Vá pra fora cá dentro, versão Peniche e Costa Oeste

Era de saber que o passeio ia dar numa posta brutal, decidi dividi-la para não custar tanto a ler..espero que a aguentem até ao fim hi hi hi

O Destino

A decisão não estava fácil. Haviam quatro em cima da mesa, todos em localizações geografias distintas. Primeiro pensamos no Alentejo, prós lados de Beja. Depois pensamos no Gerês, depois vi que tinha começado a nevar na Estrela, pensamos em ir ate lá, e por último, pensamos em Peniche. Andamos indecisos entre estes dois últimos até quase à ultima da hora. Pensamos em dividir-nos, um dia na serra, e um em Peniche. Só que entretanto, quando íamos marcar no hotel da serra disseram-nos que o mínimo eram duas noites, e o desempate final foi quando vi que a neve que tinha caído não era o suficiente para me fazer subir a serra pela segunda vez este ano. Ficou assim adiada a visita a serra por mais umas semanas. Janeiro ou Fevereiro, quem sabe, que a malta vai estrear o equipamento que comprou especialmente para os rigores invernosos da serra he he
So..Peniche here we go! Como assim já íamos para ficar duas noites (não nos podíamos esticar por causa do furas...), fomos ver o que a escapadinha tinha para nos oferecer. Indecisos entre três hotéis, reservamos no que tinha melhor aspecto pelas fotos.
Partimos na quarta às cinco e meia da tarde. Tínhamos planeado sair de casa à uma, mas pronto, no dia que conseguirmos cumprir os planos à risca, é porque se passa qualquer coisa de errado no universo...LOL

O Hotel

Chegamos lá por volta das sete e meia. Não foi muito difícil dar com o caminho, e consegui fazer tudo apenas com a imagem mental que tinha do percurso simulado no via michelin, pois esquecemos-nos do mapa (físico) nos algarves no fim-de-semana passado. Já era noite posta quando chegamos, mas as letras HOTEL vermelhonhas e reluzentes viam-se bem no horizonte e ajudaram-nos a chegar lá (isso e as placas a dizer "hotel" e "golf" lol).
Fizemos o check-in, fomos largar a tralha ao quarto (ficamos todos contentes quando vimos que nos tinham dado um quarto com cama de casal hi hi), e descemos para jantar no restaurante do hotel, que com a fome que eu tinha, já nem via nada pela frente. Os preços nem por isso eram simpáticos, mas quando as respectivas doses aterraram debaixo dos nossos narizes, até nos esquecemos deles. Comi um bife à pimenta brutal! Muito bom mesmo! Tinha quase uma embalagem de grãos de pimenta no molho lol

O hotel é muita porreiro. Fica numa zona muito calma, pertinho do mar. É vizinho da famosa praia do Supertubos. Além do campo de golf, tem um health club com piscina exterior e interior, jacuzzi, banho turco, sauna, e uma porção de tratamentos. Mas desta vez não tivemos oportunidade de experimentar essas "facilidades".. Ah, pormenor, tem uma espécie de ATM alternativa, que usa o sistema netpay do BPN. Dá um certo jeito :)
O pequeno-almoço era servido no 5º piso, que tinha uma vista espectacular :)

Haviam mais dois possíveis hotéis em Peniche, um deles ficou marcado para quando lá regressarmos, o Sol Peniche. Estava bem localizado e tinha muito bom aspecto..pelo menos por fora he he

Peniche

[A primeira vez que lá entramos foi a procura de uma ATM que desse para carregar os telemoveis (a do hotel não dava), eram umas oito da manha. Tinha mesmo que ser porque o marido precisava de aceder à net e no hotel só havia wlan da vodafone. Nunca vi ninguém tão desesperado por net, NEM EU! LOL na, o marido tinha um deadline mesmo mesmo deadline, férias e trabalho é daquelas coisas....]

Ficamos encantados com a cidade, para já, porque tem uma localização geográfica espectacular, está num sitio absolutamente lindo, com paisagens e praias maravilhosas. Mas dedicamo-nos mais às vistas que à cidade em si..o tempo não dava para tudo ^^
O pessoal de lá sabe aproveitar o potencial do local. Percorremos a falésia de uma ponta à outra, e aquilo é placas com indicações, para ver pequenos buracos, furnas, carreiros, varandas, tudo muito bem amanhado. Parávamos o carro a cada meio km para ir espreitar mais qualquer coisa. Se bem que para um dia de mar tão agitado, chegava a ser assustador descer a falésia para ir conhecer esses pequenos recantos.
O cabo Carvoeiro tem umas vistas incríveis. Esta foto de nós dois foi tirada no terraço panorâmico dum restaurante altamente bem localizado num dos extremos ocidentais de Portugal. Pena estar fechado..

Conhecer estas zonas costeiras em dias de tempestade é tão bom ou melhor do que conhecer em dias calmos. Porque o mar oferece verdadeiros espectáculos e as nuvens negras e pesadas dão um toque especial ao "quadro". Convém é ter cuidado quando andamos a explorar as zonas mais perigosas, como descer a falésia, não vamos ser apanhados por uma rajada de vento ou uma onda que saltou mais alto..nós dois andamos a arriscar demasiado..as vezes a malta só se apercebe dos perigos a que esteve sujeito depois de umas horas. A adrenalina faz-nos fazer com cada uma...

Na zona do porto, há uma avenida que tem restaurantes porta sim, porta sim. Vinha mesmo a calhar, porque já eram duas e meia da tarde e estávamos enfaimados. Mas perante aquele cenário, ficamos completamente indecisos por qual optar, pois todos tinham bom aspecto. O marido resolveu bem a coisa e perguntou a um local, onde se comia bem por ali (sim, desta vez não fomos à procura de uma pizza hut ou de um mcdonalds LOL):

Marido: "Boa tarde [aperto de mão], amigo, para comer, qual deles é que recomenda?"
Local: "[olhou em redor] Ah, estão todos abertos.."
Marido: "Pois..são uma data deles.."
Local: "Olhe, está ali uma casa de gelados que é a Farggi, logo a seguir está um, que é o Popular."
Marido: "Recomenda esse então?"
Local: "É o melhor desses todos que andam aí!"

E assim fizemos. Andamos uns metros e encontramos a tal casa. Antes de entrarmos começamos logo a salivar perante a montra de peixe fresco (em particular as espetadas) que eles exibiam aos transeuntes. Nem hesitamos, entramos, sentamos e venha a lista. Como o tamanho das doses que vimos estarem a ser aviadas era brutal, mais as entradas deliciosas (salada de ovas, azeitas e queijos, etc) que andavam a rodar por ali que nós não queríamos deixar de provar, pedimos apenas uma dose, uma espetada mista (lulas, tamboril e cherne). Quando ela chegou (estávamos sentados com vista "aquaria" do grelhador e acompanhamos o processo todo he he), já nós tínhamos tratado bem das entradas e demos mesmo graças por só termos pedido uma dose. A espetada era o que nós já estávamos à espera, mais batatas e uma salada mista. A dose era mesmo brutal e não tou mesmo a ver uma pessoa conseguir comer aquilo tudo sozinha. Nós comemos os dois e ainda sobrou! E o preço desta iguaria deliciosa? 7,85€!!! Pagamos ao todo 20€ e saímos dali que só voltamos a comer eram 11 da noite! Muito bom!
Depois do almoço, e do jantar da noite anterior, fiquei desconfiada que a malta daquela zona deve gostar mesmo de servir bem a moçada. A mim convenceram-me! Grandas pratadas!

De resto, há obras de melhoramentos pela cidade, pelo que se adivinha que ainda vai ficar mais bonita do que já é!

Baleal

É um pedaço de terra muito interessante. Fica situado a norte de Peniche, é uma ilha, mas está ligada a terra por uma estrada estreita, que suponho que em dias de marés mais altas, a água chegue lá perto. O transito está condicionado, pode-se levar o carro, mas temos que deixa-lo estacionado no parque e percorrer a ilha a pé. Tem uma pequena vila, com algum comercio, incluindo estalagens. É maior do que parece à primeira vista e é passeio muito agradável.
Tem duas praias muito boas. Faço ideia aquilo no verão!!

O regresso

Como é sabido, nós nem sempre jogamos com o baralho todo, então, de regresso, em vez de virarmos para Lisboa na Lourinhã, viramos para o ..Vimeiro!
Porque sim, porque ainda era demasiado cedo para voltarmos, e apesar de estar um dia super-ventoso e frio, estava bonito e conhecer a costa oeste oeste ali tão perto, parecia irrecusável!
No Vimeiro, mais especificamente na Praia do Porto Novo, vimos um hotel que já nos anda a assediar há uns bons tempos, o Hotel Golf Mar. Agora, depois de o vermos ao vivo, temos a certeza que queremos ir para lá um dia ou dois!
Depois paramos na de Santa Rita, e seguiu-se Santa Cruz. Fomos parar a um miradouro, e vimos lá uma estrada de terra batida, que seguia junto à falésia. Pensamos: "Why not?" e tentamos a sorte. Só que a configuração das falésias está sempre a ser interrompida e acabamos por ir parar a vários dead-ends. Bem, de volta a estrada principal e já a caminho da Ericeira, fiz uma viragem brusca quando vi uma placa a indicar a Praia dos Coxos, mas lá não havia muito para ver, o mar tinha tomado a praia por completo.
Ericeira, Foz do Lizandro, Magoito. Por esta altura já morria de fome e só queria um restaurante, mas a coisa aquela hora estava difícil. Passamos ainda por Sintra, e finalmente, paramos na Caparica!
Ter feito esta viagem toda sem o auxilio de um mapa foi o mais divertido. Não andamos propriamente perdidos, mas andavamos um bocado às cegas, sem saber onde estavamos. Desde que fossemos a descer estava tudo bem he he

E pronto, foi um grande dia, que começou em Peniche e terminou na Caparica, à do Toni, a matar a fome, que já era mais do que muita he he
Está prometido um regresso para Junho ou Julho próximos, para visitarmos as Berlengas, sitio que quero conhecer há que anos! O marido já lá esteve quando era pito e gostou bastante. Pelas fotos que andei a ver delas, acho que deve ser um sitio espectacular!

E assim aos poucos, vamos conhecendo este nosso belo pais! (apercebo-me
agora que nós este ano abusamos no que respeita a viagens, sim senhora!!)
E o chasso..aquele sr. Chasso que nos tem levado a tantas aventuras, portou-se à altura! Fez Almada - Peniche- Costa Oeste - Caparica - Almada com 15€ de gasosa e nem piou lol ganda carro!

Apesar de ter colocado links para quase todas as fotos, aqui fica mais um, para a galeria dedicada a este passeio.
    10 de Dezembro de 2006, às 01:00link do post comentar