O meu homem faz-me cabelos brancos..

srly.. tenho dez (um para cada ano de relação) e cheira-me que ontem deve ter nascido o décimo primeiro!

 

ainda tou parva com a rapidez com que tudo aconteceu. voltávamos da terrinha, quando ali prós lados de s. teotónio o marido começa a rabiar no banco.. num momento diz que está a sentir desconforto estranho na zona dos rins, no outro está mandar-me parar porque não aguenta com as dores e sente-se mal disposto.

 

doía-lhe tanto que mal conseguia falar e nem sequer encontrava posição confortável para estar, nem em pé, nem sentado, nem deitado.. sem perceber bem o que se estava a passar com ele, só havia uma coisa a fazer: voar para o hospital mais próximo.. que ainda ficava a alguns 70km de distância :P

 

ora, conduzir durante quase uma hora com alguém ao lado a torcer-se todo com dores não é uma experiência particularmente divertida.. e a estrada que decidi tomar por ser a mais curta tinha demasiadas curvas para a velocidade que gostaria de manter..

 

finalmente lá alcançamos o hospital. na triagem deram-lhe logo uma injecção intramuscular para aliviar as dores e disseram que tinha todo o ar de ser uma cólica renal. àquela hora da madrugada não havia exames para ninguém, mas fizeram uma análise à urina para ver se havia vestígios de sangue, que veio positiva e reforçava a ideia de cálculos renais. disseram-lhe para confirmar assim que possível com uma ecografia, e pronto, dali ficou despachado. 

 

conseguimos chegar a casa, mas o resto da noite não foi nada pacífico..

 

na manhã seguinte deixei-o no hospital, onde passou o dia entre vómitos, consultas, análises e exames, até que foi confirmado o diagnóstico da noite anterior. o culpado pelas dores excruciantes da noite anterior encontrava-se agora na bexiga mas ainda tinha o rim direito dilatado devido à obstrução. encharcaram-no de drogas e a coisa ao fim do dia tava melhor.

 

mais cedo ou mais tarde, aquele calhau vai ter que sair. sugeri-lhe que desse uns saltos para tentar desfazê-lo, que se aquilo se lembra a sair inteiro é capaz de provocar umas certas dores.. ah! e dei-lhe também um coador, pois gostava de conhecer pessoalmente o responsável pelo stress da noite anterior :D 

 

opá, tadito.. descobriu que tem uma fábrica de gravilha nas entranhas!

31 de Julho de 2012, às 22:24link do post comentar ver comentários (2)

DA FUQ?



srly?

31 de Julho de 2012, às 16:14link do post comentar

Primeiro tralha-se, depois destralha-se!

como anda por aí tanta malta empenhada em praticar o estilo de vida minimalista, achei que seria interessante partilhar um blog onde encalhei há uns dias: unfuck your habitat!

 

aborda o tema do "destralhamento" e da arrumação da casa de uma forma descontraída, sem rodeios e bem humorada. há espaço para a troca de experiências, histórias de sucesso e desafios aos leitores. tem sido só rir com isto :D

    30 de Julho de 2012, às 13:20link do post comentar

    Constatações I

    se eu não fosse tão impaciente tirava fotos melhores :D

    25 de Julho de 2012, às 20:50link do post comentar ver comentários (1)

    Pronto.. já não há desculpa para não ir a Londres!

    ISTO!

    ..e se começarem a fazer entregas a partir do uk para toda a europa, vai ser a desgraça total :D

    We... are... your friends...

    a propósito da presença dos justice no alive, que nós passámos por uma porrada de motivos..

     

    quando há uns anos atrás o marido conheceu a banda ficou doido, não havia muita coisa que se parecesse com aquela sinfonia explosiva que eles produziam, electro maximal aos ouvidos de um ex-metaleiro soa a mel. 

    já eu andava numa fase em que não aceitava coisas novas de bom grado. já me tinham falado neles, mas na altura achei.. acriançado ( LOL - só ouvi a D.A.N.C.E., vá :D) então pus de parte. mas quando ele me apareceu com aquilo em casa e disse o que era, fiquei "whoa! isto é justice?!"

     

    mesmo assim ainda levei algum tempo a habituar-me àqueles rugidos electrónicos distorcidos.. mas entranharam-se-me e não tardou muito até que os álbuns deles fizessem parte da nossa colecção. 

     

    o  tem um som poderosíssimo mas agressivo pa cacete, não é para qualquer ocasião.. por exemplo, está proibido de tocar no carro a certas horas mas é obrigatório noutras. se me ponho a ouvi-lo quando estou no meio do trânsito fico com instintos homicidas, dá-me ganas de levar tudo à frente.. mas quando vou a cair de sono e não posso parar para descansar, aquilo é a minha salvação!

     

    o a cross the universe (álbum ao vivo) faz-se acompanhar por um documentário sobre a tour norte americana que me deixou estupefacta. ao ver aquilo fiquei com a sensação de que os putos até tinham o que era preciso, mas aquele comportamento auto-destrutivo ia acabar com eles num instante.. vai daí ter ficado genuinamente surpreendida quando o civilization saiu, nem queria acreditar que aquele par de doidos tinha-se atinado e estava a compôr um álbum novo.

     

    o audio, video, disco não tem metade da agressividade do primeiro mas não creio que tenham quebrado com o estilo, que aquilo transpira justice por todos os poros e tem o toque francês em todo o seu esplendor.. está é bem mais ligeirinho e com um pormenor brutal: parece aqueles moços que pegaram nas pás dum desfibrilhador e mandaram um choque no rock a ver se o traziam de volta. ouve-se por ali com cada malha sintetizada mais potente que eu sei lá, especialmente na new lands :D 

     

    mas ao vivo é que a coisa falha.. puxei alguns live acts desta última tour e não achei nada de especial, falta-lhes "um bocadinho assim"..

    4!

    custa a crer que já lá vão 4 anos.. parece que foi ontem hi hi hi

    gosto tanto, mas taaaanto deste moço. adoro pegar nele e conduzi-lo durante horas a fio, seja por auto-estradas seja por estradas acidentadas, adoro a sua suavidade e a sua elegância, mesmo a subir passeios ou a passar por dentro de buracos, adoro senti-lo sob das minhas mãos :D

    Untitled


    às vezes dá-me uns ataques de consciência e penso "foda-se, podíamos ter comprado um carro mais pequeno e barato.." mas depois acontecem grandes viagens ou fins-de-semana daqueles em que nos fazemos à estrada sem rumo nem horários e fazemos dele o nosso quarto e adormecemos a olhar para as estrelas.. sim, vale a pena cada tostão que estamos a pagar por ele.. e é tãooooooo lindo :'D a cor foi definitivamente bem escolhida e conduzir nas alturas é priceless!

    22 de Julho de 2012, às 21:02link do post comentar

    Duna

    enquanto o mundo anda entretido a ler badalhoquices*, eu decidi-me por algo mais.. nobre, vá :D




    a culpa é do hóme.. o esperto aproveita-se da minha dificuldade em escolher livros para sugerir-me aqueles que ele gostava de ler mas não tem pachorra. então na rifa calham-me os livros dos filmes que ele aprecia: no ano passado foi a trilogia millennium, este foi o dune - o romance que originou o filme favorito dele.

     

    depois é vê-lo de queixo pendurado no meu ombro, a espreitar, enquanto estou a ler.. acabamos por ir discutindo a história e as diferenças para a versão cinematográfica à medida que as páginas vão avançado, até que chega ao momento em que termino a leitura e vemos o filme.. comigo aos guinchos que "arghhhh não é assim, não é assiiiiiim!!" loll

     

    à primeira vista, o livro pode parecer assustador (pesa quase 1kg), mas 570 paginas não são nada do outro mundo (a rainha no palácio das correntes de ar tem 720 e eu despachei-o sem problemas nem dilemas).. e acontece que está muito bem escrito (e acredito que a tradução esteja à altura) e está a ser uma leitura bastante agradável (já vai a meio). é sempre a abrir e pouco dado à monotonia. um must (para quem aprecia o género, claro)!

     

    * digo isto mas ainda considerei comprar o livro.. até passar os olhos por algumas páginas! para esse tipo de literatura, conheço uns quantos sites jeitosos e à borla :D

    Isa a tentar sacar algo ao seu gajo:

    "tu és um investimento a fundo perdido.."

    {#emotions_dlg.evil}

    20 de Julho de 2012, às 00:29link do post comentar

    Aceitam-se apostas!

    como a marca fez um manguito, a oficina assumiu os custos da reparação sem bufar.. acabámos de deixar lá o carro para ser pintado...

    mas... será que vai correr tudo bem?

    update // dia e meio depois

    já o temos de volta. à primeira vista veio a 98% (duas pequenas dentadas perto de uma óptica, e tinta que babou para cima dos plásticos.. nada de grave). não me posso queixar, fizeram a parte deles..

    muita, muita atenção ao deixarem o carro na revisão.. antes e depois, por dentro e por fora, é o conselho que dou.. 

    17 de Julho de 2012, às 10:39link do post comentar

    'Le me

    tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

    no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

    offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

    bucket list

    'Le liwl

    era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

    muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

    seguir nos blogs do sapo

    Follow follow us in feedly