Cores delicadas ou Resistentes muito sujos?

regra geral, cá em casa todas as tarefas domesticas são partilhadas.

todas excepto uma, a qual me recuso terminantemente a abdicar: pôr a roupa a lavar!

exclusividade total eu tenho sobre a minha máquina!
o marido só tá autorizado a abri-la se for para tirar a roupa lavada de lá pra fora ou limpar o filtro.

ele diz que sou muito territorial em relação à maquina e não é mentira nenhuma, não senhora. tenho cá para mim que os homens não foram feitos para porem roupa a lavar e assumo a tarefa com muita honra e afinco!

mas nem sempre foi assim. é algo que se adquire com o tempo e experiência!

se antes punha a roupa a lavar de qualquer maneira, aos poucos comecei a aperceber-me da verdadeira ciência que existe em torno do (aparentemente) simples acto de pôr a roupa a lavar, e desde então tenho vindo a aprimorar a minha técnica, tipo mestre da culinária. com a prática, torna-se tão natural que passamos pelo complexo processo sem quase dar conta dele.

começado pelo tipo de roupa.
é necessário proceder à separação por tipos de tecido e cores para não darmos cabo da roupa nas lavagens frequentes, especialmente se temos amor às peças. é também necessário avaliar sujidade de modo a escolher o programa/quantidade de detergente mais adequados.

muitas vezes, para atingir quantidades de roupa aceitáveis para irem à máquina, é preciso deixar a roupa suja ir acumulando, o que se traduz em pilhas intermináveis ao fim-de-semana :P

a escolha do detergente também carece de muita atenção. hoje em dia há um detergente para cada nação, e uma pessoa não querendo arriscar a lengalenga deles não ser verdade, acaba por comprar as colecções todas. um para roupa normal, um para roupa preta, e outro para roupa colorida, outro para roupa sensível.... (decidi parar por aqui, pois apercebi-me que a questão dos detergentes só por si dava um post!)

depois, o tipo e a quantidade de detergente a utilizar está dependente de vários factores: quantidade, sujidade, tecido, cor, e nível de dureza da água.

ainda temos que decidir se é necessário pré-lavagem, amaciador, algum aditivo ou toalhita absorvente de tinta em suspensão na água.

 

no meio disto tudo, escolher o programa quase parece uma brincadeira para crianças, pois as maquinas têm programas automáticos que fazem as contas todas por nós... mas eu pessoalmente gosto de ter mão neste processo, e poder alterar alguns dos presets de acordo com as necessidades que sinto que a roupa tem. às vezes não precisa de lavar durante tanto tempo, ou com uma temperatura tão alta, ou deve ter mais centrifugação para enxugar mais rapidamente na secadora..

 

digam lá se não tenho razão, quando digo que lavar roupa não é tarefa para homens... é algo que requer muita perícia, sensibilidade e intuição.

perícia eles até podem ter...mas, que é da sensibilidade e intuição? todas nós sabemos que os homens nasceram desprovidos destas duas qualidades, por isso é uma tarefa que apenas pode ser perfeitamente executada por uma mulher e eu tenho muito amor às minhas malhinhas!

 

daí que a escolha de uma máquina de lavar roupa é um processo tão complicado para nós, mulheres. ela tem que ser especial, tem que estar à altura das nossas necessidades. precisamos de sentir total confiança nela, é uma ligação intima muito importante que se estabelece com o aparelho. por isso, nada de criticar as nossas exigências no que diz respeito às características das mesmas!

(espero que tenha dado para notar que o post é suposto ser cómico e inofensivo ^^)