Lost in... the market!

ora bem, o consumo de vegetais na nossa dieta é uma coisa parva, e vegetais quando mais frescos, melhor. daí termos há uns tempos, alinhado uma daquelas iniciativas que promovem a agricultura local e vendem cabazes hortículas.

 

infelizmente o cabaz veio a revelar-se desajustado às nossas necessidades..

 

primeiro, e como eles bem dizem no site "grupo de pequenos produtores (...) para melhorar o escoamento das suas produções", às vezes os vegetais vinham com cara de poucos amigos e se não fossem logo consumidos, estragavam-se.

 

segundo, não podemos escolher os vegetais queremos receber, nem quantidades. existe uma lista onde podemos assinalar cinco produtos que não queremos mesmo, e é isso.. vai daí, aparecia muita coisa que não faz parte da nossa alimentação, tipo alface, agrião (odeio), favas (blargh), fruta que não gostamos, feijão seco, etc etc e falhamos constantemente a adaptação às coisas novas..

 

terceiro, tinha que ir a azeitão buscar o cabaz. ainda são 40km...

 

quarto, tinha que ir ao supermercado à mesma, buscar os veggies habituais que falhavam..

 

como não estava a ser grande negócio para nós, desistimos e voltamos à estaca zero.. que é como quem diz, ao supermercado. até que há uns fins-de-semana atrás descobri..

 

O MERCADO!

 

o mercado era um daqueles sítios onde costumava ir com a minha mãe ou avó, quando era novita. lembro-me que gostava daquele corrupio todo de pessoas em redor das bancas de peixe e de hortaliças, apesar de levar altas secas enquanto as comadres punham a conversa em dia.
depois cresci e o hábito perdeu-se no tempo.. passei a frequentar os supermercados, mais cómodos e sempre disponíveis..

 

..que também têm as suas desvantagens. à noite por exemplo, que é quando costumo ir fazer compras, os vegetais já estão muito remexidos e com mau aspecto e a variedade deixa muito a desejar. temos uma fruprogress perto de casa mas apercebi-me que não há grande diferença entre comprar lá ou no supermercado... e tem mais fruta que outra coisa qualquer.

 

desde que vivo em almada, há 10 anos, tinha ido lá praí duas vezes, apesar do marido estar sempre a insistir para irmos e só ficar a 300m de distância de casa. só que a preguiça é cadela, e se durante a semana é impossível, ao sábado boa sorte em arrancarem-me da cama antes das duas da tarde.. true story!

 

até que ao segundo sábado deste janeiro, uma manhã em que saí da cama disparada para ir fotografar nevoeiro, apanhamos o mercado aberto e paramos para ir comprar peixe para o almoço..

 

passei-me!

 

com a quantidade de vegetais deliciosos que vi à venda. só não vim carregada de goodies porque tinha ido abastecer-me no supermercado havia pouco tempo. mas ficou combinado, que no sábado seguinte, o marido iria arrancar-me da cama cedo e íamos tomar aquilo de assalto. e assim foi!

 

..e assim é!
 

desde esse sábado que temos voltado lá todos sem excepção. venho de lá sempre carregada com quilos de vegetais frescos e deliciosos e peixinho boooom. é AWESOME!

praça FTW

 

estabelecemos uma rotina que consiste em dar uma volta pelas bancadas todas e identificar onde vamos comprar o que precisamos. não ligo aos preços, pois anda tudo pela mesma bitola. compro onde me parece mais fresco e apetitoso. 

 

a simpatia é outra coisa que me agrada bastante. não há a impessoalidade das grandes superfícies, os vendedores começam a conhecer-nos e a saber os nossos hábitos de consumo e a darem-nos dicas. and again, é AWESOME!

 

espero que isto de ir ao mercado se torne um hábito enraizado e não mais uma das nossas fases passageiras, porque apesar de ter que acordar cedo ao fim-de-semana compensa MUITO. não só na factura de vegetais como também na qualidade e sabor das nossas refeições \m/

25 de Fevereiro de 2012, às 11:23link do post comentar