Ainda nem tínhamos conseguido descansar da semana anterior...

...já nos estávamos a meter noutra!

 

ele há coisas do arco-da-velha. há umas semanas atrás o marido disse-me que andava no ar a eventualidade de ter que ir à holanda ter formação, mas o tempo foi passando e a coisa não atava nem desatava, por isso fomos deixando o assunto para trás.

 

...até que na segunda-feira, por volta das 10 da manhã (do dia em que era suposto ele ir para lá) começam os telefonemas e os mails.. o resto da manhã foi passado numa incerteza pegada, sem sabermos bem como ia acabar aquele dia. por volta da hora do almoço chega a derradeira decisão:


- tens *mesmo* que ir para a holanda *hoje*! 

 

o homem entra em stress!


tem que ir, mas diz que não vai sem mim... tem que ir, mas não tem *nada* preparado ou combinado.. naquele momento tudo está dependente de tudo. e no meio de tanto stress, lá começamos a esboçar um plano. 

 

primeiro entrave: se eu não pudesse ir, ele passava a outro. recusava-se a viajar para o estrangeiro sem me levar atrás.

 

à uma e meia da tarde vou falar com a minha chefia, que por sorte estava disponível àquela hora e pergunto se há problema em trabalhar à distância durante o resto da semana. não seria justo para com o marido, fechado numa sala a ter formação das 9 às 5, e eu a dar numa de turista e visitar a cidade toda, né? nem sequer faz o meu estilo..

 

segundo entrave: alojamento!

 

como eu não estava abrangida pela formação, o alojamento teria que ficar por nossa conta e não estávamos a encontrar nada decente por menos de 600€. começávamos a não achar piada aos gastos que íamos ter com isto... foi nessa altura que o marido lembrou-se que tínhamos um ex-colega a viver lá. cravei o contacto dele e minutos depois tínhamos sitio onde ficar, não era em amsterdão, mas ficava a 10mn de comboio do local da formação (sloterdijk). w00t!

 

então às duas e meia da tarde as passagens estavam compradas e tínhamos sitio onde ficar, mas.. e o resto??

 

terceiro entrave: não tínhamos as malas feitas. isto a 3 horas do check-in... PÂNICO!

 

sem tempo a perder, apanhamos um taxi para casa. um telefonema à sogrinha, que se prontificou a ir buscar o furas a almada foi uma GRANDE ajuda, pois ele não podia ficar sozinho e era impossível irmos a azeitão naquele momento.

 

enfiamos tudo e mais alguma coisa numa mala, sem passar a ferro sequer (eu sabia que um dia este "mau" hábito nos havia de morder o cú): roupa interior com fartura, calças, camisolas quentes, polares, gorros, etc etc que vamos para um pais onde nesta altura, as temperaturas andam entre os e os .. MEDO!

 

quarto entrave: os casacos de inverno estão todos na lavandaria... restavam os da neve... SIGA!

(o meu é cor-de-rosa choque, mas hey, nestas alturas uma pessoa não se pode armar em esquisita, né?)

 

às quatro e meia tínhamos tudo preparado. falava apenas meter o carro na garagem e eu comer qualquer coisa antes que caísse pro lado. como já estava a ficar um bocado mal-disposta, bebi apenas um iogurte..

 

enfiamos as malas no carro e o marido chamou um taxi para nos apanhar na garagem. o tempo tinha que ser optimizado ao segundo lol

 

o taxi deixou-nos no aeroporto exactamente à hora que queríamos, cinco e vinte. estava tudo a correr demasiado bem, apesar do stress todo que estávamos a ter com aquilo tudo.

 

a fila para o check-in estava enorme, e tanto eu como ele tavamos com dores brutais nas costas que mal nos aguentávamos em pé.. eu até respirava fundo, se não ainda tinha um treco marado qualquer..

 

pior que a fila para o check-in era a fila para o raio-x. enooooorme, e as mochilas a pesar toneladas.. naquela altura, apenas com o pequeno-almoço e um iogurte dentro, já me começava a sentir mal... vá lá que aquilo até andava relativamente rápido.

 

às seis e meia finalmente consigo sentar-me e "almoçar". decidi não comer nada de muito forte se não o estômago ainda me pregava uma partida. comi uma saladita oceânica no mcdonalds. 

 

às sete da tarde entramos no avião, um boeing 737 da transavia. sou completamente fã de aviões.. quando *não* estou dentro deles lol

 

a noite já tinha caído quando levantámos e o céu esteve nublado a maior parte do tempo, não deu para ver grande coisa pela janela.. só já por cima do norte de frança / bélgica é que começaram a aparecer luzinhas. tão fixeeeee!
fiquei histérica, das vezes anteriores que voamos, da janela só se via céu e oceano he he

 

o voo foi sempre muito tranquilo. não apanhamos turbulência nenhuma, e as três horas passaram-se num instante. "foi uma ida ao algarve" dizia o hóme, mas...

 

...a aterragem pregou-me um cagaço à maneira!

 

lá em baixo estava nevoeiro cerrado. o avião começa a descer furiosamente, prestes a mergulhar no mar de nuvens, quando a inclinação muda repentinamente e o gajo volta a ganhar altitude à força toda........ 

 

claro que aqui a isa entrou logo em pânico e começa a traçar uma data de desfechos possiveis.. mas um avião cheio de holandeses parecia que nem tinha dado pela coisa. minutos mais tarde o piloto comunica que não foi possível aterrar devido às fracas condições de visibilidade, e que pátáti pátátá, tiveram que voltar a subir e iam tentar a aterragem novamente. mas não achei lá muita piada a coisa, não.. :P

 

à segunda lá aterraram a ave em solo firme.. and welcome to the netherlands!!

24 de Novembro de 2011, às 00:42link do post comentar