Mais do mesmo...

volta e meia leio coisas nas revistas que me revolvem completamente as entranhas...

desta vez foi na cosmopolitan (porquê? porque é que eu cedi à tentação de voltar a comprar esta revista, ainda que fosse for old time's sake. porquê?)

num artigo chamado "faça a sua relação duraaar" um dos pontos sugere que sejamos apenas namorados e nada de querer ser o melhor ou a melhor amiga sob o risco disso arruinar a nossa vida amorosa, e que se teimarmos nisso de sermos os melhores amigos, o mais certo é desenvolvermos uma relação de meio-irmãos...

come again?

é por causa de conselhos destes que não me surpreende nada o elevado número de divórcios!

ser os melhores amigos é a melhor coisa que pode acontecer numa relação, só trás benefícios.
por exemplo, o meu home é simultaneamente o meu melhor amigo e a minha melhor amiga.
tanto falamos de gadgets, carros e afins, tiramos as medidas às gajas e fazemos concursos de manifestações corporais, como falamos sobre assuntos típicos das gajas, fofocamos, e andamos horas enfiados nas lojas a ver roupa e acessórios (quase sempre para mim, é certo). não admira que eu não precise de um/a melhor amigo/a, ele tá sempre ali à mão de semear!
e o mesmo se aplica a ele, só tem mesmo pena é que eu não beba cerveja (PÚA!!)

acho que estas coisas só aproximam ainda mais o casal, porque se não tivéssemos uma relação tão próxima, era impossível ele conhecer-me assim tão bem e saber sempre o que me passa na cabeça, o que eu quero e o que não quero. sabe sempre o que dizer e o que fazer. gosto disso e não conseguia viver de maneira diferente, por isso não me venham cá dizer para arranjar outro melhor amigo se não eu mordo!

...meio-irmão, qual carapuça!

e mais! tenho cá para mim que as melhores amizades dão as melhores relações, mas esse já é outro assunto...

T-30

...e o mês que se segue vai ser tramado!

    21 de Junho de 2008, às 18:30link do post comentar ver comentários (9)

    Mariscada!

    tavamos nós refastelados no meio da praia, a absorver avidamente a bela da radiação solar, quando se desenrola a seguinte conversa:

    marido: "....sabes, apetecia-me marisco. tipo percebes!"
    eu: "marisco aqui só conheço aquele sitio da outra vez..."
    marido: "hum.. parece-me bem..."
    eu: "mas prepara-te para desembolsares..."
    marido: "não quero saber, apetece-me marisco e prontos"
    eu: "tão vá, saímos da praia por volta das seis para não chegarmos lá muito tarde."

    "aquele sitio da outra vez" é uma marisqueira em porto covo onde jantamos uma vez há 4 anos atrás, num dia que íamos para os algarves com os meus pais e a mana. enchemos o bandulho e gostamos tanto, tanto que cada vez que passamos por perto de porto covo, lembramos-nos sempre que temos que lá voltar.

    e nessa tarde, depois daquele incidente manhoso com as pindéricas nos balneários, que me atrasaram os planos, lá partimos da galé, rumo a porto covo. é uma viagem de cerca de meia hora, e fomos ali juntinho ao mar, a ver o por do sol. uma maravilha!
    ia com um bocado de receio porque quatro anos ainda é algum tempo e as coisas tendem a mudar. a ideia que eu tinha do lugar já podia estar fora do prazo..

    chegamos lá e claro, tava a abarrotar. disseram-nos que havia uma lista de espera de cerca de uma hora. tínhamos que dar o nome e esperar. claro que nós já nem saímos ali da porta, porque estava lá uma montra cheia de marisco e nós já estávamos a salivar em antecipação.
    enquanto lá estivemos continuou a entrar gente, nos mesmos moldes, hora, hora e meia de espera, e ninguém voltava para trás, ficavam ali à espera e pronto. isto só pode ser bom sinal!

    a nossa espera acabou por não chegar a uma hora, e dois minutos depois de nos termos sentado, a mesa de quadro lugares estava repleta de coisas boas: azeitonas, camarão cozido, percebes, bruxas, uma casquinha e uma navalheira para mim, e pão torrado e pão normal, só faltou mesmo a salada de polvo, mas ainda bem que ele se esqueceu, porque no fim já tavamos a rebentar!

    tão bom como da primeira vez!

    pelos vistos aquilo é muito in, e cai lá a malta fina toda que vai passar férias a porto covo e arredores. chama-se " cervejaria marquês" e fica situada no largo do marquês de pombal, no centro de porto covo. não tem só marisco, também tem outras especialidades de comer e chorar por mais. o marido babou-se todo pros bifes dos vizinhos da mesa do lado, que até camarão traziam!

    recomendo!

    ...e finalmente retornamos àquele pedaço de paraíso no meio do alentejo!

    lá estava, tal e qual como o tínhamos deixado o ano passado. tal e qual que é como quem diz, pois houve umas melhorias nas instalações por aqui e por ali.
    chegamos lá já tarde, já pairava no ar o cheiro daquele que é o prato tradicional da galé: frango assado à barrigudo!

    o acesso à praia não está tão mau como no ano passado, mas até eles taparem os enormes regos causados pela chuva, é preciso alguma ginastica e equilibro para chegar lá abaixo. isso, ou usar os degraus do outro lado do parque, mas a descer, são francamente assustadores. a parte boa é que aquilo assim desencoraja muita gente a ir para a praia ^^
    não posso apanhar sol nas virilhas por causa da dep. a laser. é um bocado chato estar a torrar ao sol com uma t-shirt a tapar-me as partes (o WW pouco o nada cobre, coitadinho), e o bronze fica esquisito, mas é por uma boa causa he he e mesmo assim, para reforçar a protecção, arranjei um SPF 30...mas depois descobri que aquilo tinha o seu quê de auto-bronzeador...não sei o que é pior :P

    ...e sem televisão, sem internet, sem playstation, é o povão fez as "delicias" da nossa estadia, pois acabamos por ficar atentos a tudo o que se passa à nossa volta:

    situação 1:

    na segunda noite, as tantas da madrugada, o vizinho de cima abre os pulmões e manda um berro aos vizinhos lá de baixo, que não se calavam:

    - CALUDA!

    os outros estrebucham, mas reduzem o barulho. e um quarto do parque agradece!

    situação 2

    nos wc's dos balneários femininos, por volta da meia-noite. entram duas gajas, e uma diz:

    - ai pá, tenho que tirar esta "ovelha" de dentro!

    situação 3

    ...e que me enervou até à raiz dos cabelos. balneário das gajas, where else! três pindéricas trintonas, acompanhadas pelas pindéricas das filhas (uma cada). cada uma mete-se no seu balneário, ocupando metade daquela merda à cabeça. as mães ficam cá fora...para passar os frascos de champoo e gel de banho e roupa por entre as meninas! levam demasiado tempo a tomar banho e a gritaria que produzem começa a dar-me dores de cabeça: "OH MÃE PASSA-ME O CHAMPOOOO", "Ò MÃE PRECISO DO GEL. DO GEEEEL", "ÓÓÓ MÃEEEEE ONDE ESTÁS!", "MÃÃÃÃÃÃEEEEEE".... e se fosse todas pro $%%# que as /&)/(/&?

    vou pra lá há três anos e nunca apanhei tal rebaldaria e falta de respeito pelas outras pessoas. se não se tinham enfiado nos duches aos pares. eram crianças, for crissake!

    começa a formar-se fila para o duche.

    depois saem as filhas e entram as mães.

    a fila pro duche já chega à rua, o gajedo bufa. memórias do temível mês de agosto emergem-se-me na mente.

    entretanto chega a minha vez. não levo muito tempo, até porque estou a morrer de fome.

    saio de lá, o que é que encontro? aquelas putas, que não tem outro nome, açambarcaram por completo a bancada dos lavatórios, que ainda é grande.
    por ela amontoam-se sacos e mais sacos, frascos e boiões de todo o tipo... e roupa, muuuita roupa. para além da bancada, monopolizam também todas as tomadas para carregarem os telemoveis, e eu preciso duma para secar o cabelo.
    levam ali à vontade 15mn. penteiam-se, enchem o cabelo de porcarias, besuntam diferentes partes do corpo com diferentes tipos cremes, perfumam-se, vestem-se, lavam os dentes, lavam os fatos de banho, tudo nas calmas. e que galinhas pá, parecia a feira!

    ..e eu ali ao lado, claramente a precisar de espaço para terminar o que tinha ido ali fazer. as veias no meu cérebro parece que vão explodir a qualquer momento.

    e elas, perfeitamente conscientes da minha presença, ainda diziam umas prás outras: "ai, ocupamos isto tudo, temos que nos despachar!" mas tarem a dizer isto ou tarem-me a mandar ir pastar tinha exactamente o mesmo significado.

    finalmente arrumam as tralhas e partem. restou uma outra pindérica, que não pertencia ao grupo. um bocado badalhoca, esta. sempre que ia ao balneário, apanhava a gaja lá, quase sempre nua. uma das vezes, de perna alçada, pé apoiado no lavatório, a espalhar creme...é que se ainda fosse boa...
    (minutos antes, tinha apanhado esta "coisa" a regressar da praia, a arrastar a filha de dois anos pelo braço e a prometer-lhe "uma lambada" caso ela não se calasse. a miúda era bem querida, fiquei com pena por lhe ter calhado na rifa uma mãe tão calházona, sempre a gritar com ela e a trata-la mal...)

    o marido, que esperava pacientemente por mim, contou-me que cá fora, o gajedo só cascava nas pindéricas. afinal não foi só impressão minha!

    situação 4

    vizinhos de cima tentam fechar a 3 segundos e não conseguem, o tom de voz em que comunicam vai subindo gradualmente. o marido, habituado a salvar o dia aos campistas donos daquelas tendas, decide ir ajudar.

    afinal não consegue dar grande ajuda porque calha aquela tenda ser um modelo novo que se fecha de modo diferente. fica ali um bocado a mandar uns bitaites e depois despede-se, lamentando não ter sido grande ajuda, ao que o vizinho lhe responde:

    -nah, ainda bem que viste, se não saíamos daqui à batatada!

    situação 5

    gajo com ar de pimpalhão, nos seus trintas, com um rolo de papel higiénico na mão, acompanhado pelo pai, típico tuga cinquentão, barrigudo, vestido de alto a baixo à selecção nacional, a uns 10 metros do seu acampamento, grita:

    - Ó PAULA! QUANDO EU CHEGAR, QUERO OS CARACÓIS NA MESA, OUVISTE?

    íamos com o mesmo destino deles, e minutos depois, quando saio do balneário, ouço a peça, que também vinha a sair, comentar com o pai:

    - "foi falso alarme eh eh eh, dei só uma mijinha!"

    só não assisti foi à reacção dele, ao chegar ao acampamento, pois a Paula ainda não tinha os caracóis na mesa. faço ideia a indigestão que devem ter apanhado, depois daquele jogo que eu felizmente não vi. mais tarde o marido comentou que eles não fizeram outra coisa no wc se não peidarem-se..

    estes campistas foram alvo da nossa curiosidade desde o dia 0, pois tinham um acampamento deveras interessante: tinham uma carrinha com arca frigorífica cheia de comida e apetrechos, uma tenda pequena, e um colchão insuflavel alto no qual dormiam... ao relento! e tinham uma colcha com as cores da selecção! belo festim deve ter tido a mosquitagem praqueles lados lol
    ...e mais, tavam sempre, sempre, a ver TV
     na maior parte do tempo só costumavam lá estar um casal de cotas, mas volta e meia, a prole aparecia.

    deve ter havido mais, mas não me lembro de tudo...acho que vou começar a levar um bloquito de notas e tirar uns apontamentos he he he

    e claro, não vejo a hora de lá voltar! hi hi hi

    ...agora, tenho que aprofundar esta minha teoria de que acampar produz uma série de pesadelos estúpidos, tanto em mim como no marido. é que nunca falha!

    090 - Tirar o distico de morador para poder estacionar o carro nos parques da zona

    perdi uma hora da minha vida e risquei mais uma coisa da lista.

    apesar disso tenho continuado a estacionar à porta de casa, numa zona onde supostamente não se deve estacionar. não se deve, mas está sempre cheio de carros!

    ontem tinha preso ao pára-brisas, um aviso todo lame dessa maravilhosa instituição que gere o estacionamento em almada, a me explicar as razões pelas quais eu não devo ter o carro estacionado naquela zona e a pedir a minha compreensão.

    eu entendo, eu juro que entendo as vossas razões. eu já tinha reparado que a calçada está a ceder devido ao peso dos carros e que aquilo foi concebido só para peões, e que as únicas excepções são veículos em serviço de urgência, cargas e descargas, entidades publicas, etc etc..

    o que vocês têm que entender é, se eu vejo carros ali estacionados, claramente a ignorar os vossos pedidos, fico cheia de comichões, porque da forma como eu vejo as coisas, o meu carro tem tanto direito de estar ali como os outros. se eles estacionam, porque é que eu não hei-de estacionar também? não é por eu deixar de estacionar ali que os outros vão deixar de o fazer. além disso, eu só comecei a estacionar ali porque outros já o faziam há meses!

    então eu sugiro o seguinte: vocês espetam as merdas das barreiras de uma vez por todas, e nem estacionam os outros nem eu. é tão simples como isso!

    Shopping spreeee weeeeeee!

    já constatei que deu praí uma virose nas gajas, que andou tudo a peregrinar pelas lojas he he

    como eu tinha dito aí há umas semanas, andava de apetites a um shopping spree e o marido fez-me a vontade.

    ele quis começar pela miss sixty, a uns metros aqui de casa. devia ser proibido ter lojas daquelas perto de casa. a tentação é grande.. e foi a ultima vez lhe resistimos!
    de lá veio um vestido lindo, lindo! uns jeans lindos, e um par de sapatos que eu já tinha andado a babar na montra da loja do saldanha residence (por azar também tenho uma miss sixty pertissimo do trabalho), e que pelos vistos, o marido também já tinha babado.

    depois, ao colombo (porque o forum almada só tinha merda), às lojas do costume, pull&bear, zara, mango, bershka, stradivarius, h&m. mas fiquei um bocado desiludida com a oferta da maioria das lojas, as ultimas três então estavam uma desgraça...

    no alegro ousei entrar na desigual...meu deus..é o paraíso do desconcertanço. a loja tá atafulhada de peças geniais, com cortes geniais, e padrões geniais. é um bocado cara, mas epá..vale a pena. trouxe uma saia genial, e um top igualmente genial. fiquei fã!!!!

    fez-me bem à alma lol mas ainda faltou comprar um casaquinho que condissesse com algumas peças que trouxe...vida de gaja é lixada..falta sempre alguma coisa para combinar com outra... e vi uns oculos de sol liiindos...mas eram tão carooos :(

    fiquei chateada foi com uma coisa. adoro aqueles vestidos compridos que se vêem muito por aí agora. adoro. mas experimentei uns quantos, e a desilusão foi grande...porque é que eu não sou 10cm mais alta? porquê? é que nem com as bainhas feitas se eles me assentavam bem... chuinf :'(

    e o pior de tudo...anda aqui uma pessoa há um ano a tentar convencer o gajo a comprar uns crocs bem feiosos, e quando ele finalmente se decide, experimenta aquilo a bem experimentar, e chega a triste conclusão que, por ter os dedos grandes dos pés mais pequenos que os outros dois, os crocs tornam-se extremamente desconfortáveis, tipo, os dedos até saem pelo buracos da frente..oh well!

    Long time no see!

    antes que mais, a "pausa" deveu-se a uma combinação de cansaço e problemas nos olhos. apesar do afastamento forçado, o problema não ficou resolvido, custa-me imenso manter os olhos focados no ecrã, que começam aos saltos, e ardem-me, e farto-me de lacrimejar, depois fico com dores de cabeça... e se isto não passar, terá que ser visto..ainda no mês passado estive no oftalmologista e estava tudo bem :P

    anyway, há muita coisa para contar e para não massacrar a malta, vai sair tudo às postas!

    19 de Junho de 2008, às 20:32link do post comentar

    Coisas completamente podres que eu já gostei!

    I'm blue da ba dee da ba die...

    Eiffel 65 - Blue

    Foi um hit há uns anos atrás. O music video é uma verdadeira obra de arte *NOT* mas pronto, temos que dar um desconto devido à idade ^^

    404 Not Found!

    já recebi umas reclamações de que aqui o tasco não tem andado a prestar um bom serviço à comunidade... é simples! eu explico:

    no fim-de-semana passado notei uma coisa nova nas configurações do blog: a possibilidade de associarmos um domínio próprio ao blog. e eu quis experimentar, claro!

    mas esqueci-me de uma coisa a modos que pró importante... eu estava a utilizar o domínio noutro servidor, onde tinha todas as fotos e materiais aqui do blog, e inclusive estava a fazer redireccionamento.

    então, das duas uma: ou tinha que mudar todas as localizações das imagens e outras coisas que tenho alojadas no servidor debaixo daquele domínio, ou tinha que fazer marosca, de modo a utilizar o mesmo endereço com duas finalidades diferentes. optamos pela via mais fácil, a da marosca.

    então... com www vamos parar ao blog do sapo e sem www ao meu servidor.

    mas a coisa não foi pacifica.. havia inconsistências no código do blog e o marido teve que andar a chafurdar para fazer umas alterações e houve coisas que escaparam, como os links partidos na página das tags, dos smileys nos comentários, e dos feeds nalguns leitores.

    a questão dos feeds era externa e já foi resolvida (penso eu de que...), mas as outras duas crises ainda estão por resolver, à espera que o marido arranje um tempito para se dedicar aquilo.. (ele prometeu-me que este fim-de-semana fazia isso ^^)

    5 de Junho de 2008, às 19:05link do post comentar ver comentários (5)

    Ai..ai...

    ...há duas coisas que eu preciso neste momento..um shopping spree e...FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS, FÉRIAS!

     

    neste momento, a única coisa que gostaria de estar preocupada é com a marca do bronzeador que vou comprar para este verão... mas não, se quero entrar com o pé direito nas férias ainda tenho um milhão de cenas para deixar resolvidas até sexta...buááááá!

    já ando a bater mal e tudo. ontem à noite foi lindo: cheguei a casa às nove, deitei-me no sofá, ainda disse "tenho que telefonar a minha mãe" e caí pro lado. acordei à meia-noite para jantar e à uma tava novamente a dormir... e hoje deve ser parecido lol

    e depois das dores no pescoço e ombros da semana passada, é a vez dos olhos. pensava que hoje já tivessem melhores mas não, continuam os espasmos e agora nem sequer consigo olhar fixamente para algo, que eles começam-se logo a "torcer" feitos parvos :P

    4 de Junho de 2008, às 12:53link do post comentar ver comentários (5)

    'Le me

    tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

    no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

    offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

    bucket list

    'Le liwl

    era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

    muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

    seguir nos blogs do sapo

    Follow follow us in feedly