Uma questão de pressão

andei durante anos a lamentar-me da injustiça que era, gostar de tomar duche em todo o lado menos a minha própria casa. que a água não tem pressão nenhuma e o jacto que sai do chuveiro é fraquito - não que precisasse de arrancar a primeira camada da epiderme, mas que ao menos fizesse cócegas, e que leva uma porrada de tempo para tirar a espuma, e a areia então nem se fala, e assim e assado.. 

 

até que há uns dias atrás, ao passar pela secção de chuveiros do leroy merlin fizemos uma descoberta.. incrível!

 

uma das marcas vendidas pela loja tem indicado na embalagem o débito de água de cada modelo, e ao compararmos dois chuveiros com superfícies idênticas, mas com o formato da cabeça diferente (uma bojuda e outra espalmada), os valores variam bastante...

 

AHHHHHHHHHH... mas são verdes! 

 

oito anos e meio a tomar banhos desconfortáveis, quando afinal o problema não é da pressão da água, mas sim nosso! ou melhor, da nossa escolha de chuveiros. temos a panca dos "telefones" largos, que espalham mais água, o que ainda não nos tínhamos apercebido é que o tamanho da câmara determina a força com que a água é empurrada cá para fora. se for muito grande, a água perde pressão e cai tipo chuva (hence, os modelos rainshower - precisamente o que tínhamos há já vários anos). bah!

 

chuveiro novo. there, problem solved :D

25 de Junho de 2013, às 01:50link do post comentar ver comentários (2)

Entretanto..

..descobri um uso para esta auto-estrada

 

a partir de agora, sempre que ir até casa dos sogros (lá prós lados de azeitão), em vez de me meter pela N10 logo à saída da A2, vou na direção de fernão ferro, entro na A33 e saio em coina. não pago portagem e evito parte da N10, são mais kms mas chego mais rápido.

 

w00t!!

23 de Junho de 2013, às 19:42link do post comentar

F*ck yeah!!

    1 de Junho de 2013, às 00:54link do post comentar ver comentários (2)(2)

    'Le me

    tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

    no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

    offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

    bucket list

    'Le liwl

    era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

    muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

    seguir nos blogs do sapo

    Follow follow us in feedly