Gerês // dia 4

como tudo o que é bom acaba depressa, este foi o dia em que nos despedimos da estalagem da vista bela. com muita pena nossa, pois deixámos muita coisa mal explorada ali pelas redondezas.. some other time :)

 

dali fomos conhecer montalegre e a barragem albufeira do alto rabagão, que o homem estava curioso acerca de uma aldeia, vilarinho de negrões, que está estacionada praticamente dentro de água... quando a albufeira está cheia, que o que nós vimos ficou muito aquém do que esperávamos. damn you, winter!

vilarinho de negrões

 

btw, apanhei dois engarrafamentos de vacas nessa pequena aldeia :D

 

não gosto muito de barragens (metem-me medo) mas esta, talvez por ser tão vasta e ter poucas "ramificações", mais parece um lago.

 

depois fomos tentar almoçar. tentar porque como já passava das três da tarde, foi manguito atrás de manguito. lá nos contentámos com uma sandochas numa pastelaria no centro histórico da cidade. 

por acaso achei montalegre uma cidade muito bem amanhada. está numa localização brutal, tem umas vistas incríveis do castelo, bem apetrechada de infra-estruturas, não tinha muito trânsito nem era confusa. gostei!

 

dali fomos descobrir uma montanha que me estava a "chamar" desde que lhe meti os olhos em cima, a serra do larouco. uma elevação bastante generosa no horizonte (+ 1500m), que deve ser linda no inverno, com o pico coberto de neve. ainda tentei meter lá o carro, mas a estrada de terra batida desencorajou-me e voltei para trás (estou doente, só pode!!). um destes dias havemos de lá voltar e subi-la a pé, que assim é que tem piada :)

 

quando retomamos à estrada principal, seguimos caminho até à vila do gerês.. por espanha!

 

algumas (poucas) centenas metros em território espanhol quando passa por nós um camião e dá sinais de luz. toma, já foste!

 

FUI. MANDADA. PARAR. NUMA. OPERAÇÃO. STOP!! *

 

finalmente! tava a ver que nunca mais acontecia, mas... em espanha? meh!

el agente de la autoridad que se aproximou tinha cara de poucos amigos. imaginei logo o gajo a engendrar desculpas para me esfolar ali mesmo, mas parece que só andavam a controlar a malta, nem sequer quis saber dos documentos do carro.

 

depois de confirmado que não éramos terroristas ou foragidos, tivemos ordem para seguir.

 

e lá continuámos, sempre junto à fronteira com a serra do gerês/xurês sempre no horizonte, rumo à vila do gerês, onde iríamos passar o próximo dia e meio.

 

chegados ao destino, subimos a rua das pensões. eram tantas que não sabíamos para que lado nos havíamos de virar. vai daí, como bons geeks que somos, parámos o carro no cimo da rua, sacámos os portáteis e toca de ler reviews e ver fotos dos quartos. qualquer coisa como isto:

 

"esta é barata, mas... EWW! olha lá a cama de avózinha!"

"este quarto é fixe, mas a localização é uma porcaria.."

"err... as épocas acabam em outubro e começam em maio, WTF? e o resto do ano?"

 

acabámos por escolher a pensão - que agora é hotel - onde eu tinha ficado alojada quando lá estive da primeira vez. não era caro, tinha uma boa localização, o quarto era decente e a vista boa, e tinha garagem!

 

nessa noite caí na cama mal jantámos.. tava completamente exausta!

 

* tornou-se numa espécie de private joke, porque quando andava com o polo não havia operação stop onde não fosse caçada, mas desde que temos o cascas *nunca* mais quiseram nada comigo :D