Na Cortesia do Maranhão...

e quando pensávamos nós que já conhecíamos tudo o que era hotel giro no alentejo, o marido, à caça pelo sitio perfeito para a celebração do nosso 10º aniversário, tropeçou na herdade da cortesia, nas margens da barragem do maranhão, a um passo de avis.

ficamos os dois convencidos pelas fotos dos quartos e somewhat intrigados com a arquitectura do hotel, então decidimos marcar uma noite.

o que fomos encontrar, superou - DE LONGE - as nossas expectativas. é que dizer que o hotel é fantástico não chega..

 

descobrimos meio do alentejo profundo um verdadeiro oásis: um pequeno complexo vanguardista mas perfeitamente integrado na paisagem envolvente. composto por 30 quartos térreos que acompanham o declive do monte, distribuídos por três braços, todos com ligação ao exterior e ao edifício principal, de linhas curvas e cuja fachada forrada a madeira é absolutamente genial, e no extremo oposto uma piscina deliciosa que se confunde com o céu, tudo rodeado por um belíssimo jardim.


 infinity pool

 

mas não é só o exterior que é bonito. por dentro, o moderno e o acolhedor misturam-se na perfeição, criando uma atmosfera bastante confortável.

 

o primeiro andar está reservado ao restaurante, com uma esplanada por cima dos quartos, com vistas panorâmicas de cortar a respiração (pena os postes de iluminação pública).

 

aquando da reserva pedimos o quarto que mais nos agradou pelas fotos e foi esse mesmo que nos deram. 

 

transbordava luz, bastante espaçoso e acolhedor, decorado com muito bom gosto e cheio de pormenores. a cama enorme e confortável, quando nos atirávamos para cima dela, apetecia pouco a levantar.

details awesome bathroom evah!!

 

equipado com uma casa de banho linda, mas tão linda que foi onde perdemos mais tempo a tirar fotos. tinha uma janela enorme com uma vista sem igual. tomar um duche demorado enquanto assistíamos um pôr-de-sol fabuloso é uma experiencia que nunca tinhamos tido e nem tão cedo nos vamos esquecer.

a bathroom with a view

 

e morfes? o pequeno-almoço, bastante completo e recheado de produtos da região, sem hora marcada para tomar, o que é raro. é extremamente chato quando temos que sair da cama cedo se quisermos apanhar pequeno-almoço.. mas ali, podemos ficar na ronha à vontade, sem pressas.

o serviço de bar, espectacular, as sandes e tostas em pão alentejano enormes, uma chega à vontade para duas pessoas. 

apenas devo confessar que esperávamos um bocadinho mais do restaurante. a descrição dos pratos era bastante aliciante e os preços assim para o puxadote.. a comida estava boa, mas faltava-lhe qualquer coisa..   

 

e a simpatia? nunca encontramos igual em todo o portugal que já corremos. todo o staff de uma amabilidade espantosa, e o melhor de tudo: disseram-nos que podíamos fazer o check-out quando quiséssemos (o que aconteceu às oito da noite). ficamos completamente rendidos!

 

tanto que nem saímos do hotel. deambulamos entre o quarto, o jardim a piscina. não apetecia sair dali, nem sequer fomos conhecer a vila de avis ou andar de canoa na barragem.

uma tranquilidade excepcional, perfeito para relaxar dos stresses do dia-a-dia. ficamos cheios de pena por só termos lá estado uma noite.. da próxima vez serão três no mínimo. garantido!

Susto..

no mês passado fomos com o furacão ao veterinário. consulta de rotina para ver como é que ele se está a portar.

 

a ultima vez que o vet lhe tinha posto os olhos em cima foi em fevereiro passado, quando ele começou com os ataques motivados pela doença no pâncreas. desde essa altura que está a ser medicado duas vezes ao dia, e tem-se estado a aguentar, algo que eu não tinha gandes esperanças. 

 

nem eu nem o vet, que ficou deveras surpreendido de vê-lo com tão bom aspecto. segundo ele, não se lembra se alguma vez viu um furão tão velho (7 anos e meio) com os problemas que tem (pâncreas, coração, adrenal, baço) com tão bom aspecto. à parte das presas gastas e amarelecidas, e de cataratas num olho, ele está impecável. continua com um pelinho espectacularmente denso e brilhante, e com apetite voraz, nada típico de um furão com tanta maleita.

 

o vet acha que ele tá-se a aguentar tão bem por causa dos cuidados que temos tido com ele. por acaso temos feito tudo o que está ao nosso alcance no que diz respeito à saúde dele. consultas de rotina com analises, rx, ecografias a tudo o que é possivel fazer, o que nos tem permitido apanhar doenças em fases iniciais e dar-lhe tratamento adequado (implante, beta-bloqueadores, prednisolona).. enfim, umas valentes pipas de massa por um animal tão pequeno. mas não costumamos olhar às despesas, se é pelo bem estar dele, siga!

 

a minha maior preocupação quando lá estive é se ele estaria a sentir dor, mas o vet achou que não. e se come e faz as necessidades como normalmente, é bom sinal.

 

só houve uma coisa que ele nos disse que me deixou preocupada. que estes gajitos agarram-se à vida com um força fora do comum e é frequente os donos terem que tomar decisões difíceis, porque eles simplesmente não se deixam ir..

ontem de madrugada tivemos a prova vida disto.

 

seriam umas duas e meia da manhã ouvimos um grito aflitivo vindo do quarto, parecia quase um gato assanhado a lutar com outro. fomos ver o que se passava e encontramos o bixo num estado que nem sei bem como descrever.. parecia que o estavam a matar. ginhachava, contorcia-se todo.. tanto que era difícil agarra-lo.

 

trouxemo-lo para a sala e ficamos a segura-lo no lugar enquanto ele tinha ataques sucessivos, completamente diferentes daqueles que estávamos habituados. durante duas horas, o bixo parecia literalmente que nos estava a morrer nas mãos. de certeza absoluta que estava a sofrer com dores excruciantes...mas àquela hora era escusado chatear o vet dele.. leva-lo a um vet normal também não era opção porque não sabem o que fazer com eles..

 

por volta das cinco e meia da manhã acalmou finalmente. mas não tinha reacção, o corpinho delgado dele estava hirto, não se mexia, apenas ofegava e lamentava-se. pensamos mesmo que estávamos a perde-lo..

 

deixamo-nos dormir na sala com ele ao lado. quando acordamos de manhã cedo, ele continuava deitado na mesma posição, vivo! 

finalmente aceitou água e tomou logo a medicação, a qual engoliu como se estivesse esfomeado.

 

passado algumas horas estava a fazer a vida habitual: comer, sujar a casa de banho, e andar a entrar e sair de dentro do sofá. está aparentemente normal e sem indícios do que se passou na noite anterior.

 

...realmente são mesmo uns animais com uma capacidade de recuperação incrível. mas segunda temos que melgar o vet, tenho cá para mim que isto é capaz de se repetir..

10 de Setembro de 2011, às 18:40link do post comentar ver comentários (2)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly