O regresso!

então o regresso foi feito num A320, mais pequeno que o outro, mas mais moderno, jeitosinho, e principalmente, mais silencioso. o interior era diferente, tinha apenas duas filas de três bancos, assemelhava-se bastante com um autocarro de luxo..isso mesmo, um autocarro luxuoso com asas!

tava toda contente porque era dia e íamos ver o mundo debaixo dos nossos pés, e como estava nuvens, devia ser alta espectáculo!

de facto, a paisagem lá em cima é impressionante.. as nuvens são absolutamente lindas! têm formas espectaculares, e parecem tão, mas tão fofinhas, dá vontade de andar aos saltos em cima delas. e transmitem uma paz incrível...

ponta delgada

..o problema é que, parece que também significam turbulência, que o avião fartava-se de abanar quanto passava por dentro delas.. e ter ficado sentada novamente perto da asa não ajudou nadinha, porque as asas tremem...e de que maneira!
parecia que aquilo se vai desconjuntar tudo a qualquer momento...e como tenho uma imaginação demasiado fértil, começava a imaginar os rebites a saltarem, depois a chapas a se soltar e irem pelos ares..pronto, não preciso continuar, né?

as tantas, já tava tão nervosa que sentei-me muito quietinha no banco, a tentar controlar a ansiedade.. claro que não era possível com um marido a apontar lá para fora e a dizer "aíííí!! eh eh eh olha lá! tá a tremer buééééé!" tive que o mandar calar...só pensava que preferia estar mil vezes num comboio lol
é que de dia, conseguimos ter a noção que não há nada debaixo dos nossos pés..ou melhor, há, mas está vertiginosamente abaixo...

quando finalmente o avião estabilizou a altitude estava um manto branco por baixo de nós. não se via nada, apenas o azul do céu. bom, ficamos sem vista, mas pelo menos deixou de tremer.



pouco depois da refeição (que eu não consegui comer (sandes de bacon e queijo, blergh), fomos informados que iamos começar a descer. já não se via quase nada lá fora, e só se voltou a ver já muito perto do chão. por baixo de nós caía uma chuvada horrorosa..

a aterragem correu bem, e minutos depois estávamos a correr para o autocarro.
dali saímos para o terminal principal do aeroporto e ainda levamos umas secazinha à espera da mala, que nunca mais aparecia. a recolha de bagagem ali é toda xpto, as malas vêm do chão he he

..e pronto, finalmente saímos do aeroporto pela porta da martini. feels nice! :)

a parte boa de não ter achado tanta piada desta vez vai fazer com que não ande prai maluca para me voltar a meter num avião...claro que quando tiver que ser, é!

uma coisa é certa, passeio a olhar para os aviões com outros olhos, até o barulho que fazem parece-me diferente, acho que lhes ganhei ainda mais repeito, são grandes máquinas mesmo!

omg, como é que me estava a esquecer deste excelente diálgo que aconteceu lá nas alturas:

eu: chateias-te por eu querer ficar sempre com o lado da janela?
marido: não, mas às vezes podíamos trocar..
eu: hum...tão pra próxima marcas o banco à minha frente, assim podemos ir os dois à janela!

...lindo!

25 de Novembro de 2009, às 23:51link do post comentar