Sushi overload II

tá para fazer um ano que experimentamos o aya de carnaxide pela primeira vez. na altura escrevi sobre a experiência, mas nunca mais voltei a pronunciar-me sobre o restaurante, do qual nos tornamos fãs e clientes assíduos.

ora, já se sabe que quando gosto duma coisa, farto-me de fazer publicidade e já andava a aguçar o apetite da vi, a madrinha-malvada, há muito tempo. então, ficou prometido que quando ela fizesse uma pausa lá da bifolândia, passava por aqui e íamos lá encher o bandulho.

...e isso aconteceu finalmente na quinta passada!
às nove da noite estávamos os três a caminho de carnaxide, cheios de vontade de comer peixe crú.

enquanto nos tentávamos decidir sobre que quantidade mandávamos vir, o marido sugeriu um barco médio, porque a ponte ou o barco pequeno só trazia duas sopas miso e aquele trazia três e assim e assado. eu dizia que achava muito, mas ele insistiu que conseguíamos dar conta daquilo e acabamos por pedir esse.

todas as vezes que lá fomos, nenhuma foi tão abusada como nessa noite.. só sei que quando o barco chegou à mesa, entrei em pânico! nunca tinha visto tanta quantidade de sushi/sashimi/nigiri à frente dos mes olhos (os all-u-can-eat não contam!), e a única coisa que me ocorria era como é que raio iamos comer aquilo tudo..



é que nem sabíamos por onde começar. tudo aquilo parecia estar ultra-delicioso!

e estava mesmo, o peixe estrava fresquissimo como de costume e a variedade era imensa. alambazamo-nos ali os três como se não houvesse amanhã, e no fim.. bem.. no fim, só sobrou umas fatias de gengibre hehehehe
mas comemos até mais não, principalmente eu e a madrinha, que ainda jogamos ao "pedra, papel e tesoura" para ver quem comia o nigiri de salmão em vez do de atum lol

não só ela ficou impressionada, como eu voltei, mais uma vez, a ficar impressionada com a qualidade daquele restaurante. e não somos os únicos a notar isso, pois a casa está cada vez mais frequentada. ao principio apanhávamos pouca gente por lá, chegamos a estar praticamente sozinhos na sala, e agora encontramos aquilo quase sempre cheio.

acho que não há palavras para descrever o quanto gosto daquele sitio e da comida que lá servem. excelente, excelente, excelente!

20 de Setembro de 2009, às 22:54link do post comentar