Summertime madness: Albacora

o que seria da vida sem uns "pequenos" guilty pleasures, hum?

foi este hotel que nos levou a tavira (a mim) pela primeira vez, na época em que andávamos numa de hotel hopping. é lindo, lindo, lindo - térreo, tranquilo, charmoso e localizado num sítio fantástico. dos poucos que fazia (e faço) questão de voltar.

vinguei as horas de sono da noite anterior. aliás, tive uma noite de son(h)o como não tinha há uns tempos valentes. daquelas de cair redonda na cama, fechar os olhos quase instantemente e acordar 8 horas depois, sem uma única interrupção. maravilha!

Untitled

estávamos em falta com o pequeno-almoço, que falhámos por duas vezes na nossa estadia anterior por ficar na ronha ate tarde. se eu já lamentava o sucedido, então agora passei a amaldiçoar-nos pela nossa preguiça. dasse, que pequeno-almoço fenomenal!!

depois do check out ficámos na piscina até às seis da tarde. não se que seja grande apreciadora de vegetar em espreguiçadeiras, mas fiz o sacrifício :D tá-se tãoooooo bem por lá, é uma calmaria que nem apetece ir a lado nenhum. mesmo com a praia ali ao lado.

Untitled

Untitled Untitled Untitled

uma pessoa sente-se verdadeiramente turista quando está no meio da estrangeirada. parece quase que nem estamos cá.. bom, ao menos os empregados falam a nossa língua lol

mas este não é o meu tipo de férias, eu gosto é de andar à vontade, sem me preocupar com modos, ou se estou vestida como a noblesse oblige. dêem-me praias, parques de campismo, e chanatos nos pés. sou uma simplória bahahahah

…e por falar nisso, vá! tá a descolar o coiro da espreguiçadeira que temos um "ferry" para apanhar!

31 de Julho de 2015, às 02:01link do post comentar ver comentários (2)

Great Scott! This is heavy...

há uns tempos passou-me pelos olhos um artigo científico, que falava sobre a possibilidade do tempo afinal andar para trás, e que eventos futuros podem afectar o passado. achei a teoria interessante e tentei ler aquilo. tentei.. às tantas já me estava a baralhar toda e acabei por ficar a saber o mesmo, ou seja nada. demasiada areia para a minha cámineta!

anyway, hoje aconteceu uma cena ao homem que não teria acontecido se isto não tivesse acontecido. agora estou aqui com umas dúvidas existenciais..

claro que pode tratar-se apenas de uma coincidência lol

30 de Julho de 2015, às 21:26link do post comentar ver comentários (3)

Tenho uma vizinha

a ouvir (e acompanhar a letra em altos berros), aquelas baladas romântico-pirosoas de corações despedaçados, tipo jardins proibidos, o anel de rubi e umas outras que dou graças ao senhor por não saber o que é, mas que soam igualmente lamechas.

será que devia ir até lá, oferecer-lhe o meu ombro amigo para ela chorar, ou ver se está tudo bem, se precisa que lhe dispense um rolo de papel higiénico (não tenho kleenexes em casa, ora bolas)?

30 de Julho de 2015, às 21:11link do post comentar ver comentários (2)(1)

Summertime madness // Culatra

...ainda não aprendi que tampões para ouvidos é um acessório imprescindível para o campismo. acho que não dormi duas horas seguidas XP

vá lá que levantar às sete da manhã até tem as suas vantagens: o dia rende pa cacete. às oito e meia estávamos de saída de cabanas, prontos prá desbunda. começamos em tavira, onde fomos tomar o pequeno-almoço e aproveitar para conhecer o mercado.

Untitled UntitledIMG_20150704_103529 IMG_20150704_103121

há pessoas que visitam museus, nós visitamos.. mercados (há pancadas piores, quero acreditar!)

dali seguimos rumo a olhão. de caminho fizemos um breve desvio para a fuzeta, nunca lá tinha estado e apeteceu-me conhecer. parece ser um sitio tranquilo, e bom para praia.

quando chegamos à zona ribeirinha de olhão, apanhamos um mar de gente. ah.. é verdade, estamos no algarve, já me esquecia :D

demos uma volta (visitar o mercado e tal) por lá, para fazer tempo da nossa "boleia" para uma das ilhas, a da culatra/farol. a da amona fica prá próxima, não se pode ver tudo de uma só vez para termos desculpa para voltar, rite?

Untitled

desembarcamos na ilha do farol (alguém me explica o porquê da ilha ter os dois nomes?) e fomos andando em direcção à culatra pela praia, que é fantástica! enoooooooooorme, de areia fina, sem ondas, e pouco frequentada entre concessões. muito semelhante a tróia, por acaso (mas com menos árvores).

ilha do farol

tava-se muito bem por lá, apesar de termos apanhado um certo vento, que entrou de mansinho e foi aumentado de intensidade pela tarde. o grande problema do vento é que não se sente o sol a morder e protector em spray não é lá grande coisa. se já vinha um bocado assada da galé, fiquei seriamente a precisar de biafine..

ilha da culatra UntitledUntitled

acabamos por sair de lá tarde e a viagem de barco ainda demorou - e mais um dia que não íamos chegar a horas de apanhar o barco para a ilha de tavira. fónix, tá complicado!

bom, já que estávamos sem pressas, bora passar ali pelo fialho a ver se é desta que conseguimos lá jantar.

..e foi!

alambazamo-nos com um arroz de marisco de comer e babar por mais (ainda que o estômago esteja a um lingueirão de explodir), que chegou à mesa ainda a gorgolhar!
por momentos até julguei que o homem fosse interromper o jantar a meio para invadir a cozinha, e pregar dois beijos a quem preparou o arroz. não se levantou mas pediu por duas vezes à empregada de mesa que fosse entregar os seus rasgados elogios a quem de direito.

ao dia de hoje ainda me espanta a quantidade de comida que enfardámos naquela refeição..

Untitled

não. sobrou. nada!

a noite estava quente e a lua cheia, mesmo a pedir um passeio para ajudar o arroz a descer à tripa, logo ali, pelas redondezas do restaurante, que fica situado paredes meias com a ria formosa.

tão e agora? nem penses que volto pró parque de cabanas...

ele: "albacora?"
eu: "albacora!!"

(inserir aqui imagem mental da isa a fazer a dança da felicidade)

não pudemos desfrutar do nosso adorável quarto assim que fizemos o check in porque EU. PRECISAVA. DE. BIAFINE!

demos com o nariz na porta do gran-plaza, que as dez da noite já tinha encerrado. toca de seguir para o centro da cidade, comigo a rezar a todas as entidades de existência duvidosa que me lembrei, por uma farmácia aberta aquela hora e.. TÃO NÃO É QUE ENCONTREI UMA, no caminho para a gelataria? (sim, que o homem aproveitou logo a oportunidade para ir à muxagata) muahahahah devo ter sido uma pessoa muito boazinha na minha vida passada!

há que deixar registado um breve episódio: a farmacêutica que me atendeu, que não foi buscar o meu ansiado unguento arrastando as trombas pelo chão, porque era tarde e ela preferia estar em casa a descansar do que atender turistas manhosos que se lembram de ir buscar medicamentos não urgentes a horas impróprias. não só me recebeu com uma simpatia quase desconcertante, como desbobinou uma série de informações, recomendações para o meu escaldão e até histórias pessoais.
não estou habituada a tanta amabilidade lol

Adeus Galé, Olá Tavira

…e na terça acordou nublado, húmido e frio :/

 

Untitled

qué quéu disse?

logo a seguir ao pequeno-almoço fizemos o check-out, arrumámos a tralha em três tempos, e ala que se faz tarde!

descemos até saint-torpez e não estava muito diferente, neblina e frio (22ºC para mim é inverno).. humm.. parece que vamos ter que antecipar a visita a tavira. o accuweather diz que está mais quentinho por lá. 'xa ver qual é a melhor forma de nos pormos lá.. mapa..

quis ir pelo caminho mais curto, ainda que demorássemos mais tempo. não estávamos com grandes pressas e o trajecto seria mais pitoresco, afinal de contas, férias = sightseeing. então cortamos o alentejo a direito!

seguimos pelas estradas mais refundidas; em almodôvar quase que deixei paredes pintadas a cor-de-fogo porque o gps mandou-me enfiar nos becos mais claustrofóbicos que conseguiu encontrar (só porque era mais curto que contornar a cidade); passámos por aldeias perdidas no meio do nada; atravessámos a serra do caldeirão, onde por míseros minutos não levávamos com uma pick-up em cima (ainda bem que parei tantas vezes no caminho para fotografar a paisagem lol). qual auto-estrada, qual quê, foi épico!!

Untitled

Untitled

pelas quatro da tarde chegávamos finalmente em tavira e sim, estava calooooooooor :D

já tínhamos andado por tavira em 2010, e feito uma visita relâmpago em 2012, e de ambas as vezes ficou a vontade de nos prendermos por lá mais uns dias. é uma cidade bastante agradável, estranhamente desligada do turismo que invadiu todo o litoral algarvio. gosto disso. muito.

fizemos uma paragem rápida no centro comercial para comer qualquer coisa e depois consultar as nossas opções de dormida. mas primeiro ainda fomos meter o bedelho nas salinas.

Untitled Untitled Untitled UntitledUntitled

agora.. cabanas ou ilha de tavira? nada como ir morder o ambiente antes de decidir.

no guichet do "ferry" das quatro aguas fomos aconselhados a deixar o carro estacionado na cidade e apanhar o barco a partir de lá. só que entretanto fomos a cabanas e quando voltámos, não muito impressionados com a hipótese de acampar num parque que mais parecia ser de estacionamento, tínhamos perdido o último barco para a ilha. oh well. cabanas it is, pode ser que não seja uma experiência tão má como parece..

tenda montada debaixo de uma oliveira, banho, e butes lá jantar.

claro que fomos enfardar peixe assado ao três palmeiras!
claro que viemos de lá a rebolar!

Untitled Untitled

há poucos restaurantes que conseguem a proeza de me fazer desejar ter um estômago maior para conseguir comer mais.. aquele é um deles. ainda por cima não se paga mais por isso \m/

depois fomos dar uma volta pelo centro, que a noite estava uma maravilha e eu andava há três dias a tentar comprar um chapéu de palha. entretanto o homem decidiu provar os gelados da muxagata e ficou possuído. e com razão, que os gelados são absolutamente delciosos e têm sabores geniais. eu, que nem por isso sou grande fã, estava sempre a sacar-lhe umas lambidelas :D’

andava a xaretar os expositores das lojas à cata dum chapéu que não me fizesse parecer muito parola, quando de repente, os meus olhos resvalaram para um casal.. a passear um furão!

ZOMG EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEK

joguei-me ao bixo com uma fúria, quase sem pedir permissão aos donos para lhe por as mãos em cima, e esfregá-lo na cara.. opá que SAUUUUDAAAAADES daquele pivete :D é viciante, a sério. os moços devem ter ficado a pensar que eu tinha algum desarranjo lol não faz mal!

26 de Julho de 2015, às 00:28link do post comentar ver comentários (6)

Summertime madness // Galé

sábado. andei dias a fio a dizer que queria ter tudo pronto na sexta à noite para não desperdiçarmos um segundo que fosse das duas semanas de férias. mas entre deixar a casa arrumada, finalizar os pormenores da bagagem, carregar o carro, e ir deixar a gata à dos "avós" a coisa arrastou-se até às tantas.

passava pouco da meia-noite quando finalmente aterramos no parque. íamos todos lampeiros ao nosso spot favorito, quando..

WHAT.. DA.. FUQ??

um... surf.. camp.. aqui??? e a ocupar a melhor fatia de real estate do parque todo? EEEEEEEEEEEEEEEEEK

entrei logo em modo sheldon, ur in my spot!!

mas uma coisa é chegar lá a um sábado à tarde e ele estar ocupado, e no dia seguinte vagar e eu arrastar para lá a barraca.. outra coisa é encontrá-lo vedado e cheio daquelas tendas maricas de - argh.. vou ter mesmo que escrever aquela palavra horrorosa - glamping, que não vão a lado nenhum tão cedo.. PQP!

mas o que não falta no parque é espaço, acabámos por assentar num sitio que não era mal de todo e deixei de pensar (muito) no assunto.

domingo, primeiro dia oficial de férias. YAY!

durante uns tempos vai ser só dormir, comer, praia, comer, tomar banho, dormir - não subestimem esta rotina! é muito mais extenuante do que parece à primeira vista :D


Untitled

tivemos um dia de praia interessante, que envolveu o homem acudir um baywatcher que se voltou numa moto 4. vinha a jardar pelo areal fora, até que passou por alguma duna mais inclinada e ficou de pernas rodas pro ar. não sei se ia em missão ou se estava apenas a queimar combustivel e a perturbar a pacatez do cenário só porque sim. se foi por esta segunda, então certamente houve karma envolvido naquele pinote..

Untitled Untitled

maravilha de praia, cum caneco.. e todinha para nós!

mais tarde seguimos um conselho e demos uma corridinha descalços, e.. em pelota lol a sério que não me ocorre experiência mais libertadora. se não tivesse a depilação feita e fosse no encalço de uma potencial refeição, seria tipo regresso às origens muahahah

segunda-feira é um dia fixe no parque, que a maralha do fim-de-semana já se meteu na alheta e o clima fica bem mais sossegado (mas deixaram uns quantos episódios dignos de registo, lá chegaremos). descemos à praia por volta das três da tarde, depois de termos passado a manhã toda na ronha entre o bar da piscina e a tenda.

tough life

não dá para ver, mas tinhamos vista prá serra da arrábida

entretanto a tarde começou a arrefecer, por culpa dum nevoeiro manhoso que decidiu instalar-se muito sorrateiramente, assim como não quer a coisa. por volta das sete da tarde, já tinha tomado o céu por completo… hum, já vi isto acontecer antes e não é lá muito fixe. à noite, quando fomos jantar a melides, os meus receios confirmaram-se.. era apenas junto à costa, 5km para dentro começava a dissipar.. déjà vu!

"migo, se amanhã continuar assim, arrumamos a tralha e vamos morder o ambiente a sul" fiz saber ao homem.. nenhum outro dia destas férias de verão será desperdiçado no meu turno!

24 de Julho de 2015, às 23:23link do post comentar ver comentários (2)

E qual é o lema desta casa sobre férias?

que as improvisadas são as melhores!

 

isso. acartar apenas com o essencial, com alguns destinos e experiências em mente, mas sem grandes amarras ou planos fechados - simplesmente deixar-nos ir e aproveitar bem o que vir, sem stresses. É. TÃO. BOM!!

o rascunho inicial das férias era ficar uns dias pela galé a recarregar baterias; de seguida descer por ali abaixo até à zona da zambujeira/odeceixe, bater as capelinhas do costume; depois passar pela terrinha; e acabar pela zona de tavira, e aproveitar para conhecer melhor a ria formosa. 15 dias espremidos até à última gota.

claro que a conspiração cósmica tratou logo de baralhar as coisas.. à grande :D

and so, it begins!

24 de Julho de 2015, às 00:33link do post comentar(1)

Se ele não fosse assim… XIV

hoje decidi vestir-me à fim-de-semana: t-shirt largueirona carcomida pelo sol, boyfriend jeans bastante arejados e havaianas. mais confortável que isto é impossível!

o homem aprovou a minha escolha de indumentária.

"gosto disso" comentou, "assim não pareço tão maltrapilho* ao pé de ti!"

ainda não cheguei à conclusão se isto é um elogio ou nem por isso lol

* ele passa verão inteiro de bermudas, t-shirt e havaianas

21 de Julho de 2015, às 21:15link do post comentar ver comentários (2)

Ele há ideias mesmo fixes III

suporte em betão para rolos de papel higiénico, a provar que é na solitária que as grandes ideias surgem!

21 de Julho de 2015, às 20:25link do post comentar

Ainda os azares do homem

não deixou cair o telemóvel no chão ou na sanita ou no mar, não foi parar à máquina de lavar, não lhe passou um carro por cima, não o perdeu, não lho roubaram, não brickou, não se incendiou espontaneamente..

não..

ao recolher os pratos muito descuidadamente, o empregado deixou cair uma faca em cima da mesa que logo de seguida foi parar ao chão. com aquela algazarra toda não reparamos logo no sucedido, só praí meia hora depois, quando já era tarde demais para chamar a atenção..

a faca caiu em cima do telemóvel e rachou-lhe o vidro..

o touch deixou de funcionar. meio centímetro ao lado e já não tinha feito mossa :P suspeito que este gajo foi um granda sacana numa vida passada e agora anda a pagar por isso, só pode!

18 de Julho de 2015, às 15:19link do post comentar ver comentários (4)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

seguir-me nos blogs do sapo

101 coisas em 1001 dias - parte III

faltam 46% done

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 15 de janeiro, no longínquo ano de 2003.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora.
a versão actual levou tempo a cozinhar mas ficou awesome toda cheia de modernices: web fonts, svgs, media queries, e css3. aviso já que os browsers antigos não vão achar piada nenhuma :D

para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #10 #9 #8 #6 #5

follow us in feedly Bloglovin