365/365

este meu 2014 foi muito apagadito, coitadito. inverno dolorosamente longo e desagradável, verão miserável, que mal aqueceu, trabalho, trabalho e mais trabalho, e muito cansaço.. a combinação perfeita para ter pouca vontade de me mexer..

 

mas para não entorpecer, voltei a fazer geocaching, que proporcionou alguns passeios interessantes por sesimbra, serra de montejunto e albufeira do maranhão; tive uma semana brutal na madeira, fartei-me de conduzir e conheci lugares incríveis; passei a semana e meia da praxe às voltas pela costa alentejana; andei metida no que sobrou do verão entre a arrábida e tróia (a descoberta do ano), na esperança de conseguir uns dias de praia minimamente decentes; e termino o ano na minha serra favorita. não foi o mais movimentado dos anos, mas não me posso queixar para não arranjar sarilhos com o karma :D

 

sucede que o que mais marca 2014 não foram as passeatas, mas sim as patuscadas.. foi só enfardar este ano!

 

deve ter sido para compensar o tempo asqueroso, uma pessoa precisa de consolo muahaha provei finalmente o arroz de lingueirão na carrasqueira, depois de anos a prometer; comi muito porco preto em tascas refundidas por esse alentejo fora; marisco à fartanzana; choco frito; bifes, tostas, wraps e pregos deliciosos; a juntar à caracoladas, nachadas e sushizadas do costume.. como só aumentei do 24 para o 26 nas calças é milagre!

 

isso e filmes. quando não apetece sair de casa, tornamo-nos muito íntimos com o sofá.. vi cerca de 100 filmes, alguns deles mais do que uma vez. aliás, foi assunto recorrente aqui no tasco, praí um terço dos posts que publiquei este ano são sobre cinema. faltou alguns que comecei a escrever mas que não passaram de rascunho. 

em novembro, e para desenjoar de tanta americanisse, voltamos ao anime. devorámos umas quantas séries quase de enfiada, para compensar os dez anos de hiato he he he ainda estou a decidir se hei-de trazer esse tema aqui pro blog ou se me deixe ficar quietinha. we'll see..

 

comemorei o meu 35º aniversário, algo que ainda hoje tenho uma certa dificuldade em aceitar, e por comemorar ficou o 10º aniversário de casório, mas logo se trata disso.. criançada, um conselho que vos dou de borla: casar no mesmo dia do aniversário, por muito giro que pareça é má ideia - eventualmente vão ficar deprimidos com a idade que não pára de aumentar (para não enumerar outros motivos, alguns ainda mais deprimentes) e perdem a vontade para grandes festejos. vão por mim que é verdade.

 

mais… tratamos de um assunto há muito pendente, levar o chasso a conhecer o criador (estava encostado há bastante tempo); o homem foi finalmente tirar o cornichon; arranjei um smartphone android (AH AH AH AH… as voltas que a vida dá); descobri que sofro de alergias (tive um ataque de rinite brutal porque andei metida no meio das ervas a fotografar flores silvestres), e parece que até a gatos sou alérgica (o universo tem um sentido de humor do crl); por falar em gatos, a gata deu-me cabo do juízo com as manias dela; meti-me nas corridas e depois parei por causa do frio; pedaleisup'ei; fiz cenas!

 

para terminar, cartão vermelho ao meu carrinho lindo, que me depenou à grande este ano. podia ter ido com o homem uma semana de férias com tudo incluído para as caraíbas com o guito que enterrei nele.. é bom que não dê chatices nos próximos tempos, não tou para andar a sustentar oficinas..

 

…e dentro de momentos seguem-se outros 365 dias novinhos em folha para torrar, vamos a isso. sem remorsos!

31 de Dezembro de 2014, às 17:19link do post comentar(1)