Já fomos e já viemos!

o festival parecia a feira popular!
não tinha roda gigante, mas tinha montanha russa, uma cena com camas elásticas pá malta saltar e dar cambalhotas no ar, montes de tendas de comida e de roupa, montes de quiosques a vender tabaco (PÉSSIMA IDEIA, ESTA!), montes de luzes, confusão e o barulho do costume.

como sempre, vamos lá feitos para assistir apenas aos concertos que queremos, e como eram em zonas separadas, foi uma correria. isto, porque já se sabe que gostamos de assistir na primeira fila :)

a actuação da roisin atrasou-se um bocado porque pareciam haver problemas técnicos. começou praí 15 minutos depois da hora prevista, ainda com alguns problemas.. que lhe arruinaram completamente a festa! durante 40 minutos ela tentou, mas acabou por desistir e disse:

"i'm not gonna lie to you... we're having technical difficulties.."

cantou mais uma música e deu de frosques..
a verdade é que o som estava baixo por mais alto que o tentassem meter e ela não se ouvia a ela própria, provavelmente devido à proximidade da tenda electrónica e da barulheira que provinha dali.. foi uma pena, porque gostei do estilo dela e estava curiosa..

bom, dali saltamos directos pro palco principal, onde iam actuar os zero 7.
sabíamos de antemão que iam tocar músicas do novo álbum e a expectativa era alta, mas não foi preciso tocarem muito pra coisa começar a descambar..o som tava péssimo, todo esganiçado, e não se ouviam os cantores. nada daquilo parecia fazer sentido..

há precisamente 3 anos atrás, depois de ter assistido a mais um concerto deles, tinha chegado à conclusão que não gosto de os ver ao vivo. mas este foi de longe o pior dos três..antes ver a sia podre de bêbada em palco. não aguentei até ao fim e disse ao marido para sairmos dali. jurei-lhe que foi a ultima vez que assisti a um concerto deles.
...o que me lixa é que provavelmente vamos gostar do álbum, e vou voltar a fazer outra tentativa para vê-los...bah!

saimos dali e fomos pro concerto dos x-press 2, que já tinha começado. tivemos um bocado por ali mas começou-me a aborrecer e fomos comer qualquer coisa.

como previsto, essa noite acabou perto das quatro da manhã. já não me ia fazer à estrada a caminho de lagos, mas tive à mesma que sair do estacionamento do festival por causa do barulho da tenda electrónica. o carro tava bem longe dela, mas mesmo assim, ouvia-se estupidamente alto e o carro vibrava por todo o lado..era impossivel dormir ali (imagino como será no acampamento do festival, fosga-se!)
pegamos em nós e fomos pra zambujeira. estacionamos em frente à praia, rebatemos os bancos traseiros, fizemos a cama e cá vai disto!
dorme-se bem no cascas, nunca gostei tanto daquele tecto panorâmico :)

acordamos por volta das nove, com uns espanhóis a meter musica empastilhada. os gajos tinham pa lá uma aparelhagem à maneira, com altas colunas, e um deles estava agarrado àquilo, a misturar. o som até tava fixe e já tinham ali uma pequena multidão a dançar.
por volta das 10 arrumamos a tralha e bazamos pa lagos.

à uma da manhã estávamos de volta ao festival..ainda perdemos cerca de uma hora a tentar arranjar estacionamento, a coisa tava complicada..por fim, saímos e voltamos a entrar por uma zona mais afastada e lá encontramos lugar..

era noite do etienne de crecy. nunca o tinha visto ao vivo e como está classificado como "uma das nossas bandas" * (apesar de ser só um gajo), tinha mesmo que ser.
o concerto foi espetacular e valeu pelo festival todo. o bacano estava lá no meio de uma estrutura em forma de cubo, com luzes projectadas e strobes e aquilo tava mesmo fixe. o som também estava à altura. não me soube tão bem quanto chemical bros., daftpunk ou kraftwerk, mas tava bem fixe.

nessa noite saímos de lá também por volta das 4 da manhã. a policia já tinha o arraial montado à entrada de s. teotónio, pa caçar a malta que vinha do festival. tava eu a virar a esquina e um slot a vagar na fila de carros parados, pensei: "é desta que me mandam parar o cascas!", mas não...aposto que se tivesse o polo tinha ficado logo ali!
este é mais um mistério do entroncamento: já passei por inúmeras operações stop desde que tenho o carro, mas pelos vistos, não querem nada comigo hehehe

anyhoo..vinha com tanto sono que quase que parei em aljezur para dormir..mas fiz um esforço monumental e consegui conduzir mais 20km até bensafrim, para dormir numa cama fofinha he he

no domingo, em vez de me ir enfiar na praia, dormi a tarde toda..raio de desperdício de bom tempo precioso... baaaah!

nessa noite saímos de bensafrim já tarde e apanhamos o concerto de basement jaxx a começar, logo não deu para ir lá pra frente...mas ainda bem que não fomos!!

pensava eu que ia assistir a um concerto de música electrónica, mas o que encontrei foi um concerto pseudo-metaleiro...não se aproveitava nada, nada... mega-desilusão!!
assistimos a três musicas, entre elas a minha favorita, mas nem essa me convenceu. pegamos na gente e fomos comer qualquer coisa antes de nos fazermos à estrada novamente.

interessante que este ano não saí dali a odiar o festival, como aconteceu nos anos anteriores.
claro que a faixa etária dominante é <20, claro que aquela gente tem um conceito de diversão completamente diferente do meu, e fazem as figuras mais tristes à face da terra...mas desta vez consegui abstrair-me de toda a desgraça humana e curti aquilo à minha maneira.
a verdade é que já passei lá grandes momentos que me deixaram boas recordações, e como sou apegada a essas coisas, não consigo deixar de gostar do festival por muito merdoso que seja...e pro ano, se trouxerem bandas decentes, lá estarei!

* em vez de termos uma música nossa, como é costume entre os casais, temos uma série de bandas, basicamente aquelas que costumavamos ouvir quando começamos a namorar. as principais são air, thievery corp., massive attack, moby (blergh..), entre outras