Prometheus, are you seeing this?

SPOILERS... MUITOS!

 

o alien estreou cá uns dias antes de eu vir ao mundo, e vi-o pela primeira vez (pelo menos que tenha memória) por volta dos 4/5 anos. foi um filme que me marcou para a vida, de tão aterrorizada que fiquei com aquilo.. desde essa altura que sou atormentada por pesadelos com xenomorphs, apesar de nos últimos anos, de habituada que estou, sonhar com os monstros do giger ou com gatinhos tem praticamente o mesmo efeito :D 

 

apesar disso cresci fã da saga (exceptuando o 4º filme e as misturas com os predators) e como nunca tive oportunidade de vê-los no grande ecrã, fiquei bastante entusiasmada quando soube do prometheus. não quis ler nada sobre o filme para evitar spoilers. esperava-o bastante agressivo, e que à semelhança do alien/aliens, me deixasse acagaçada pro resto da vida. 

 

mas aquilo que vi na madrugada de quinta, de assustador teve muito pouco.. bah!

 

para começar o prometheus não é sobre a origem dos aliens (ou é?* :D), apenas partilha o mesmo universo. uma suposta espécie alienígena que pode ter estado na génese da espécie humana e a demanda de dois cientistas em encontra-la, que os leva para o espaço numa missão de reconhecimento.

 

..só que a missão dá pró torto quando em vez de seres amistosos god-like cheios de respostas, encalham numa nave cheia de armas biológicas(?), que esses mesmos seres tinham preparado para aniquilar a espécie humana (?).. às tantas encontram um deles em stasis e quando o "acordam", a reacção dele não é propriamente dito a esperada.

 

entretanto, e provavelmente para estabelecer laços entre este e os restantes filmes do franchise, duas horas e meia depois.. olha, um alien

(* ...e aqui fica a duvida se foi nesta altura que surgiu o xenomorph ancestral ou não..)

 

no final, quando a "espécie de ripley" se pira do planeta com a cabeça do andróide debaixo do braço, montada numa das naves alienígenas atrás do planeta deles em busca de respostas, ficamos com a aquela sensação de "tão.. e o resto??"

 

imo, a história tem ideias muito fixes, mas foram exploradas de uma forma um bocado atabalhoada.. para não falar em plot holes (do tipo, com um mapa tridimensional da "caverna" e contacto com a prometheus, o geólogo e o biólogo da missão perdem-se nos túneis? srly? O.o)

 

o filme levantou-me uma série de dúvidas que nem por isso são respondidas, o que frustra um bocado.. para enumerar algumas : 

 

- porque é que o "engenheiro" se suicida(?) no início do filme? e em que planeta é que ele está mesmo? 

- existem gravuras feitas por civilizações terrestres antigas, será de facto um convite ou um aviso sobre os visitantes hostis, que quem sabe contribuíram para o desaparecimento dessas mesmas civilizações? 

- e porque é que haveriam de representar num mapa a localização de um depósito de armas biológicas numa lua perdida no universo?

- o que é que aconteceu para a que população de alienígenas que estavam naquela base tivesse morrido repentinamente? rebelião?
- como é que o david parecia simplesmente saber operar a tecnologia alienígena, e comunicar com eles? só porque estudou pelo caminho? e o que terá dito ao space jockey que o irritou tanto?

- o material genético que eles tinham armazenado em cilindros já servia para criar aliens ou foi o acaso "humano ingere acidentalmente ADN alienígena, papa fêmea infértil, que engravida, e 10 horas depois tira uma lula da barriga" lula essa que se torna gigante em poucas horas e aloja um chest burster no space jockey dando origem ao xenomorph ancestral? 

 

ah e tal, usem a vossa imaginação.. epá, pois.. bem sei que isto tudo são apenas estratagemas para gerar fuss em torno dos filmes, mas preferia que me tivessem contado uma boa história em vez de retalhos que andam ao sabor da interpretação de cada um.. (mas se alguém por aí me quiser elucidar em algumas das questões, please do

 

also, as personagens (à excepção do david) estavam pouco desenvolvidas, algumas completamente acessórias (daquelas que ficamos aliviados quando morrem :D ) e o acting também não fez milagres.. 

 

os efeitos visuais estão muito bons, sem grandes excessos de CGI, e a fotografia exelente. gostei bastante dos cenários e das naves e os efeitos de holograma. 3D é que... nem vê-lo... não sei se foi de mim (que btw até gosto bastante de ver filmes em 3D) mas não me pareceu que se notasse grande coisa... (mas hey, sobra pra todos, que eu já tenho notado o 3D onde outros juram a pés juntos que não há lol)

 

notam-se várias ligações ao alien. logo assim de chapa, o titulo do filme revela-se da mesma forma, e fonte semelhante, o ambiente da nave e das relações e diálogos entre a tripulação, o andróide desprovido de sentimentos e emoções com uma secret agenda, o planeta onde decorre a acção, que parece ser o mesmo..

 

(e aqui anda uma grande confusão, porque lê-se por aí que não é (a designação dos planetas é diferente), mas se compararmos os dois, existem simplesmente demasiadas semelhanças: lua/planetóide com morfologia idêntica, orbita em torno de um gigantesco planeta com anéis, a (mesma?) nave abandonada, tripulada pela mesma espécie dos space jockeys, caída na mesma posição.. em que ficamos?)

 

.. a mensagem que a nostromo capta, que inicialmente se pensava ser um s.o.s., mas na verdade é um aviso para não se aproximarem ali, até ao andróide ficar com a cabeça separada do resto do corpo (cliché lol).. enfim, mais food for thought.

 

gostei, mas tenho que admitir que esperava um bocadinho mais de um filme do ridley scott..

 

para finalizar: the theatre situation

 

nos cinemas do el corte inglés não há lugares marcados, o que é chato.. obriga-nos a ir para a porta do cinema cedo se queremos apanhar bons lugares. e mãezinha, se eu sou conas possessiva com os meus lugares centrais na segunda fila..

 

o filme estava agendado para as 00h01, aterrámos no piso dos cinemas uma hora antes e não se via muita movimentação. entretanto às onze e meia decidimos que estava na hora de ir andado para a entrada da sala. a principio estávamos lá apenas meia dúzia, na maior das descontrações, mas rapidamente começou a amontoar-se gente por todos os lados. fui-me posicionado cada vez mais próximo da entrada, com ar de quem está a defender o seu território.. e a ser alvo de olhares de morte muhahah estava lá um então que parecia que nos queria bater :D

 

às tantas os funcionários acharam seguro meter uma fita para controlar aquela angry mob e evitar confusões durante a saída dos espectadores da sessão de outro filme (aquele com a enjoadita) que ainda decorria na sala.

 

quando finalmente limparam a sala e tiraram a fita, 20 minutos depois da hora marcada, parecia a corrida mais louca do mundo. uns por uma entrada, outros por outra, o rapazito do cinema a dizer "calma que há lugares para todos" quase que desapareceu no meio da multidão em fúria. eu mandei-me por uma porta, o marido por outra, quem chegasse primeiro tinha que segurar os lugares e defende-los com a própria vida. pode parecer ridículo, mas a verdade é nunca antes vi uma sala encher tão depressa :D

 

antes não gostava de ir aos dias de estreia por causa das confusões, mas desde que começaram a fazer estas estreias à meia-noite do "dia anterior" a coisa muda um bocado de figura porque fico com a sensação que quem vai lá àquela hora são os agarrados que querem *mesmo* ver o filme em primeira mão e a concentração de nerds por m2 é claramente maior :D