De regresso à Estrela!

já estava mais que na hora de lá voltar, e a desculpa da caça ao melhor céu estrelado em portugal era perfeita!

 

..isso e estávamos mortinhos por uma bela duma feijoca na berne hi hi hi

 

então, como tudo na nossa vida, a coisa foi planeada com dois dias de antecedência!

 

eu: "comé? vamos para onde este fim-de-semana?"

marido: "er.. para um sítio alto, mais perto do céu e com pouca luz?"

eu: "hum... sitio alto só conheço um!"

 

e não foi preciso dizer mais nada!

 

como pessoas descontraídas que somos, chega sexta à noite e não tínhamos nada preparado, excepto o material de campismo, que está estrategicamente amontoado no hall desde julho he he

 

já passava da uma da manhã quando nos fizemos à estrada.. mas tinha mesmo que ser ou então só chegávamos lá sábado à tarde, bem sei o que a "casa" gasta :P

 

por incrível que pareça não me deu sono durante a viagem. tava excitadíssima por voltar à serra e não via a hora de lá chegar. quando saí do túnel da gardunha e vi aquele vale iluminado ia-me dando uma coisa má (é das memórias que aquilo me trás he he)!

 

subir a estrada serpenteada que liga manteigas a gouveia às quatro da manhã não é para meninos (quanto mais meninas), mas eu tava determinada a passar o que restava da noite nas penhas douradas, o nosso destino.

 

não se via vivalma à hora fantástica a que chegamos lá e o parque de campismo parecia fechado, sem muito mais que pudéssemos fazer, estacionamos o carro em frente à barragem e ali ficamos.

 

apercebemo-nos logo na primeira noite que a serra da estrela, apesar de ter um céu estrelado brutalíssimo, ainda não é o sitio perfeito para as fotos nocturnas, há clarões por todos os lados. oh well.. a busca continua.

 

no dia seguinte, aproveitamos que o parque já estava aberto e fomos montar o arraial.. mas por pouco não cagamos pa tenda e ficamos num yurt!

yurts yurt yurt yurt yurt

 

por acaso já tinha lido sobre aqueles abrigos, mas pensava que era noutro parque de campismo.. só que como íamos ficar apenas uma noite, achamos que não valia a pena (mas devíamos, que eu rapei um frio valente na tenda :P).

 

por volta do meio dia fizemo-nos ao monte. já não andava a sério desde maio passado.

tínhamos planeado um percurso e contávamos fazer pelo menos seis caches, mas ainda não tínhamos chegado à primeira quando eu disse ao marido que era aquela e mais nenhuma lol

 

tava um calor do caneco, a subida inicial foi bastante tramada.

pelo caminho apanhamos um susto com um serra da estrela que estava a guardar uma ovelha que tinha acabado de parir... o sacana cão tinha cá um serrote faxavór!

e não me pareceu que o amigo tivesse receio de fazer uso dele... eu que não tenho medo nenhum de cães vi logo que a coisa podia ficar feia. pisga-te!

nem nos deixou apreciar a cria, que ainda nem se conseguia por de pé, tão fofa :')

 

(não deixou de ser uma coisa incrível de assistir.. o cão ficou para trás, junto da ovelha e da sua cria, e não deixava que ninguém se aproximasse.. respect!)

 

uns bons metros mais acima, chegamos finalmente ao sitio onde estava a cache. a vista que se tinha de lá era.. fenomenal!

barragem do rossim

 

ficamos ali um bom bocado a curtir a paisagem, até porque o marido decidiu subir ao topo do fragão. eu ainda tentei mas não tive coragem para continuar... e a dele saiu recompensada, encalhou numa cache não oficial :)

 

dali ficamos sem saber bem o que fazer.. voltar para trás não era opção porque eu não queria seguir o trilho por onde começamos por causa do cão (tenho uma capacidade de projectar mentalmente acidentes que é uma coisa parva, e conseguia imaginar perfeitamente aquelas mandíbulas cravadas na minha coxa lol), nem queria continuar na direcção das outras caches com receio de não aguentar a estafa.

decidimos então apanhar o trilho que nos levava de volta às penhas.

 

o problema é que o trilho ainda ficava longe de onde nós estavamos.. não seja por isso, corta-mato e não chora!

 

subimos e descemos e descemos e subimos, por cima das pedras e por entre os arbustos... até que finalmente encontramos o trilho e alcançamos as penhas!

 

foram alguns 10 os km percorridos naquela volta.. puf puuuuf!

 

de regresso ao parque e de banho tomado, fomos repor as energias com uma bela feijoca e umas belas migas de feijoca (é pá desgraça, é pá desgraça!).

vai de descer a manteigas, encher o bandulho e regressar, para fotografar a passagem da ISS (que falhou, bah!)

qualquer dia consigo fazer aquela estrada de olhos fechados muhahah

 

mais tarde tentamos fazer um timelapse à via lactea, mas o céu claro e o disparador a não querer colaborar fizeram-nos desistir cedo... ou se calhar foram mesmo as 3 horas de sono e a caminhada que nos deixaram KO he he

 

no domingo não nos metemos em caminhadas. fomos antes dar uma voltinha pela zona e aproveitar para fazer mais umas caches, que aquilo desde do ano passado, nasceram ali como cogumelos..

à tarde ainda demos a volta à barragem de gaivota..qualquer coisa como uma hora a pedalar sem parar.. nada mau!

 

depois arrumada a tralha e da jantarada no restaurante do ecoresort (que tem uma vista brutal sobre a barragem e o vale), tava na hora de dar o fim-se-semana por terminado.

 

de regresso ainda passamos pela torre. nunca tinha estado lá à noite e fiquei parva com aquela vista. vê-se tudo, tudinho, em redor..é incrivel!

torre

 

...mas ao mesmo tempo muito mau para longas exposições. e faz um frio do caraças à noite :P

mesmo assim ainda montamos o tripé e tiramos umas quantas fotos, que não ficaram nada de especial. mas valeu pela vista!

 

e pronto, três horas depois estavamos em casa :)

 

(kudos pro cascas, que fez aquela brincadeira toda com um deposito, e ainda sobrou qualquer coisinha =D)