Get Up Stand Up

FINALMENTE experimentei aquilo do stand up paddle (SUP)!

 

havia um par de anos que andava atrás dum centro de surf que tivesse material para alugar, mas por ser uma modalidade pouco conhecida, tava difícil. a única coisa que conseguia encontrar eram aulas, mas com preços assustadores, que me tiravam logo a vontade.. 

 

mas pelos vistos este ano pegou moda e o SUP está por todo o lado, pelo menos em lagos - não há tasca de surf que não tenha pranchas para alugar. perdi-lhes o conto!

 

tão ao segundo dia, estávamos nós a chegar ao pólo do sapo, quando há qualquer coisa que me desperta a atenção na loja ao lado. atento na montra e… é um CENTRO DE SUP, caneco!!! 

 

até se-me eriçaram os pelinhos lá bem do fundo das costas. É QUE É JÁ. ai universo, és tão fofinho, cá beijinho!

 

o problema é que os dias andavam ventosos e as correntes não estavam para brincadeiras, logo não havia paddling para ninguém.. mas disseram-nos que vento deveria amainar lá pra quinta à tarde, e que na sexta ou sábado seria possível ir sup’ar. no worries mate, tou cá até ao fim da semana.

 

e assim foi. no sábado às duas da tarde estávamos à porta do centro, três de nós, eu o home e a sis, prontinhos para a nossa aula de iniciação, que incluía tour às grutas - duas horas e meia que se adivinhavam muito divertidas.. e molhadas lolão

 

no total éramos sete, seis maçaricos mais a nossa simpática instrutora alemã, gitte. o percurso iniciava-se na praia do porto de mós e terminava na praia da dona ana, sempre junto às falésias.

 

após o briefing em terra, onde nos foi explicado como é que funciona aquela traquitana toda, posições, quedas ao mar, the dos and don'ts e outros procedimentos relevantes (entre eles pedidos de socorro e etiqueta nas grutas), siga pró mar com três metros de prancha debaixo do braço..

 

..e S'AQUELA MERDA PESA!

 

dentro de água, toca de meter em prática os ensinamentos que tínhamos acabado de receber. parecia super fácil, até para mim, que sou um bocado desengonçada naquele tipo de assuntos. 

tusken sup'er

passado uns minutos a remar de joelhos, e numa altura em que o mar estava mais calmo (sem ondulação provocada pelos barcos que se passeiam junto à costa) ganhei confiança e seja o que dés’quizer! levantei-me na prancha e…

 

GREAT SUCESS!! consegui dar umas remadas durante uns minutos sem cair logo pró lado w00t

 

por essa altura já haviam mais colegas a tentar fazer o mesmo, e alguns até aproveitaram logo para dar um mergulho muhahaha

 

a instrutora, sempre atenta às peripécias dos seus pupilos, ia corrigindo as asneiradas que iam surgindo e dando dicas à medida que íamos ficando mais afoitos.

 

a parte das grutas foi tramada. a cada 30 segundos aparecia um sacana dum barco carregado de turistas para as visitar e aquilo era um trânsito infernal de embarcações. barcos, canoas, paddleboards, tudo à mistura.. é assim o agosto nas águas costeiras algarvias. 

hora de ponta

 

nas primeiras onde entrei, ainda sem saber bem como dar conta da prancha, via-me grega para não me espetar contra as rochas, ou contra os meus companheiros de paddle, ou atravessar-me à frente dos barcos e canoas.. os tipos dos barcos então, não achavam lá muita piada terem que desviar-se de nós. temos pena!

 

cheguei a resolver o problema sentando-me ao contrário na prancha e seguir de marcha-atrás. é a improvisar que a gente se entende :D 

 

assim que dobramos o cabo da boa esperança a ponta da piedade, o mar transformou-se um lago. agora sim!
meti-me de pé e só voltei a ajoelhar-me quando era mesmo necessário, tipo entrar em buracos ou passar por rochas baixas. 

 

a parte mais complicada foi mesmo empinar as manobras de direção. mas às tantas lá começaram a surgir com naturalidade, sem precisar de pensar muito na mecânica da coisa. queres virar? então enfia a pagaia na água com a face invertida e empurra-a em sentido contrario. done, carry on.

 

duas horas depois de ter saltado para cima daquilo já dominava a remada e não tinha grandes problemas de equilíbrio... não ter caído ao mar uma única vez foi um feito verdadeiramente épico para a minha pessoa :D

largò hipstergram!

 

fiquei fã. aquilo é MESMO FIXE, muito melhor que canoagem!  
tou maluca para voltar a pegar numa prancha daquelas outra vez. entretanto meti-me a ver videos no iútube e quero experimentar algumas técnicas que apanhei. also, estou a considerar assaltar um banco para comprar o meu próprio equipamento muahaha who’s in?

Na semana que passou

era para ter ido de férias mas não fui.

 

não fui de férias mas mesmo assim, consegui dar um pontapé na rotina e tive uma semana completamente diferente do habitual:

 

troquei a metrópole pela província, a minha cidade pela outra minha cidade, os pombos por gaivotas. troquei o metro pela bicicleta, um escritório gigante por um pequeno. troquei os jeans por calções e os ténis por havaianas.

 

trabalhar para a internet tem destes perks :D

 

estive perto da família, aproveitei a hora de almoço e o fim de tarde para dar uns saltinhos até à praia, pedalei que me fartei, enchi o bandulho de croissants com chocolate, bolos de café, e pães de leite deliciosos, porque ele há coisas que só sabem realmente bem em determinados sítios.

 

não foram férias, mas souberam-me a férias, e ainda tive três dias inteiros para aproveitar o verão. w00t!! 

19 de Agosto de 2014, às 21:09link do post comentar ver comentários (3)

Guardians of the Galaxy

...ou o filme mais supreendente da marvel até à data: o que eu ri... e o que eu chorei com o raio do filme lol fantástico!!

e para quem não percebeu a piada do jackson pollock (quase que me mijei a rir com essa), aqui fica um exemplar da obra do famoso pintor muhahahaha

 

Caraíbas alentejanas II

o domingo acordou tristonho, ofuscado por umas nuvens assim com ar pesadão, mas ao abrir a janela senti-lhe a temperatura e gritei "WOW TÁ CALOR.. BORA PRÁ PRAIA!!" coisa rara este verão..

 

eis que o homem vem de lá e sugere um programa de festas diferente do habitual: deixar o carro em setúbal, apanhar o barco para tróia, e experimentar aquelas praias dali ao inicio da península, que nem eu nem ele conhecíamos…

...nós, que batemos a costa alentejana de cima a baixo e de baixo a cima, nunca tínhamos assentado o cú nas praias de tróia… e as vezes que passámos por lá, não há desculpa.. shame on us!!

nada mal pensado migo, nada mal!

carro estacionado, bilhetes comprados, catamaran chega, catamaran parte, cerca de quinze minutos de viagem, golfinhos a passear no sado perto do cais. tróia!

tá giro aquilo. bonito, bem tratado e cheio de vida nesta altura do ano.

a praia eleita, a do bico das lulas, não estava muito populada. o céu continuava salpicado de núvens mas a tarde estava impecável, quente e sem vento nenhum. o mar parecia uma piscina.

em vez de ficarmos apenas escarrapachados na toalha a fazer fotossíntese, como de costume, decidimos ir dar uma voltinha junto ao mar, tirar as medidas ali ao pedaço, que aquilo é realmente muito bonito.

praias (quase) desertas de areia branca fininha que é um mimo. já não é a primeira vez que reparo que aquelas praias fazem lembrar caraíbas e realmente, só falta aquela língua de areia umas fileiras de coqueiros e a coisa ia lá.. menos a água morna, vá :D

 

...se bem que ontem estava surpreendentemente "quentinha"!

andámos, andámos, andámos.. quando demos por nós estávamos a ficar assim pró cansados e com sede.. a modos que a desesperar por um oásis em forma de bar de praia. ainda tivemos que andar mais umas boas centenas de metros até à multidão que avistávamos ao de longe. ali havia um bar de certeza... ou então assaltávamos a geleira de alguém :D

quando finalmente alcançamos a entrada da praia, demos conta que fomos parar à praia atlântica.. a alguns 5kms das nossas toalhas.. jazus!

e vá lá que tínhamos as carteiras connosco. havia de ser giro termos que voltar atrás sem um lanchinho e uma bebida fresca no bucho. já vinha a olhar prá água do mar com ar guloso e a pensar que em último caso, lá teria que ser LOL

recarregámos baterias e toca de fazer o caminho de volta. a tarde teria sido perfeita se nos entretantos não se tivesse levantado uma ventania chatinha, daquela que levanta a areia no ar e atira-a contra a malta. 

 

de regresso ao bico das lulas, o nosso estaminé era o único que restava no areal. estivemos por ali até ao pôr-do-sol e depois fomos nas calmas, pela praia fora, até ao cais. mais 2km. bela caminhada que o dia rendeu, fiquei com as pernas feitas num oito.

 

a viagem no catamaran é rápida e bastante confortável. um bocado cara é verdade, mas contas feitas, até compensa. poupa-se tempo, combustível e pneus :)


a repetir, sem dúvida alguma!

4 de Agosto de 2014, às 23:25link do post comentar ver comentários (3)

Não fujas

tempo… ò tempo… anda cá! achega-te aqui a mim. assim, bem pertinho. não temas que eu não mordo, sou boa pessoa. vá, precisamos ter uma conversa séria, tu e eu.

 

má'que jeito, se ainda ontem estávamos no frio do inverno, a assistir da cobertura do prédio ao fogo de artificio do primeiro de janeiro e a mastigar uvas passas, como é que hoje já estamos em agosto? explica-me lá isso porque eu não compreendo, a sério que não compreendo. tanta pressa para quê? será caso que andas a fugir de alguma coisa? isto assim não tá com nada, parece que cada vez que pisco os olhos acordo noutro mês, humpf!

 

há uns anitos atrás, demoravas taaaaaaaaaaaanto a passar que te tornavas chato. os dias pareciam longos e intermináveis, eternos quase.. nem tanto ao mar, nem tanto à terra, calma lá com isso que eu gostava de conseguir saborear a vida um bocadinho melhor :P

1 de Agosto de 2014, às 00:01link do post comentar ver comentários (3)

Coisas que não me encaixam I

bolas de berlim na praia

31 de Julho de 2014, às 01:23link do post comentar ver comentários (4)

First world problems.. summertime edition!

às vezes dá-me assim umas paragens cerebrais e vou-me meter em sítios que tou farta de saber que devia fugir deles como o diabo da cruz.. como ontem por exemplo, que achei que era um bom dia para ir lagartar ali prós lados da comporta. tava calor e a praia é bonita, sei lá..

 

a quantidade de carros estacionados na berma da estrada era um prelúdio da confusão que lá estava instalada, mas que ainda assim não me demoveu do meu objectivo. não me apetecia conduzir mais 10 minutos até à praia mais próxima, anyway.

 

fiquei com o feeling que a comporta tá a dois verões de mudar de nome para caparica - tava de tal modo atafulhada, que para além de não haver espaço livre nenhum entre as "quintas", tornava-se quase impossível atravessar a selva de chapéus de sol à procura de poiso, já para não falar na dificuldade em assentar o pé sem tropeçar na malta que se banhava ao sol. até chegarmos a uma zona que tivesse pelo menos 10 metros de distância entre toalhas alheias ainda palmilhámos umas quantas centenas de metros. nem quero imaginar como será em agosto!

 

acho que tenho que levar um bloco de post-its para o carro e começar a assinalar os sítios proibidos durante o verão e espetá-los no pára-brisas :P



mas é tão linda :')

28 de Julho de 2014, às 22:47link do post comentar

Tão, é desta que começa o verão?

vens assim só um bocadinho atrasado :P

    25 de Julho de 2014, às 19:20link do post comentar ver comentários (2)

    Cabelo para que te quero II

    nunca tive o cabelo tão comprido como agora! a dada altura começou-me a aborrecer dos penteados despenteados (mais às contras astronómicas de cabeleireiro) e simplesmente deixei de me preocupar com ele. e ele cresceu, cresceu, e cresceu..

    só que manter uma cabeleira saudável e lustrosa requer manutenção e eu não sou a pessoa mais paciente do mundo para me por com rituais e o crl a sete.. mando cortar as pontas uma ou duas vezes por ano e uso máscara três vezes por semana, e é tudo!
    acontece também que durante o verão costumo dar férias ao secador e deixo-o secar livremente ao ar. a minha longa e ondulada trunfa transforma-se então numa juba que não sei como é que não ando a ser perseguida por militares, pois mais parece que fugi do jardim zoológico..

    (curiosamente o meu homem prefere o meu ar desgrenhado de quem acabou de espetar os dedos molhados numa tomada eléctrica, ao clássico esticadinho e lisinho lol)

    vai daí, para minimizar este drama sazonal, descobri que untar o cabelo com óleo faz maravilhas pelo aspecto frisado a palha seca.. apesar da confusão que isto me faz, porque do meu coiro cabeludo já brota uma certa oleosidade natural lol pelos vistos não é suficiente e precisa de um reforçozito :D

     

    no ano passado usei o óleo milagroso da schwarzkopf, mas este ano decidi comprar um (elixir qualquer coisa) da minha marca favorita de mistelas para o cabelo, a kérastase. custa uma pequena fortuna, o cabrão do óleo, mas tem reviews inacreditavelmente boas.. tão boas, que podia resumi-las da seguinte forma:

     

    not of this world! i can only imagine they make this by milking the pussy juices out of horny little fairies and then top it off with some pixie dust for that golden finish! my goodness... what a heavenly thing!

     

    é que nem pensei duas vezes, foi mesmo 

     

     

    misticismos à parte, faz o que é suposto: deixa-mo cabelo leve, solto, brilhante, macio, e sem metade do frizz habitual. resumindo, a juba continua cá, embora ligeiramente mais domada e bastante agradável ao toque… e se antes já tinha dificuldades em tirar-lhe as mãos de cima, agora está a ganhar contornos de obsessão :/

     

    o frasco tem doseador o que é excelente para evitar exageros na quantidade do produto a usar, e segundo as instruções, duas espichadelas são suficientes para o efeito. antes ou depois de lavar a cabeça, antes ou depois do secador, ou até mesmo sem secador. é bastante versátil.

     

    se vale o que paguei por ele? não sei, deixem-me ver quanto tempo dura a embalagem que logo respondo a isso :)

    Constatações X

    quando era novita e pouco experienciada nestas coisas da vida, fazia-me muita espécie que as pessoas fizessem férias ano após ano após ano sempre no mesmo sitio. quêd'zer, o mundo é um lugar tão vasto, há tanta coisa gira para ver e vocês, seus chatarrões, caem-me aqui todo santo verão. pedem a mesma comida, têm os mesmos horários, e os mesmos tiques. haja cú..

     

    mil anos depois, dou por mim a fazer *exactamente* a mesma coisa: a não perder uma oportunidade para me ir enfiar nos mesmos sítios onde vou vezes e vezes sem conta, onde já tenho rotinas instaladas, onde sei com o que posso contar, onde conheço caras. tornei-me numa "daquelas pessoas"... ráispartam a vida, mais os bailes que ela nos dá :D

      23 de Julho de 2014, às 23:52link do post comentar ver comentários (1)(1)

      'Le me

      tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

      no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

      offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

      101 coisas em 1001 dias - parte III

      faltam 33% done

      'Le liwl

      era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 15 de janeiro, no longínquo ano de 2003.

      muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora.
      a versão actual levou tempo a cozinhar mas ficou awesome toda cheia de modernices: web fonts, svgs, media queries, e css3. aviso já que os browsers antigos não vão achar piada nenhuma :D

      para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #10 #9 #8 #6 #5

      follow us in feedly   Follow on Bloglovin