Susto..

no mês passado fomos com o furacão ao veterinário. consulta de rotina para ver como é que ele se está a portar.

 

a ultima vez que o vet lhe tinha posto os olhos em cima foi em fevereiro passado, quando ele começou com os ataques motivados pela doença no pâncreas. desde essa altura que está a ser medicado duas vezes ao dia, e tem-se estado a aguentar, algo que eu não tinha gandes esperanças. 

 

nem eu nem o vet, que ficou deveras surpreendido de vê-lo com tão bom aspecto. segundo ele, não se lembra se alguma vez viu um furão tão velho (7 anos e meio) com os problemas que tem (pâncreas, coração, adrenal, baço) com tão bom aspecto. à parte das presas gastas e amarelecidas, e de cataratas num olho, ele está impecável. continua com um pelinho espectacularmente denso e brilhante, e com apetite voraz, nada típico de um furão com tanta maleita.

 

o vet acha que ele tá-se a aguentar tão bem por causa dos cuidados que temos tido com ele. por acaso temos feito tudo o que está ao nosso alcance no que diz respeito à saúde dele. consultas de rotina com analises, rx, ecografias a tudo o que é possivel fazer, o que nos tem permitido apanhar doenças em fases iniciais e dar-lhe tratamento adequado (implante, beta-bloqueadores, prednisolona).. enfim, umas valentes pipas de massa por um animal tão pequeno. mas não costumamos olhar às despesas, se é pelo bem estar dele, siga!

 

a minha maior preocupação quando lá estive é se ele estaria a sentir dor, mas o vet achou que não. e se come e faz as necessidades como normalmente, é bom sinal.

 

só houve uma coisa que ele nos disse que me deixou preocupada. que estes gajitos agarram-se à vida com um força fora do comum e é frequente os donos terem que tomar decisões difíceis, porque eles simplesmente não se deixam ir..

ontem de madrugada tivemos a prova vida disto.

 

seriam umas duas e meia da manhã ouvimos um grito aflitivo vindo do quarto, parecia quase um gato assanhado a lutar com outro. fomos ver o que se passava e encontramos o bixo num estado que nem sei bem como descrever.. parecia que o estavam a matar. ginhachava, contorcia-se todo.. tanto que era difícil agarra-lo.

 

trouxemo-lo para a sala e ficamos a segura-lo no lugar enquanto ele tinha ataques sucessivos, completamente diferentes daqueles que estávamos habituados. durante duas horas, o bixo parecia literalmente que nos estava a morrer nas mãos. de certeza absoluta que estava a sofrer com dores excruciantes...mas àquela hora era escusado chatear o vet dele.. leva-lo a um vet normal também não era opção porque não sabem o que fazer com eles..

 

por volta das cinco e meia da manhã acalmou finalmente. mas não tinha reacção, o corpinho delgado dele estava hirto, não se mexia, apenas ofegava e lamentava-se. pensamos mesmo que estávamos a perde-lo..

 

deixamo-nos dormir na sala com ele ao lado. quando acordamos de manhã cedo, ele continuava deitado na mesma posição, vivo! 

finalmente aceitou água e tomou logo a medicação, a qual engoliu como se estivesse esfomeado.

 

passado algumas horas estava a fazer a vida habitual: comer, sujar a casa de banho, e andar a entrar e sair de dentro do sofá. está aparentemente normal e sem indícios do que se passou na noite anterior.

 

...realmente são mesmo uns animais com uma capacidade de recuperação incrível. mas segunda temos que melgar o vet, tenho cá para mim que isto é capaz de se repetir..

10 de Setembro de 2011, às 18:40link do post comentar