De volta ao vet

dois dias depois de regressarmos de férias, começamos a notar que o rabixolas andava um bocado esquisito.. arrastava-se demasiado, mal comia, não dava mimos.. pensamos que poderia ser do calor, mas quando lhe metemos a "piscina" cheia de água à frente, ele em vez de enfiar o focinho lá dentro e fazer o "submarino" como de costume, deitou-se ao lado, com um ar muito aborrecido...
achamos que não podíamos adiar a vista ao vet por mais tempo.

apesar de eu não ter estômago para estas coisas, calhou-me a mim ir tratar do assunto. fui com ele para oeiras, para não estar a esperar mais um dia e deixar piorar as coisas.

o vet mal pegou nele para apalpa-lo disse logo que o baço tava inchado, sinal que algo de mau se passava. depois foi anestesiado para fazer analises de rotina ao sangue e rx.

os valores das análises estavam mais ou menos normais, e o rx confirmava o baço bastante inchado e mostrava o coraçãozito aumentado dele, que o vet sugeriu logo nova eco (à espera de marcação).

para tentar identificar a origem do problema, segue-se uma coisa que eu espero não voltar a assistir tão cedo: um esfregaço rectal. 
três pessoas a segurar naquele caganito. ele gemeu, contorceu-se, mijou-se e cagou-se todo. coitado do animal... só não foi mau de todo porque acabou por fornecer ao vet "material" para lhe diagnosticar uma inflamação nos intestinos. 

tratamento: antibiótico durante uma semana...

primeira tentativa: administrar o antibiótico oralmente (com uma seringa). 
o vet avisou logo que ia ser complicado e que ele não ia gostar nada daquilo, e o que se seguiu foi a coisa mais cruel que já vi acontecer àquele bicho... ele não só ODIOU o antibiótico e cuspiu-o até à ultima gota, como se trincou todo. às tantas já espumava e sangrava da boca, deixava-se cair e batia com a cabeça por todo o lado.. ele completamente desorientado e eu completamente horrorizada.. nunca antes o tinha visto em tamanha agonia e só perguntava ao vet se ele não tinha trincado a língua, porque só via sangue em cima da marquesa...

a única solução era dar-lhe o antibiótico por injecção intradérmica. vá lá que disso ele não se queixa...

durante uma semana fomos todos dos dias com ele a caminho da clinica levar o antibiótico. o mais interessante do processo é que se conseguiu notar perfeitamente os progressos a cada toma. cada dia que passava parecia mais um bocadinho animado e comia melhor, até ao culminar, que foi voltar a ir ter connosco à cama chatear-nos hehehe

entretanto ainda não voltou ao vet, mas aparentemente parece estar bem, pelo menos anda bem eléctrico (quando está acordado). e espero que assim continue por mais uns tempos.. não gosto nada de ter que submete-lo à tortura do vet (que é um bom vet) :P

15 de Julho de 2010, às 01:41link do post comentar