Vá pra fora cá dentro, versão Nazaré

(post incompleto, falta meter fotos e links)

tínhamos planeado ir passar o fim-de-semana comprido para o norte, mas como bons tugas que somos, deixamos a parte de marcar alojamento para a última da hora e não encontramos uma caminha vaga em todo o minho... então decidimos seguir outro ponto cardeal, o (já nosso conhecido) oeste.

conseguimos uma reserva num hotel em s. pedro de moel, mas depois ficamos indecisos com a possibilidade de irmos para a nazaré que já estava nos planos havia algum tempo, e como já conhecíamos moel, a coisa estava tremida...
entretanto o marido conseguiu um deal jeitoso numa pensão/residencial e marcou. o problema começou quando ele estava a acabar de fazer a reserva, lembrei-me de lhe pedir para perguntar se o wc tinha banheira. resposta negativa, e eu comecei a não achar lá muita piada à coisa...

(gosto de ficar em quartos com banheira, o que é que querem? : / )

no site da escapadinha (esse precioso recurso para turistas de fim-de-semana), dizia que era uma pensão de 3ª, e por 30€/noite com pequeno-almoço incluído não se pode pedir muito, né? e foi aí que deixei mesmo de achar piada à coisa e passei a ter medo.
no site da residencial a coisa até tinha bom aspecto, mas fiz uma pesquisa na net e pouco havia, mas o que encontrei até foi útil: um artigo no site da empresa que tinha feito a reabilitação da dita há três anos atrás, e uma mensagem num forum que descrevia a residencial como "muito recente e com boas condições". decidi dar-lhe uma oportunidade e o marido desmarcou a reserva de moel.

então, siga pá nazaré!

já lá tinha estado uma vez, há uma catrefada de anos (nove, para ser mais exacta) atrás, mas foi só de passagem, e o marido idem idem. daí acharmos que era um bom sitio para assentar arraiais e explorar.

chegamos lá por volta das cinco e aquilo estava completamente entupido. a vila já de si é apertada para andar lá de carro, e aquele transito caótico ainda piorava mais as coisas. carros, autocarros, gente, eu sei lá! mas tava-se mesmo a ver, feriado, dia solarengo, a malta desceu toda à praia.. tava jeitoso!

depois, como de costume, não levamos o mapa da localização da residencial e tivemos que andar lá às voltas à procura daquilo. vá lá que como ficava numa zona de passagem, até foi fácil encontrar...arranjar estacionamento é que foi o cabo das tormentas. acabei por deixar  o marido à porta e subi à procura dum lugarito . depois o marido telefona-me a dizer que já tinha o cartão (nesta altura pensei " hum... cartão em vez de chave, nada mal!"), e que já tinha ido ver o quarto, que mais parecia uma roulotte, e eu até vi a minha vida a andar pra trás lol

claro que ele estava  a gozar comigo, pois aquilo, podia ser pequeno, mas estava muita bem amanhado!

a residencial foi totalmente remodelada há cerca de 3 anos e mantiveram a fachada original (daí o ar antigo que contribuiu para os meus receios he he ), pois o edifício fica situado na zona histórica da vila. tem três pisos com quatro quartos cada (o último era capaz de ter menos, não sei..), e o rés-do-chão é ocupado por uma pastelaria muita fixe. tinha elevador, e ainda cheirava tudo a novo :)

o quarto não era muito grande mas era um espectáculo, nem se parecia com um quarto de hotel/pensão, tinha um ar jovem, e estava parcialmente decorado com coisas do ikea para nosso júbilo. tv, ar condicionado, mini-bar, cofre, e um pequeno wc com sanita, lavatório, chuveiro (que apesar de pequeno, cabíamos lá os dois), secador de cabelo, e nem sequer faltavam aquelas coisinhas que a malta gosta de trazer como recuerdo he he ... mas espera... falta qualquer coisa..O BIDÉ P

(não sei viver sem bidés, o que é que querem? : / )

depois de ter inspeccionado as instalações, liguei o portátil a ver se tinha vizinhos "generosos" ali por aquelas bandas, mas só apanhava apanhava dois AP's, um aberto, de um projecto da UA, onde ainda nos tentamos registar, mas o sinal era demasiado fraco, e outro fechado, o da residencial. pensamos "eh pá, fixe! bora lá ver se dá para usar!"
chegamos à recepção e perguntamos pelo acesso à internet e o rapaz indicou-nos um pc que lá estava para esse efeito, mas nós estavamos era interessados no acesso wireless. ele, "ah, têm portátil ? então eu dou-lhe a pass " e nós, "tão e como é isso, preços e tal?" ele, "ah, não custa nada!". nós olhamos um pró outro "fixe!"

e já disse que havia cabovisão? que tínhamos o fox? não disse pois não? ah poizé nessa noite o marido não se cansava de dizer que parecia que estava em casa, ou na casa de amigos, pois tava a ver o fox, comigo ao lado com o portátil ao colo agarrada a net, com ikea por todo o lado he he tava mesmo todo contente com a escolha :)

então bora lá recapitular: boa localização, quarto fixe, bonito, confortável, bem equipado, cabovisão, internet wireless à borla, com direito a limpeza de quarto e toalhas lavadas, e  pequeno-almoço, por 30€/noite (promoção da escapadinha). melhor é impossível!

quarto wc monograma lamp


depois de acomodados, demos início à nossa exploração pela nazaré. fomos até ao sítio, depois jantamos uma mariscada na tasca da maria matos, e ainda corremos a marginal toda e terminamos a noite a comer waffles na praça em frente à residencial..que maravilha de waffles, dos melhores que já tenho comido..e o gelado também!

nazaré elevador nazaré by nite nazaré by nite


no sábado, depois de termos ido visitar a secagem de peixe, coisa que nunca tinha visto nem imaginava que se fazia, partimos para as grutas da serra de aire e candeeiros. há que anos que eu queria visitar aquelas grutas, que conhecia apenas de fotografias. apesar das secas que apanhamos à espera do inicio das visitas, gostei bastante.

secagem de peixe secagem de peixe secagem de peixe secagem de peixe


a de alvados era fixe e a de santo antonio ainda melhor. houve quem tivesse uma opinião contraria à minha. são gostos. se por um lado eu prefiro estar num espaço praticamente natural, onde a única coisa que foi feita foi a porta de entrada e os passadiços, na outra, houve muita mão humana a partir pedra para abrir caminho entre as galerias. mas eu compreendo, a dos alvados acaba por ter mais para percorrer e ver, o percurso é maior, é mais sombrio e húmido, e tem fontes e coisas assim, já a outra, o percurso é feito em circulo e para ver, só a obra paciente da natureza numa gigantesca cavidade dentro da terra.

alvados

grutas de alvados grutas de alvados grutas de alvados grutas de alvados


santo antónio

grutas de santo antónio grutas de santo antónio grutas de santo antónio grutas de santo antónio


para visitar ficaram as de mira d'aire e da moeda, não houve tempo para tudo...fica prá próxima :)

depois das serras, seguiu-se fátima, mais concretamente, o santuário, que o marido nunca lá tinha ido e estava curioso. não me apetecia ir praquelas bandas, mas acabei por lhe fazer a vontade.
da primeira vez que lá estive estava vazio, desta vez, havia missa e montes de gente por lá. não achei piada porque não lido bem com aquelas coisas... não as compreendo e não me consigo abstrair com facilidade, fazem-me demasiada confusão. mensagens religiosas, malta a descer aquilo de joelhos, malta carregada de velas, algumas com mais de um metro, um pivete a cera que intoxicava, pessoal a chorar por todo o lado, missa, orações, cânticos... pode até ser muito bonito, mas não é para mim...

santuário regras yé rite modernices


de regresso ainda passamos pelo mosteiro da batalha. ficava no caminho e decidi parar. 17 anos depois (da primeira vez que lá estive) pareceu-me abandonado...ou então eu tinha ficado com uma ideia diferente dele...acho que devia haver mais dedicação à preservação destas coisas...

batalha gárgula gárgula gárgula


nessa noite enfardamos na taberna d' adélia, um peixinho e uma espetadinha de comer e chorar por mais, com uns percebes e uns camarões a abrir a refeição. muito bom!

o domingo foi dedicado a conhecer melhor a nazaré e o sitio, e antes de sairmos de lá, ainda fomos encher o bandulho ao Aki-D'el-Mar. só marisco, portantos ! he he

nazaré

falesia

falesia

rochedo

artesanato bonecas percebes saias


pelo caminho ainda paramos em s. martinho do porto, e nas caldas, para ir comprar cavacas..ainda quis trazer "um das caldas" para decorar a estante da sala, mas o marido não me parecia lá muito interessado lol

notas finais:

- vale a pena perder tempo e conhecer a nazaré e os arredores, há mesmo muito para ver naquela zona;
- a residencial é definitivamente fixe e recomenda-se;
- ficamos com a sensação que, peixe fresco é em peniche, e marisco é na nazaré (os percebes e as amêijoas são divinais);
- o alojamento foi barato, mas em contrapartida, as refeições caras, gastamos cerca de 16-18€/pessoa em cada refeição principal. não é propriamente dos sítios mais baratos para se comer;
- saí de lá com a sensação de que os locals mais velhos são simpáticos, mas os mais novos achei-os um bocado... desconfiados(sem ofensa);
- a praia do norte é espectacular e o camping de vale paraiso é para experimentar;
- o marido não me deixou trazer uma boneca típica porque os olhos delas faziam-lhe impressão;
- também havia galos de barcelos, mas nós achamos por bem, que se queriamos um tinha mesmo que vir de barcelos;
- vi brinquedos há venda que juro que tinham mais de 20 anos;
- a história das saias é verdade, mas parece-me que só as mulheres mais velhas é que alinham na tradição;
- os cães têm uma fisionomia peculiar, são largos e atarracados e custam-se a mexer;
- tal e qual como em sagres, porta-sim-porta-sim existe uma placa a dizer quartos/rooms/zimmer/habitaciones;
- constatamos que existem por lá contruções maravilhosas (apartamentos e vivendas), com preços do outro mundo..pena ser tão longe de lisboa :P;
- o chasso rula (apesar de nos ter obrigado a entrar sempre pela mala, pois a fechadura avariou-se outra vez :P , fizemos a brincadeira toda apenas com 20€ de gasosa!
- contráriamente ao habitual, voltamos mais gordos, com um quilo a mais em cada um, apesar de nos termos fartado de andar;
- tiramos 1109 fotografias e dessas selecionamos 120 para botar no flickr;
- levei 4 dias a escrever este post :P;