Decisions, decisions..

novembro, ou o mês mais destrambelhado da história, fez com que metêssemos uma pausa no menu diário de transportes públicos. porque tínhamos que ir ao parque das nações três vezes ao dia; porque estávamos a terminar projectos que obrigaram a umas quantas noitadas; porque veio o codebits e nunca havia hora para regressar a casa (quer dizer, havia.. 2, 3 da manhã :P); porque meteu-se a holanda pelo caminho.. puff!

 

foi-se novembro e chegou dezembro. o passe do marido expirou e ele nunca mais ia tratar da renovação e a saga continuou. em janeiro andávamos cansados do trabalho e sabia muita bem meter-nos no carro de manhã e à noite. em fevereiro foi o frio que serviu de desculpa..

 

até sou uma pssôa cheia de boas intenções e queria atinar com os horários, para ver se apanhava os períodos de maior frequência dos transportes, mas não vale a pena, largo *sempre* o trabalho a umas horas de merda, e levar quase hora e meia para chegar a casa não é das coisas que mais me excita, especialmente durante o inverno.

um autocarro ou metro que nunca se sabe quando aparece, que as carreiras estão cada vez mais reduzidas, um barco de demora uma eternidade a atracar, o desconforto das viagens, as horas perdidas em transbordos, a manada que se arrasta e mais parece que está a caminho do matadouro.. morre-se um bocadinho todos os dias nisto :P
nestes seis anos de deslocações diárias entre almada e lisboa já tentei todas as combinações possiveis e nenhuma é minimamente decente.. 

 

então comecei a fazer contas à vida.

 

claro que levar o carro fica mais caro.. duas vezes e meia mais caro.. mas... à noite percorro os 13km que separam a casa do trabalho em 15 ou 20 minutos em vez de uma hora e tal.. notamos um aumento tão grande na qualidade de vida que caguei mesmo pro preço a pagar. a sério!

 

entretanto oficializamos a coisa e arranjamos uma avença mensal num parque perto do trabalho, o que baixa bastante a despesa.
assim, de manhã levo 20-30mn a chegar e à tarde 15-20mn a regressar.. até nos dias que tenho apanhado trânsito na ponte demoro menos que se fosse de transportes. e a avença pode ser cancelada a qualquer momento sem problemas, por isso, tásse!

 

o cascas, poupadinho como é, ajuda a tornar isto possível w00t

29 de Fevereiro de 2012, às 20:26link do post comentar

Tou desolada com este tempo..

adoro sol e adoro calor, mas isto assim não tá com nada.. o alentejo está uma desgraça por causa da falta de chuva, tudo seco e sem vida.. não gosto :(

 

não tenho memória de um inverno assim... recordo alguns quentes e com pouca chuva, mas nada como isto. espero que abril faça valer a sua fama, caso contrário, tamos bem tramados :P

    27 de Fevereiro de 2012, às 22:25link do post comentar ver comentários (1)

    Lost in... the market!

    ora bem, o consumo de vegetais na nossa dieta é uma coisa parva, e vegetais quando mais frescos, melhor. daí termos há uns tempos, alinhado uma daquelas iniciativas que promovem a agricultura local e vendem cabazes hortículas.

     

    infelizmente o cabaz veio a revelar-se desajustado às nossas necessidades..

     

    primeiro, e como eles bem dizem no site "grupo de pequenos produtores (...) para melhorar o escoamento das suas produções", às vezes os vegetais vinham com cara de poucos amigos e se não fossem logo consumidos, estragavam-se.

     

    segundo, não podemos escolher os vegetais queremos receber, nem quantidades. existe uma lista onde podemos assinalar cinco produtos que não queremos mesmo, e é isso.. vai daí, aparecia muita coisa que não faz parte da nossa alimentação, tipo alface, agrião (odeio), favas (blargh), fruta que não gostamos, feijão seco, etc etc e falhamos constantemente a adaptação às coisas novas..

     

    terceiro, tinha que ir a azeitão buscar o cabaz. ainda são 40km...

     

    quarto, tinha que ir ao supermercado à mesma, buscar os veggies habituais que falhavam..

     

    como não estava a ser grande negócio para nós, desistimos e voltamos à estaca zero.. que é como quem diz, ao supermercado. até que há uns fins-de-semana atrás descobri..

     

    O MERCADO!

     

    o mercado era um daqueles sítios onde costumava ir com a minha mãe ou avó, quando era novita. lembro-me que gostava daquele corrupio todo de pessoas em redor das bancas de peixe e de hortaliças, apesar de levar altas secas enquanto as comadres punham a conversa em dia.
    depois cresci e o hábito perdeu-se no tempo.. passei a frequentar os supermercados, mais cómodos e sempre disponíveis..

     

    ..que também têm as suas desvantagens. à noite por exemplo, que é quando costumo ir fazer compras, os vegetais já estão muito remexidos e com mau aspecto e a variedade deixa muito a desejar. temos uma fruprogress perto de casa mas apercebi-me que não há grande diferença entre comprar lá ou no supermercado... e tem mais fruta que outra coisa qualquer.

     

    desde que vivo em almada, há 10 anos, tinha ido lá praí duas vezes, apesar do marido estar sempre a insistir para irmos e só ficar a 300m de distância de casa. só que a preguiça é cadela, e se durante a semana é impossível, ao sábado boa sorte em arrancarem-me da cama antes das duas da tarde.. true story!

     

    até que ao segundo sábado deste janeiro, uma manhã em que saí da cama disparada para ir fotografar nevoeiro, apanhamos o mercado aberto e paramos para ir comprar peixe para o almoço..

     

    passei-me!

     

    com a quantidade de vegetais deliciosos que vi à venda. só não vim carregada de goodies porque tinha ido abastecer-me no supermercado havia pouco tempo. mas ficou combinado, que no sábado seguinte, o marido iria arrancar-me da cama cedo e íamos tomar aquilo de assalto. e assim foi!

     

    ..e assim é!
     

    desde esse sábado que temos voltado lá todos sem excepção. venho de lá sempre carregada com quilos de vegetais frescos e deliciosos e peixinho boooom. é AWESOME!

    praça FTW

     

    estabelecemos uma rotina que consiste em dar uma volta pelas bancadas todas e identificar onde vamos comprar o que precisamos. não ligo aos preços, pois anda tudo pela mesma bitola. compro onde me parece mais fresco e apetitoso. 

     

    a simpatia é outra coisa que me agrada bastante. não há a impessoalidade das grandes superfícies, os vendedores começam a conhecer-nos e a saber os nossos hábitos de consumo e a darem-nos dicas. and again, é AWESOME!

     

    espero que isto de ir ao mercado se torne um hábito enraizado e não mais uma das nossas fases passageiras, porque apesar de ter que acordar cedo ao fim-de-semana compensa MUITO. não só na factura de vegetais como também na qualidade e sabor das nossas refeições \m/

    25 de Fevereiro de 2012, às 11:23link do post comentar ver comentários (2)

    O FoodNetwork tá a dar cabo de mim!

    devoro aquilo e depois fico cheia de vontade de m'ir agarrar aos tachos.. já nem me lembro quando foi a última vez que o marido fez o jantar sozinho!

     

    então hoje fomos ao supermercado do el corte inglés buscar um pimento pró hóme fazer arroz de peixe para o jantar, e aproveitar para ver se tinham lá ingredientes rebuscados daqueles que os vejo usar nos programas, tipo buttermilk, sour cream, ervas frescas esquisitas e especiarias etc.. para fazer umas experiências.. e tinham... e eu trouxe \m/

     

    a meio do passeio, o marido lembrou-se que tinha almoçado arroz de pato e de repente já não lhe apetecia jantar arroz de peixe. queria carne!

    mas carne foi o meu almoço... 

     

    fomos espreitar o marisco e decidimos a ementa: shrimp skewers!
    o bobby flay faz umas bem fixes :D 

     

    o marido arranjou o camarão e eu afoguei-o uma marinada de azeite, limão, alho, piri-piri, ervas e sal. como acompanhamento saiu cebola e cougette. costumo unir vegetais com palitos porque torna-se mais fácil virá-los na chapa. fatia a fatia é uma seca.
     


    enquanto o camarão ensopava a molhanga, fiz o dip sauce: sour cream (que é basicamente iogurte natural sem açúcar), endro fresco, limão, sal e pimenta. mil vezes mais fresco (e melhor) que maionese!
     


    seguiu-se o processo de montagem das espetadinhas e siga prá chapa quente!
     


    simples, rápido e resultado delicioso, o marido até sopas no molho com pão fez :D
     



    e para terminar o repasto, uma sobremesa de iogurte grego, mel (de alecrim) e nozes. não é preciso dizer o quanto guloso isto é pois não?



    tou completamente fã de iogurte natural grego :D'''

    e mais uma vez, fui eu quem preparou o jantar!
    a fussanguice é tanta que daqui a nada tenho o homem chateado comigo porque não o deixo cozinhar muhahahaha oh well, sobra-lhe a loiça e as fotos 

    mais fotos do petisco por aqui

    Lontras @ Fluviário de Mora

    há uns dias atrás apanhei na fugas que tinham nascido três lontras no fluviário de mora. ora nós, fãs supremos de mustelídeos que somos, ficamos logo em pulgas para ir vê-las ao vivo e a cores, e de preferência, ainda pequenitas!

     

    então hoje foi o dia escolhido. fizemo-nos à estrada por volta do meio-dia e às duas da tarde estávamos lá, prontos para a visita. demos duas voltas completas ao fluviário. vimos peixes de vários tamanhos e nacionalidades, repteis e anfíbios, mas de lontras, nada.. as marotas tavam recolhidas ao ninho.. se forem parecidas aos furões passam uma *boa* parte do dia a dormir e só estão activas à tardinha..
     

    oh!

     

    depois de muito tempo com o nariz colado a um aquário vazio e prestes a desistir, eis que dois bichinhos peludos saltam da toca.. a espera valeu a pena!

     

    destas ainda nunca tinha visto ao vivo. são *tão* ágeis, deslocam-se com uma fluidez incrível tanto dentro como fora de água, nadam rápido que se fartam e.. fazem o "submarino" :')

    lontras

    as crias são mesmo muito fofas. apesar de ainda não se atreverem a deixar as redondezas do ninho para se irem enfiar na água, enquanto estiveram acordadas encheram a barriga de brincar, andavam sempre engalfinhadas umas nas outras, e encostavam-se ao vidro, curiosas com o reboliço dos visitantes. too cute!!!

     

    fiquei desiludida por não ter visto nenhuma lampreia (peixe carinhosamente apelidado -por nós- de "olho-do-cú com dentes"). é que eles têm lá uns painéis informativos sobre a espécie e gostava de ter apanhado uma colada ao vidro do aquário he he he

     

    o fluviário está actualmente em obras de expansão e o lago estava um bocado desfalcado. estão a construir um lontrário enorme e vão fazer do actual um aquário para peixes de grandes dimensões. vamos ficar atentos, porque quando as obras terminarem, voltaremos para ver as novidades. 

     

    e pode ser que até lá arranjem outra lampreia :D

     

    fotos no sítio do costume, e em extended version no meo kanal (botão verde + 469077)

    Ups!

    sou mac user faz precisamente 8 anos!
    comemoro a data apanhando pela primeira vez, um parasita num aparelho da apple... BRUTAL!

     

    entusiasmo-me com coisas estranhas eu sei, mas.. não é para menos, que os macs têm a fama, e eu confirmo, que são imunes às típicas viroses. já passei pelos vários sistemas e nunca apanhei tal coisa e eu navego por mares muito duvidosos. foram precisos 8 ANOS e um fuck up!

     

    atacou o que menos se esperava: o iphone!

     

    há uns meses atrás decidi mudar de operador, e como a optimus me pediu 130€ para desbloquear o iphone, fiz-lhes um manguito e tratei eu do assunto.

    ora, o jailbreak é um whole new world e durante os primeiros tempos experimentei algumas apps, quem sabe uma ou outra de origem duvidosa. cena mesmo à n00b, totalmente a pedi-las!

     

    meses depois, eis que sou alertada que o meu querido telefone andava a causar distúrbios nas redondezas e foi mesmo "DAFUQ? como é que isso é possível?".. pois, alguma das porcarias que instalei deve ter deixado a porta aberta e.. BAM hoje foi o dia!

     

    lição aprendida: muito cuidadinho com a merda que se mete nas máquinas.

    agora, tratar de fumigar o gajo!

    16 de Fevereiro de 2012, às 22:28link do post comentar ver comentários (1)

    'Le me

    tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

    no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

    offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

    bucket list

    'Le liwl

    era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

    muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

    seguir nos blogs do sapo

    Follow follow us in feedly