Flexões do demo

no treino de ontem fizemos um exercício que achei genial, uma espécie de flexões em queda livre. de joelhos no chão, com os pés caçados por trás, deixávamos cair o corpo o mais lentamente possível, e no último momento, trazíamos as mãos para o lado dos ombros para absorver o impacto (no conforto de um colchão). depois, com o balanço da flexão, mandávamos o corpo de volta para a posição inicial. três séries, quatorze repetições. achei facílimo de fazer, e totalmente inofensivo. 

...ou era o que eu pensava. hoje tou cheia de dores nos músculos dos ombros, braços e por baixo dos braços, que até me custo a mexer.. FFFUUUUUU, como é que uma coisa aparentemente tão inofensiva, castigou o corpo desta forma? O.o

mas será que alguma vez vou terminar um treino sem ficar dores num qualquer grupo obscuro de músculos? 😱😭

16 de Fevereiro de 2018, às 23:45link do post comentar

Se provas faltassem.. V

long story short, andávamos há quase dois meses com o leitor de CDs do carro empenado, e nenhum dos truques que a internet tem para oferecer funcionou.

a parte chata desta história não é termos ficado privados de música decente durante as viagens mais longas, é o carro ter um processo automático qualquer, que sempre que se dá à chave, o leitor de CDs insiste em restaurar a ordem, tentando desenguiçar a magazine. coisa que ao fim de umas quantas vezes, começa a tornar-se deveras irritante (e algo me diz que deve ter contribuído para drenar a bateria do carro mais rapidamente). até fiquei surpreendida quando o carro esteve na oficina, eles não se terem chegado à frente para arranjar aquilo.. deve ser um pincel tão grande, que até os técnicos fogem dele como o diabo da cruz.

portanto, os quase dois meses a ouvir o leitor a tentar desemperrar os CDs sempre que ligo o carro tavam-me seriamente a ir aos nervos. até que hoje foi o dia.

pela segunda vez, esventramos o painel central do cascas e sacamos o auto-rádio para fora, na tentativa de perceber qual era a crise. o homem começou a desmontar o bixo. camadas e camadas de chapinhas. parafusos de todos os tamanhos por todos os lados. cum crl, tantos parafusos que aquela merda tem - para não deixar chegar a lado nenhum. às tantas o homem parou de desaparafusar pecinhas e desligar cenas, sob o risco de não fazermos ideia de como voltar a montar aquilo. é um autêntico puzzle em 3D. quem diria que um miserável leitor de CDs tinha tanta tralha.

inspeccionando o bloco compacto de tecnologia de ponta do século passado, percebermos que era impossível descobrir a raiz do enguiço. o homem tentava rodar elementos com chaves de precisão, mas só estava a ter sucesso em desgastar os materiais. contentamo-nos em conseguir sacar 3 dos 5 discos que lá estavam dentro, e dar-lhe uns carolos, a ver se desempenava alguma engrenagem, mas sem fé nenhuma que aquilo algum dia voltasse a funcionar. tenho genuinamente pena de não ter filmado ou fotografado o processo, mas este gif animado demonstra na perfeição nós os dois de volta do dito cujo,


dezenas de minutos depois, demos a intervenção por terminada. o homem inicia então o moroso processo de voltar a meter as pecinhas todas no lugar. já tinha aquilo quase tudo montado, quando se apercebeu que tinham sobrado peças (se não tivesse é que seria de admirar lol). mais concretamente, 6 parafusos minúsculos. vá, toca de desmontar as chapas e chapinhas mais uma vez. e vá, toca de montar tudo outra vez. depois apercebeu-se que também se tinha esquecido de uma pequena chapa que pertencia à ranhura do leitor de CDs, mas cagou praquilo. não era aquilo que ia impedir o leitor de funcionar, why bother?

terminada a fastidiosa tarefa, fomos meter o rádio de volta no carro. assim que o homem liga as fichas todas, o leitor ganha vida e começa a ranger por todos os lados, mesmo com o carro desligado. wtf?? ondé que aquela porcaria está a ir buscar energia??

fizemos então uma última tentativa de ver se a nossa intervenção trolha tinha tido algum efeito. se o enguiço não tivesse solução, o plano b era simplesmente desligar a ficha do modulo do leitor, para acabar com a tosse.

ligo o carro, cling clang clung clang cling clung.. ai mãe, fizemos mesmo um belo serviço de reparação, aquilo parecia que se estava a auto-destruir por dentro. quando finalmente parou, o homem carrega no botão de eject, e escolhe a bandeja. cling clang clung clang cling clung. as expectativas disparam, uma pontinha de fé renasce, é o momento da verdade, o tudo ou nada...

... e ZOMG, tão não é que aquela merda cuspiu o disco??? YES!!!

carrega novamente no botão de eject, para tentar sacar o último disco encravado e.... GREAT SUCCESS!! pelo menos não se perdeu tudo lol

tão e agora que temos a magazine vazia, o que é que vamos fazer?? voltar a enfiar discos lá dentro para ver se tocam, pois claro.. e MILAGREEEE!! o leitor voltou a funcionar!! tá a fazer uma porrada de ruídos novos, todos desengonçados, quando se enfia / tira / ou alterna entre discos.. mas hey, TÁ. A. FUNCIONAR*!! how about that? não só não demos cabo do leitor, como conseguimos pô-lo a tocar novamente :D

* por mais quanto tempo, não sabemos lol

12 de Fevereiro de 2018, às 00:55link do post comentar ver comentários (2)(4)

Blargh

gente boa, sempre que tiverem um daqueles acessos de coragem que vos leve a querer experimentar um restaurante de cozinha genuína de um qualquer país distante, façam um *grande* favor a vocês próprios: 


não se deixem impressionar pelas fotos pornográficas do menu, atentem bem na lista de ingredientes.. para não vos acontecer como a mim, que me aterrou debaixo do nariz o equivalente asiático de tripas à moda do porto, salteadas com malaguetas...

 

barf

3 de Fevereiro de 2018, às 00:50link do post comentar ver comentários (4)(2)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly