1997

este foi (até então) o ano mais marado da minha vida.

não sei se terá sido motivado pela saída da adolescência (fiz 18 nesse ano), essa fase obscura da nossa existência, se foi o vício que me fez sair da casca, mas parece que vi "a luz" e comecei a sentir-me viva pela primeira vez na vida. só sei que foi granda reviravolta, a todos os níveis.

tanto que até os professores notaram. era aquela miúda tímida, com ar enfezado, que se arrastava pelos corredores e entrava na sala muda e saía calada. sentava-me sempre nas filas de trás, ao lado da janela e passava metade das aulas a olhar para a rua, perdida no vazio. não queria saber de nada nem de ninguém.. e no ano seguinte (a repetir o 10º ano), era ameaçada de ir prá rua porque não calava nas aulas. parecia que tinha levado uma mega injecção de adrenalina.. andava eléctrica, não parava quieta, nem calada. nem parecia a mesma pessoa. a única coisa que não mudou é que continuava a detestar a escola com todas as minhas forças muhahahah

não tinha uma vida muito fácil naquela altura, e estou genuinamente surpreendida por assim de repente, ter começado a recordar aqueles tempos com mais nostalgia do que alguma vez acreditei ser possível.. quando ouço músicas que ouvia naqueles tempos, e tenho aquelas trips temporais, até fico com o estômago enguiçado.

e o receio de me esquecer destes tempos esta-se a tornar numa cena.. daí que tenho que começar a registar as memórias que ainda vou conseguindo trazer ao de cima.

isto de envelhecer é interessante. não é fixe.. mas é interessante.

24 de Fevereiro de 2017, às 23:48link do post comentar