversa básica em japonês, e devorar mangas em kana.

por incrível que pareça, sete meses depois ainda me aguento no ginásio, não com a frequência ideal, porque não sei que raio faço ao meu tempo, mas um dia ou dois por semana é melhor que nenhum. assim como quem não quer a coisa, experimentei finalmente yoga, coisa que andava a arrastar-se nas minhas to do lists desde 2012. gosto muito e espero praticar até ao fim dos meus dias.

foi um ano rico em idiotices, e constatações e desabafos parvos, e tanta coisa que ficou por registar.

mas nem tudo foram coisas boas,

tratamos de assuntos chatos, tivemos uma invasão de formigas, dissemos adeus ao apartamento de almada (finalmente, só demorou quase 5 anos), aquele que foi o nosso primeiro lar, andei uma semana com a cara inchada às contas dum dente (e ainda não fui tratar do sacana, estou a pedi-las, eu sei eu sei), mais episódios de ansiedade que aquilo que é saudável, por causa daquelas coisas que não podemos controlar, as sessões de fisioterapia que tive que fazer para desemerdar os ombros, e a quantidade de consultas e exames que fiz para certificar-me que ainda está tudo a funcionar como é suposto.

mas pior que isso tudo foi o tasco onde ia comer pho ter fechado, e a dunkin donuts não chegou a portugal em 2017.. bah!

last but not the least, aqui fica o meu 2017 resumido em 365 segundos!



tudo de bom para vocês, gente boa. que 2018 seja cheio de saúde e de energia, o resto é paisagem :D

31 de Dezembro de 2017, às 22:30link do post comentar ver comentários (6)(1)

Sabes que estás a ficar velha quando... IV

tropeças num programa de passagem de ano que promete ser de arromba. vai acontecer num barracão gigante com ar industrial, com dois palcos a bombar música electrónica, entre o techno e house, e que tem como cabeças de cartaz uns moços que já andas para assistir ao vivo há uma porrada de anos. ainda por cima não é longe de casa, e até dava para ir a pé (se a noite não estivesse muito fria e não fosses tão comodista lol), nas calmas, depois da patuscada de fim d'ano.

irrecusável!!

só que a ideia de me ir enfiar num sítio cheio de pessoas demasiado excitadas, com bar aberto (que dá sempre em abusos) até ao inicio da madrugada, para ouvir música demasiado alta (ainda que seja do meu género favorito), combinada com holofotes a projectar feixes de luz de mil cores capazes provocar ataques epilépticos, respirar fumo de cigarro em vez de oxigénio, e ter que pensar em vestir algo que não seja umas calças de treino de andar por casa e a minha velhinha t-shirt desbotada de star wars, já não é tão apelativa como seria há uns anos atrás...

cum'cacete : /

29 de Dezembro de 2017, às 09:00link do post comentar ver comentários (6)(3)

Cenas

ontem acordei com a garganta marada, e andei o dia todo a espirrar à maluca, e a gastar toneladas de papel. mau, queres ver que arranjaste uma constipação, ou uma puta duma gripe?

como não é muito habitual ficar doente, entro logo em modo ofensivo e tenho que descobrir que bicheza anda a atazanar-me o sistema imunitário. sou a primeira a dizer para não fazê-lo, mas sou a primeira a fazê-lo. fui a correr perguntar ao dr google (em modo incógnito, é óbvio, para não me começarem a aparecer anúncios de cremes para fungos - ou pior!!! em todos os sites que entrar) que diferenças existem entre a gripe e a constipação. o dr google, na sua infinita sabedoria, informou-me que as diferenças podem ser ténues, e nem sempre é fácil distingui-las, mas têm as suas nuances:

espirros (daqueles que quase ficamos virados avesso e provocam surdez temporária a quem tiver o azar de estar nas nossas redondezas). check

nariz entupido (litros de ranho e quilómetros de papel higiénico gastos a assoar-me, vá lá que costumo comprar do macio - folha quádrupla bitches, se não já tinha a pele em redor do nariz em carne viva). check

olhos inflamados (como se tivesse andado a saltitar por um campo de papoilas em plena primavera). check

garganta inflamada. check

a temperatura não chega os 37ºC, não há dores no corpo nem fadigas, nem arrepios de frio, nem tosse, o que afasta o cenário da gripe. mal o menos. se é constipação trata-se nas calmas com líquidos (litrosas de chá de gengibre e limão - on it), e mel para aliviar a garganta (on it - não posso abusar porque é mel de medronheiro, se não ainda apanho uma piela). para aliviar a congestão nasal, lavar as vias respiratórias com água do mar (daquela em spray, que dá vómitos quando a mistura de gosma e água salgada se escapa e escorre pela goela abaixo).

eis que esta tarde, no meio de saraivadas intermináveis de espirros e assoadelas, começo a ficar com uma comichão doida dentro do nariz, daquelas que apetece a enfiar as mãos pelas narinas adentro e coçar aquilo tudo. uai.. queres ver que nem é constipação, nem gripe, mas sim um ataque diabólico de rinite alérgica? mando um anti-histamínico para o bucho, e não é que passadas algumas horas a coisa começa a acalmar?

tão em que é que ficamos? opá!!

28 de Dezembro de 2017, às 22:00link do post comentar ver comentários (8)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly