Saúde Pela Agua

a data a aproximar-se furiosamente e eu a atirar destinos possíveis, mas a única resposta que obtinha do homem era

"spa, eu quero spa!"

tão e aqui ou ali, que já andamos à tanto tempo a dizer que devíamos voltar

"não tem spa!"

tão e acampar, diz que vai o tempo vai estar bom, fazíamos a despedida

"spa. eu. quero. enfiar-me num spa!"

tão e..

"spa. precisamos de um spa!"

ora essa por quem sois, o homem quer spa, seja feita a sua vontade! quem sou eu para dizer "não" a uma spazada, anyway :D

vai daí que repetimos a experiência ano passado. sem tirar nem pôr. quer dizer, o quarto tinha outra orientação, e uma banheira fantástica que anulou a segunda ia ao spa, e apesar do banho turco estar para manutenção, a sauna safou a coisa (descobri que a minha antipatia a saunas não tem razão de ser). de resto foi igualzinho, até o jantar lol

se este domingo tiver sido o nosso último dia de praia do ano, então fechou a época balnear com chave de ouro. foi aproveitado até ao último raio de sol, até ao último bafo de ar quente \m/

Untitled

 

pequena homenagem às gaivotas, essa ave marinha que tanto se esforça por manter a praia limpa, que até pedaços de esferovite come (tou a ser irónica, coitados dos bichos...)

28 de Setembro de 2015, às 23:02link do post comentar ver comentários (2)

Diz que...

 estes dois andam metidos em aventuras há 14 anos

 

Untitled

 

f*ck yeah!!

O karma não brinca em serviço

na terça-feira da semana passada, fui finalmente renovar o cartão do cidadão. estava expirado desde junho e andava com receio de levar alguma multa à pala daquilo ou de não conseguir votar, e isso não podia ser.

decidi pedir urgente, porque todàgente sabe que a burocracia em portugal é mais lenta que um caracol a fugir do tacho. e paguei 30€ por isso. já o homem optou pelo prazo normal.

a minha cara, quando na sexta-feira de manhã, ao abrir a caixa do correio, estavam não uma, mas duas cartas para ir levantar os cartões.. FFFFFUUUUUUUUUU!!

qué'd'zer! pago urgente e vem ao mesmo tempo que os pedidos normais? fiquei furibunda, claro que fiquei! e passei o resto do dia a resmungar com a cena, e a choramingar pelos meus ricos 15€, que d'eus os tinha.

manhã seguinte, 8h30

o alarme do telemóvel dispara.. PQP, mas quem é que raio tem um alarme programado para tocar as oito de meia da manhã de sábado?? só eu..

meio a dormir, estico o braço para meter fim à xinfrineira, quando vejo que afinal é uma chamada (tenho toques aleatórios nos alarmes e por vezes coincidem com o toque de chamada), de um número que não reconheço.

"sim?" atendo, a fazer um esforço titânico para disfarçar o sono na voz
"bom dia, estou a falar com a sô dona isa cenas?"
"é a própria"
"daqui fala do hospital tal..."

oi!? mas eu não tenho nada marcado.. AI MÃE!! QUEREM VER QUE ENCONTRARAM ALGUMA COISA MARADA NOS EXAMES QUE FIZ HÁ UMAS SEMANAS?? EEEKKKKKKKKKKK

".. era para lhe informar que encontraram a sua carteira.. quer dizer, os seus documentos, blá blá blá..."

ah bom... OI!? perdi a carteira?? O.o

e com um cartão acabadinho de fazer que me custou 30€ lá dentro??

AH AH AH AH toma lá para aprenderes a não implicar com as coisas!

isto é muita fruta para processar assim tão cedo.. tão e se ficaram com algum dos cartões? ainda me estouram com o plafond do seguro de saúde, ou descobrem o pin do MB, ou pior, roubam-me a identidade e vão-se por a fazer cenas em meu nome... uns telefonemas depois e lá consegui respirar de alivio. não estava nenhum cartão em falta, apenas a minha linda carteirinha do ursinho mamalhudo, que ainda nem dois anos tinha, e que me custou os olhos da cara. uma lição que ficou bem aprendida: jamais investir em carteiras caras, se tivesse sido uma do chinês da fertagus como da última vez que a perdi, aposto que não tinham ficado com ela :P

also, porque raio perco sempre a merda da carteira às sextas?

p.s. ainda existem pessoas fixes e que se preocupam com desconhecidos :)

23 de Setembro de 2015, às 21:49link do post comentar ver comentários (5)

Pelas terras do Guadiana

o parque natural do vale do guadiana é uma espécie de underdog dos parques portugueses, não se ouve falar muito dele. fica ali nos confins do baixo alentejo, paredes meias com o algarve e resvés com espanha. um bocado afastado da “civilização” e sem nenhuma auto-estrada que nos deixe às suas portas. é pouco habitado, e não existem grandes cidades nas redondezas, tem apenas uma vila e pequenos povoados salpicados pelo parque.. e é tremendamente bonito!

a paisagem é diversificada, a ponto de não se perceber bem se ainda estamos nas planícies alentejanas ou se já estamos com um pé na agreste serra algarvia. tem bosques e tem mato rasteiro, e apesar de ter muitos cursos de água, tem um aspecto muito árido.. e as vistas são de fazer parar a respiração.

já andamos por lá duas vezes. numa exploramos a zona da mina de s. domingos e pomarão, onde percorremos os túneis ferroviários desactivados. noutra corremos aquilo tudo numa doideira atrás de balões meteorológicos. o cascas está bastante familiarizado com as estradas de terra batida e as ribeiras secas do parque lol

só tenho um reparo a fazer a mim própria: nunca vou lá com tempo suficiente para ver tudo o que quero, aquilo é maior do que parece! já fiz saber ao homem que num futuro não muito distante quero lá voltar e bater as capelinhas todas novamente, mas com mais tempo para respirar e inspirar aquelas paisagens. além disso, todas as visitas têm acontecido sempre pela mesma altura, setembro/outubro, e apesar de vibrar com as cores douradas daqueles montes e planícies, tenho curiosidade para saber como será noutras alturas do ano.

road to somewhere

mas das várias coisas que nos tinham deixado saudades, talvez um pequeno tasco em corvos era a que mais sobressaía. fomos lá parar por obra e graça do destino. queríamos cozido de grão, e disseram-nos que lá era o melhor sitio para ir. só que o cozido de grão não parecia ser o que mais clientes atraía ao tasco, mas sim.. pizza!

nessa noite deixamos uma promessa escrita na pedra: 
“havemos de cá voltar para comer uma pizza”

e a minha surpresa ao chegar lá, 5 anos e um desvio de 60km depois, e ver o pequeno restaurante a rebentar pelas costuras, que por pouco temi que não conseguíssemos jantar. pelos vistos a internet aconteceu e a paragem está no topo das recomendações do tripadvisor para a região de mértola. not bad!

e íamos com intenções de fazer cumprir a promessa e comer pizza, a sério que íamos. mas assim que lá cheguei, fiz uma confidencia ao homem: "migo, não sei se vou conseguir resistir ao cozido de grão..." 

e não resisti... foi mais forte que eu lol e ele que ele também, que se fez às migas com secretos :D' a pizza ficou novamente adiada lol

cozido de grão

nessa noite aprendi uma valiosa lição: tu simplesmente não comes uma pratada de cozido de grão e depois vais arrochar para um hotel...

HA HA HA não vais, não senhora! 

...e foi assim que finalmente conhecemos mértola (a tal paragem "técnica" que falei no post dos figos), depois de tantas vezes a atravessá-la de raspão. primeiro à noite e depois outra vez à noite, e finalmente, de dia :)

Untitledmertola mertola
Untitled
Untitled Untitled Untitled UntitledUntitledguadiana

é um sitio lindíssimo, muito acolhedor, come-se bem. e para quem se interessa, está recheado de história.

e já que andávamos lá por perto, aproveitamos para conhecer também alcoutim, ali mesmo juntinho à margem guadiana.

alcoutim guadianaguadiana

álbum completo da coisa aqui

Genisys

roça o pecado rir *tanto* com um filme do terminator...

...mas vá, ao menos não dei por desperdiçadas duas horas da minha vida. o ti arnaldo ainda vai distribuindo pazada em grande estilo e com muito humor, apesar das rugas e do reumático :D



ainda me dõem os músculos da barriga!

14 de Setembro de 2015, às 00:15link do post comentar ver comentários (4)(1)

Loop do dia IV

with teeth, NIN. que'às vezes a coisa só lá vai com demasiado ruído pelos ouvidos adentro

11 de Setembro de 2015, às 17:18link do post comentar

Truer words have never been spoken

enquanto secava à espera que a roupa secasse (um destes dias tenho que falar sobre o fantástico conceito da lavandaria self-service, ao qual estou completamente rendida), peguei num dos jornais que estavam na mesinha e encalhei numa reportagem deliciosa sobre campismo. felizmente também foi publicada em formato digital:

“O trabalho e até os hábitos de relacionamento com os outros são baseados em convenções e artifícios, materiais e mentais. Mas o ser humano precisa também do contacto com o mundo, com a natureza não humana. Sentir a temperatura e as suas mudanças, o sol, o vento, a humidade, os mosquitos à noite. Não podemos ter medo dessas coisas, fugir delas. Faz-nos bem mergulhar no mundo natural, interagir com ele, como se fôssemos um dos seus elementos. Dormir numa tenda significa uma entrega muito profunda. É estarmos na natureza sem defesas, no nosso momento mais vulnerável, quando não teríamos capacidade de reagir a qualquer agressão. É uma espécie de pacto de confiança com a natureza.”

não lhe mudava nem uma vírgula!

Se provas faltassem.. III

há umas semanas fizemos uma paragem "técnica" em mértola, e no maior dos acasos, dei com o nariz num cartaz que anunciava algo que me espevitou o interesse, um concurso de figo-da-índia..

EH LAH

"ò amigue, aqui tens a tua grande oportunidade para experimentar os figos dos cactos!!" comuniquei entusiasmada ao homem

para contextualizar, sempre tive um fascínio estranho por aqueles amontoados desgovernados de cactos com ar de poucos amigos e o homem, desde que descobriu que os frutos que brotam daquilo são comestíveis, que andava curioso para prová-los.

Untitled

(nesta foto isa descobre que não é grande ideia tocar nos figos-da-índia sem luvas)

e que melhor para isso que um concurso com degustação? era garantindo que ia haver figo-da-índia de todas as maneiras possíveis e imaginárias. done deal!

então o nosso destino de sábado passado foi alcoutim martim longo. zarpamos a todo o vapor para o algarve profundo atrás do exótico fruto, sem saber bem ao que íamos.

então às 14 horas e 45 minutos, isa alcança finalmente a vila de alcoutim e pergunta-se onde terá lugar o evento. saca do telemóvel esperto, pesquisa pelo cartaz do certame, analisa-o ao pormenor e... pânico!! "FDX, NÃO É EM ALCOUTIM, É EM MARTIM LONGO!!" eeeeeeeek...

e siga que não há tempo a perder!

chegámos mesmo a tempo. à nossa espera estava uma mesa farta de iguarias confeccionadas com figo-da-índia e foi possível experimentar de tudo um pouco: gelados, bolos, sobremesas, guloseimas, compotas, licor, sumo, ao natural, etc etc não ficamos desiludidos, não senhora!

Untitled

UntitledUntitledUntitledUntitledUntitled


o homem honrou os 300km que percorremos para lá estar, e provou TUDO o que havia para provar, já eu atirei-me apenas ao que parecia mais delicioso.

o evento realizou-se no salão da junta de freguesia de martim longo e estava bastante concorrido, provavelmente só com pessoal da zona e não conseguimos evitar a sensação que crashamos na festa de alguém sem ser convidados. mal habituados com as festas de cidade, onde tudo se paga entrada, ficámos verdadeiramente surpreendidos com a intimidade do evento e acabámos por ficar contagiados com o sentido de comunidade ali presente. a dedicação e boa-disposição manteve-nos até ao final, para descobrirmos e aplaudirmos os vencedores do concurso.

o meu favorito ganhou o terceiro lugar, o homem confirmou que o primeiro lugar foi merecido :)

veredicto: imho, o fruto em si não é mau, embora não tenha um sabor particularmente intenso ou distinto. mas é impressionante a quantidade de coisas que se consegue fazer com ele. além disso, parece ser a grande aposta na área da agricultura da região, até porque tem outras aplicações para além da culinária.


Untitled

os nossos sinceros parabéns aos organizadores, concorrentes e em especial à incansável senhora dos sumos, que ainda aturou as questões todas do homem sobre os figos e as figueiras e as plantações, que nós bem que as procuramos semanas antes, mas não encontrámos.

Untitled

Comé?

afinal quais são os meses em que o ditado diz que não é seguro comer marisco, os com r ou sem r? a internet não me dá uma resposta clara e eu tenho que fazer contas ao stock de rolos de papel higiénico que tenho em casa lol

7 de Setembro de 2015, às 21:52link do post comentar ver comentários (5)(1)

Salinas

sou capaz de ter desenvolvido uma estranha obcessão por salinas. não sei se foi pela calma dos imensos campos brancos, se do curioso processo de transformação, se da arte da colheita, se do ecossistema.. sempre tive curiosidade e este ano matei-a à grande!

 

Untitled Untitled Untitled UntitledUntitled

5 de Setembro de 2015, às 23:01link do post comentar

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly