O destino quis que eu fosse ver a Madonna...

...precisamente para provar que as razões que inicialmente me levaram a dizer que não ia assistir ao concerto estavam certas..

foi qualquer coisa do género: mal eu soube que a madonna estava de regresso, pedi ao marido que mandasse o colega da plateia iol reservar-nos dois bilhetes mal eles estivessem disponiveis, e ele assim o fez.

mas quando me apercebi concerto ia ser no parque da bela vista, que tem uma uma configuração meio estranha, e ia meter nada mais nada menos do que 75 mil pessoas lá dentro, comecei logo a ver a minha vida a andar para trás, e a pensar que ia ser um total desperdício de dinheiro, porque não ia ver a ponta dum corno a não ser que acampasse lá à porta para tentar entrar cedo, porque ia ser muita confusão, pois nunca tive num recinto com tanta gente junta, e pesava também o facto que eu não gostar nada do álbum novo dela.. então desistimos da ideia e nunca mais pensamos dos bilhetes reservados, até porque entretanto o marido deixou o iol e nunca mais se falou nisso..

...até que a duas semanas do concerto, o marido diz-me que o gajo da plateia ainda tem os nossos bilhetes reservados, os bilhetes que nós julgávamos estarem vendidos a outra pessoa há meses... e eu, que andava a evitar ler notícias sobre o concerto, não me fosse arrepender, fui ver qual ia ser o alinhamento.. e vi que ela ia cantar uma das minhas músicas favoritas, a ray of light. e pronto, foi mais forte que eu e disse ao marido que afinal queria ir, apesar de saber ao que ia..

então, no domingo à tarde, 4 anos e um dia depois, e no meio de um mar de gente, estávamos a caminho de assistir ao nosso segundo concerto da madonna..

apesar de termos ficado em frente ao palco estávamos demasiado longe para ver alguma coisa que se aproveitasse, e o declive do terreno magoava-me os pés. agoniei durante três horas, mas era a única forma de ver alguma coisa.

mas não foi suficiente... os projectores laterais eram minúsculos para a distância que tinham que cobrir, o som estava demasiado estridente, não se percebia muito bem, muitas vezes a voz dela parecia desafinada, e o pior de tudo, o facto dela ter assassinado por completo as duas músicas que me levaram a ver o concerto, com umas guitarradas metaleiras mal amanhadas. se ela ainda tivesse cantado aquilo como deve ser, tinha-me feito a noite, mas assim como assim, saí de lá desiludida...

acredito que tenha valido a pena para quem estava mais perto, pois o que tem mais piada nos concertos dela são as coreografias. deu para notar que aos 50 anos genica é coisa que não lhe falta, já não parou quieta durante duas horas. quando eu ser grande também quero ser assim. também não lhe consegui ver as vestimentas, que costumam ser bem giras..

as projecções não estavam mal de todo, para quem estava longe, era mesmo a única coisa que enchia o olho, já que a música nem por isso estava a soar bem..

pode ser que um dia assista a esta tour sentada no sofá e consiga ver o que não vi ao vivo. quanto a futuros concertos da madonna, ou é no pavilhão atlântico, ou não é..i've learned my lesson...

15 de Setembro de 2008, às 20:01link do post comentar