17ª sessão de TORTURA!

...e pronto, era uma vez uma (puta duma) raiz!

há uns bons anos atrás (+12), eu tinha um dente estragado que me doía comó caraças, e desesperada com dores, pegava em cubos e gelo e esfregava-os no dente (há quem bocheche bagaço..). só que esta (muito má) ideia, para além de  aliviar apenas momentaneamente, teve um mau resultado: o dente fracturou-se (até ouvi o estalo lol).

às tantas fui ao dentista. um dentista, que, coitado, tinha tanto medo de nos fazer mal que só fazia merda. ele lá fez pra lá qualquer coisa que o dente deixou de me doer mas ficou muito fragilizado..

uns tempos mais tarde, quando tive que iniciar uma espécie de reabilitação oral, escolhi outro dentista. o gajo inspecciona a boca, toca-me num dos dentes e pergunta "isto foi obra do filipe, não foi?" pois e tinha sido sim senhor! eles já se conhecem uns aos outros e tudo!

foi um calvário esse verão, e como já não via a hora daquela provação acabar, não fui até ao fim, deixei dentes por arranjar, na altura eram os menos críticos, porque o dentista deu prioridade aos piores..

esse fragilizado era um deles, e com o tempo, desfez-se em pedaços, restando apenas a raiz..

há uns três anos atrás, depois de uma noite com uma dor brutal de dentes fui a um dentista que ao tratar o dente do lado, disse que aquela raiz tinha que sair depressa, pois tinha desenvolvido um quisto que podia trazer complicações. eu disse que sim, mas depois daquele dente tratado nunca mais lá pus os pés...espertinha, hem!

quando em outubro passado me desafiei a mim própria a meter-me no dentista e só sair de lá quando não restassem dentes por arranjar, tá-se mesmo a ver que desta vez não tinha escape possível... ela tinha que sair, a bem ou a mal...

"não precisa de estar nervosa" pois, pois...

the thing is..ao fim de tantos anos, os dentes do lado foram-se apropriando do espaço vazio e empurraram a raiz para baixo, deixando uma abertura relativamente pequena, e o quisto que o gajo tinha desenvolvido também não ajudou à festa..

aquilo não foi uma escavação arqueológica como de costume, aquilo foi um saqueamento selvagem a uma catatumba secreta. uma horinha. e passei-a quase toda de olhos fechados porque aquela visão do tubo do aspirador a aspirar sangue faz-me mal (porque raio não fazem os tubos opacos?), assim como observar aquela parafernália de ferramentas de tortura a passarem-me à frente dos olhos, então fechei-os e só os voltei a abrir por instantes quando veio outro dentista e cumprimentou-me. sim, foi preciso outro dentista, porque aquele não dava conta do recado. e mesmo àquele esta a custar, já estava a ouvir falar em "descolamento dos tecidos em redor" ou coisa assim, mas já nem queria saber, tava por tudo..
às tantas lá se decidiu a sair, aos bocados, claro, mas sem ser preciso tomar medidas mais drásticas thank god!

doer, não doeu, mas fez-me uma impressão do caraças, pois a gaja estava situada na parte de cima da boca, e aquele empurra todo, e broca, e parte, e remexe, e "tá mesmo difícil", e atarraxa qualquer coisa, e puxa, e escava, e escava, e escava dentro do osso não é lá grande coisa blaaaaaaaaarggg...

nem quero imaginar quando algum dia tiver que tirar um siso...

por acaso é uma coisa marada, tirar dentes..numa altura em que a medicina dentária já está tão evoluída, tirar um dente continua a ser um acto tão bárbaro! valha-nos a bendita da anestesia...

bem, e suponho que marquei a minha última consulta...a ver vamos, aquela gente qualquer dia não me pode ver lá loll

(belo post deu aquela raizinha, hem!)

27 de Março de 2008, às 20:00link do post comentar