Férias... a vida no "paraíso"!

antes de mais, apercebi-me de duas coisas logo na primeira noite:

- que tava tramada com o meu cabelo, que não atina NADA com humidade e fica HORROROSO, todo frisado e espetado argh  :P

- que às vezes ser uma gaja demasiado prática tem as suas desvantagens.. ou então ter feito a mala às duas da manhã afectou-me o julgamento... levei pouquíssima roupa. 2 tops para uma semana num sitio com um calor e humidade excessivos... srly? onde é que eu tinha a cabeça!?
já para não falar que me esqueci de dois vestidos... e mais umas bermudas também não ocupavam muito espaço na mala, pois não... que fail! :P

anyway...

então o que é que se faz num sitio daqueles, perguntam vocês!
dormir, comer e ficar de molho na água o dia todo. oh yeah!

fomos em all inclusive, que significa comer e beber à fartanzana!
...mas eu diria que os gajos fizeram foi um bom negócio connosco, já que somos poupadinhos no álcool (quer dizer, ainda bebemos uns coco locos, piña coladas, miami vices e espumante - o marido, eu não - mas havia lá muita maralha permanentemente bêbada) e nem por isso comemos muito.. fazíamos 3 refeições diárias: pequeno-almoço, almoço tardio, e jantar. e mesmo assim andávamos sempre enfartados.. devia ser da quantidade de doces que comíamos à sobremesa muhahah

descobrimos que a vida ali começa cedo.
às 7 da manhã já faz um calor desgraçado e o dia de praia começa perfeitamente às 8 da manhã. mas a essa hora tavamos nós a enfardar o pequeno-almoço nas calmas :)
e tendo em conta que 7 da manhã lá, era na realidade meio-dia no nosso "relógio", hora típica de acordar ao fim-de-semana, olha... jet lag, nem vê-lo *snif snif*

o clima nesta altura do ano é no mínimo, estranho. tanto estava sol como desabava uma chuvada, apanhamos mesmo 50/50 (para muita pena minha, que só queria sol he he). mas nublado (e a chover) ou não tava sempre calor.

no verão, o sol ali não brinca em serviço. três horas eram suficientes para a pele assar literalmente, se não tivesse debaixo de uma camada de protector solar ou roupa... mas roupa com aquele calor? i don't think so.. 
depois de um dia de praia notava-se perfeitamente onde me tinha esquecido a espalhar protector e raros foram os dias em que não apanhei um escaldão algures. e se tivéssemos apanhado os dias todos como esteve no sábado e no domingo (sol sol sol all day long), não tinha vindo de lá bronzeada, mas sim esturricada!

mas a praia... a praia era tudo!
alguns 2km de areia fina e branca com coqueiros, e como o resort estava a meio gás a praia ali praqueles lados nunca estava muito atafulhada. proporcionou belos passeios e sessões fotográficas hi hi hi

terraço do la brisa o coqueiro sortudo

...e a temperatura da água do mar?
quente...tão inacreditavelmente quente. passei muito mais tempo dentro de água do que na espreguiçadeira ao sol he he
como existe uma barreira de coral lá ao fundo, a ondulação rebenta bem longe, logo aquilo parecia uma piscina gigantesca. as únicas ondas que tínhamos eram as causadas pelas filhas-da-puta das lanchas rápidas que estavam constantemente a passar de um lado pró outro.

ainda andamos de gaivota e canoa e fomos fazer snorkeling para um recife um bocado foleiro, mas até havia uns peixitos giros :)

snorkeling snorkeling snorkeling snorkeling snorkeling underwater

tive tentada a experimentar windsurf mas acabei por não chegar a faze-lo..
também nos recusamos a ir ver os golfinhos e nadar com os tubarões e as raias porque eu detesto aquele tipo de exploração animal..ainda pra mais quando oiço coisas do tipo "...and the stingrays.. but they not sting 'cause we took the stings out" grrr

anyway...

durante 7 dias, o único português que ouvimos era quando falávamos um com o outro. povo às centenas naquele resort: americanos, espanhóis, russos (ao pontapé), franceses... tugas ou brasileiros, népias, nada, nicles, zero...
além disso, a malta que lá trabalha não faz o mínimo esforço pa perceber quer português, quer inglês. se queríamos alguma coisa, tínhamos que tentar espremer espanhol... isto foi uma cena que me irritou um bocado porque, se é que vivem do turismo, o mínimo que podiam fazer era tentar perceber outras línguas... no algarve, por exemplo, a malta que trabalha na industria hoteleira sabe perfeitamente que tem que arranhar pelo menos inglês, ora porra!
contou-se pelos dedos de uma mão as pessoas que falaram connosco em inglês, sem serem turistas. vá lá que os recepcionistas até russo falavam, menos mal. 

outra das criticas frequentes é que o serviço de limpeza de quartos funciona muito mal. que não há hora para irem lá, ou que fica mal feito and what not. nisto também não nos podemos queixar, que deixávamos o papel na porta antes de irmos pra praia, e quando voltávamos antes da hora de almoço, o serviço tava feito. nunca falhou! (os 100 pesos diários que deixávamos de "propina" podem muito ter ajudado he he)

mas acho que pela primeira vez na vida consegui desligar-me completamente de tudo e curti uns dias de praia like a pro!

quanto ao cabelo, resolvi bem a questão: arranjei uma bandana e não saía à rua sem ela. foi remédio santo :)

(to be continued...)