Férias improvisadas são as melhores, just sayin'!

reza a tradição que em agosto de ano par, a isa e o seu homem se ponham a caminho da herdade da casa branca, rumo ao festival do sudoeste! 

já tínhamos decidido que este ano íamos dar numa de nómadas e dormir no carro em frente a uma praia diferente todos os dias. dormir no carro não era novidade, no ano passado fizemos isso umas quantas vezes, era só arranjar um sitio pró banhito diário.

e era mais ou menos esse o plano: concertos e praia!

mas a coisa ainda teve vai-não-vai porque andei uns dias valentes avariada e não sabia se conseguia aguentar aquilo, ainda por cima com uma "dieta" de medicamentos em progresso.. à última da hora decidimos ir e pronto, quinta à noite fizemo-nos à estrada, disparados para ver kruder & dorfmeister e groove armada.

como eu consigo conduzir por entre aqueles carreiros apertadíssimos formados pelo amontoado gigantesco de carros mal estacionados sem lixar o cascas é um misterio que ainda está por explicar. ia acelerada porque o concerto de k&d tava a começar e queria estacionar perto da entrada, como era quinta, pensei que aquilo ainda estava morno... enganei-me, é claro!
perdi tempo, arrisquei dar cabo da pintura ao carro e acabei por ir estacionar longe.. não aprendo mesmo :P

o primeiro dia de sudoeste acabou por volta das quatro e meia da manhã, depois do concerto de groove armada (bem melhor que o anterior que assisti naquele mesmo sitio há 6 anos atrás). por essa altura já me arrastava, só queria era encostar a cabeça.

às cinco estávamos estacionados em frente à praia dos alteirinhos a rebater os bancos do cascas.
o colchão novo revelou-se uma má ideia, para caber no carro não podia estar totalmente cheio e perdeu ar durante da noite. não foi lá muito confortável acordar com as costas no "chão", tínhamos ficado melhor servidos com o apartado do ano anterior, mesmo assim não deixou de ser fixe :D

acordamos às nove, mas ficamos na ronha até às 11, que eu ainda tava um bocado desgraçada.
depois arrumamos as coisas e demos um saltinho à zambujeira, tomar o pequeno-almoço. experimentamos finalmente a mabi, uma gelataria-croissanteria famosa naquelas paragens (nada de especial no que toca a croissants, IMHO).

dali fomos ter com a malta do costume que estava alojada perto de s. teotónio, que as minhas bactérias* precisavam de frio e os icepacks tavam a começar a aquecer em vez de arrefecer..

acabamos por ficar para almoçar uma bela duma churrascada, e depois fomo-nos arrastando por lá, que já não estávamos juntos praí desde do jantar do meu aniversário.. tava um calor desgraçado, mas tava-se muita bem por lá. nem chegamos a ir para a praia.

à tardinha passa lá o dono da quinta, e conversa puxa conversa, ficamos a saber que um dos apartamentos tava vago porque houve uma desistência.. OPÁ!!
não foi mais cedo nem mais tarde, olhamos um pro outro e diz o marido "oh amigo, isso resolve-se já!"

...e pronto, fomos lá cravar o frigorifico e uma chuveirada ao pessoal e acabamos vizinhos por 3 dias! WIN WIN WIN
é que já lá tínhamos estado há dois anos atrás e tínhamos adorado tanto o sitio como as casas, mas nunca pensamos, em agosto e em pleno festival do sudoeste, que houvesse vagas.. tipo, nem tentamos he he foi mesmo uma daquelas cenas bem à maneira!

a rotina era mais ou menos esta: acordávamos às duas da tarde, íamos a s. teotónio tomar o pequeno almoço e trazer alguma coisa do supermercado para o almoço, almoçávamos todos por volta das cinco ou seis, às oito íamos para o festival e regressávamos por volta das três ou quatro da manhã.
não houve tempo para praia lol só lá metemos os pés à tardinha do ultimo dia (e tava-se tão beeeem)

no domingo, o manolo fez anos e a churrascada foi ainda maior, éramos quase 20 pessoas, com o marido aos comandos do barbecue a assar carne praquela maralha toda. bela tarde, essa :D

depois seguiu-se a última noite de concertos. air, que graças ao som espectacular que tem aquele palco, conseguiram vingar aquela a treta de concerto que deram em janeiro no coliseu, seguidos por um brutal concerto dos massive attack, e por fim, a encerrar o festival, o david guetta.

vá, eu *confesso* (luz verde para gozarem comigo à vontade) que há umas quantas músicas do gajo que até gramo, mas aquele bimbalhão (que não tem outro nome), deu o concerto mais azeiteiro a que alguma vez assisti..
...mas não consegui arredar pé.. um misto de gozo e incredulidade prendeu-me ali a ver o pessoal a curtir aquele som de cú de balão a ser estrangulado, que não passou do mesmo durante hora e meia. o gajo tinha o dom de pegar em músicas perfeitamente em condições e arruina-las em três tempos, não houve nenhuma que não acabasse connosco a soltar gargalhadas e a abanar a cabeça, era um facepalm continuo... e a malta toda maluca a vibrar bué com aquilo.. foi PRICELESS!!

a única coisa que me ocorria era que se fosse deadmou5 que estivesse ali a bombar, aquela merda explodia toda..isso sim, tinha sido épico!

...e a modos que é isto. regressamos ontem à noite, depois de uma mariscada bem jeitosa (que arruma a do marquês a um canto :0) num restaurante perto de brejão, já com aquela pontinha de nostalgia que costuma a aparecer quando estamos prestes a terminar algo que foi grande, ou não tivessem sido 4 dias bru-tais!

* medicação absolutamente asquerosa que tenho andado a tomar todas as manhãs, e que tem que ser conservada no frigorifico..

11 de Agosto de 2010, às 02:57link do post comentar