...e assim começou 2008!

perguntava-me o marido qual tinha sido a minha melhor passagem de ano..

hesitei, não sabia... acho que nunca tinha pensado nisso antes...
fiz uns flashbacks, a minha memória não é lá muito boa, mas consigo recordar-me de algumas coisas.

quando era pitazinha lembro-me que as passagens de ano costumavam ser comemoradas na sociedade recreativa local (em bensafrim). aquilo era uma festa bacana, com bailarico e tudo. a malta juntava-se, reservava-se as mesas, e toca de fazer comida e carregar tudo de casa para lá (tudo mesmo, comida, bebida, pratos, talheres, tudo menos as mesas e cadeiras lol). lembro-me de andar de um lado para o outro a derrapar na serradura que costumavam meter no chão, para que não ficasse manchado (acho eu que era essa a razão da serradura...), e andar a correr por entre as pessoas que dançavam ou esconder-me debaixo das mesas..recorda-me de duas ou três passagens de ano assim. depois houve outra passada no carro, a caminho da praia da luz, e depois seguiram-se aqueles tempos (*/me morde a língua*) em sagres, onde as passagens de ano passaram também a significar trabalho, muito!
geralmente era casa cheia, o pessoal gostava de passar o fim de ano lá. ouve algumas divertidas, mas era muito cansativo, tendo em conta que depois daquela gente toda bazar, tínhamos que meter aquilo tudo em ordem para abrir a porta no dia seguinte. houve um ano lixado, mas que até acabou por funcionar, acabou-se a luz à meia noite e meia, e só voltou às três ou quatro da manhã..um dos camones que estava lá sacou de um acordeon e fez a festa enquanto se tentava ligar um gerador.
se bem me recordo, a passagem de ano de 99-00 foi a última que trabalhamos, mas no dia 1 abríamos sempre a porta.

depois sagres acabou e nós mudamo-nos para a nossa casinha e começamos a comemorar por cá. as três primeiras foram parecidas: jantarada, com ou sem amigos, e depois ir ver o fogo de artificio ao parque da paz e tava a coisa feita.

mas este ano eu queria algo diferente. não queria ficar em casa, queria sair e ter barulho, confusão e festa. pensamos em hotéis mas os preços eram escandalosos, pensamos em restaurantes, mas não era bem aquilo que eu queria...e depois surgiu a ideia do casino...

...e reservamos jantar para dois no casino de lisboa, no restaurante atrio, que era aquele que tinha a ementa mais maneirinha.

a reserva estava feita para as nove e chegamos lá mesmo a horas (coisa rara nunca antes vista). a ambiente já estava a aquecer. banda de covers a cantar grandes temas dos 80's (adoro 80's), espectáculo burlesco (nunca tinha visto ao vivo e a cores he he), fanfarra, trapezitas, sei lá que mais!
o restaurante era espectacular, sofisticado, o serviço impecável, a comida deliciosa e a bebida à descrição. não conseguíamos parar de nos elogiar pela nossa escolha he he he

decoração goodies burlesque
 
entrada prato de peixe prato de carne desert

(mais fotos aqui)

depois do jantar fomos ver o resto do casino, e aproveitar para experimentar as slot machines, com os vouchers que nos tinham oferecido pelo jantar. ganhamos 15 eur lol

depois de termos recolhido o prémio, começamos a pensar em ir lá para fora para ir assistir ao fogo de artificio, que ia ser lançado perto da torre vasco da gama. custamos a sair de lá, tal não era o maranhal de gente amontoado naquela zona..

os meus saltos tavam-me literalmente a assassinar os pés, e com muito esforço que consegui arrastar-me até à margem em frente ao pavilhão de portugal, não foi o local certo, pois não conseguíamos ver o fogo decentemente, mas eu já não me dava mexido mais. acabei por descalçar os cabrões dos sapatos e passei o ano descalça lol o chão tava gelado, mas que se lixe!
o mais giro de tudo é que se via fogo de artificio por toda a margem sul, nem saiba bem para onde olhar he he

entrar novamente para dentro do casino é que foi lixado, estavam centenas de pessoas a querer entrar todas ao mesmo tempo. lá conseguimos, esmagados e arrastados pela multidão e ainda andamos por lá mais um bocado. a música tava fixe, parecia uma disco, a festa estava ao rubro. isto na zona dos espectáculos, porque na zona da jogatina, o ambiente era como o pedro me tinha descrito: deprimente.. muita gente sozinha, inanimada, a queimar cigarro atrás de cigarro, colada às slot machines, a ver se ganhava alguma coisa, completamente indiferentes à festa que se estava a acontecer mesmo ali ao lado...enfim...

às tantas, o fumo, as dores nós pés e o cansaço (o marido foi para lá com 3 horas de sono em cima) falaram mais alto e às duas da manhã já estávamos em casa..não somos moços de farra anyway. mas gostei bastante, foi uma boa maneira de acabar um bom ano. nunca tinha entrado no casino e este deixou-me impressionada. não era nenhum montecito, mas arriscaria a dizer que gosto mais deste lol

e sou gaja de voltar lá em dia de festa (mas sem saltos)!

....e então, eis que cheguei a uma conclusão conclusão sobre a pergunta do marido: esta foi das melhores passagens de ano que já tive! :D