Dias de Vadiagem III

depois de uma rápida passagem por grândola para abastecer, seguimos pelo IC1 em vez de nos metermos pela A2 (e dias depois li esta notícia e os meus lábios esticaram um sorriso de satisfação :D). só lábaixo nos algarves é que decidi que preferia ser depenada pelo estado do que seguir pela N125, não conheço a estrada naquela zona e não me apeteceu meter-nos em aventuras a umas horas daquelas..

entretanto, o gps levou-nos direitinhos até ao eurotel de tavira.

 

como a reserva já estava feita e paga, as formalidades resumiram-se a uma fotocópia do CC e toma lá a chave e a factura!

(ahhh as maravilhas dos tempos modernos.. quarto de hotel reservado, a partir de um site e pago com o auxilio de outro, tudo através do telemóvel, no conforto da tenda :D)

 

quando entrei no quarto, assustei-me! imensamente espaçoso, mas o mobiliário.. medonho!

deve ser o mesmo desde que o hotel abriu, algures nos anos 70 :D

 

mas, hey.. por 35€ (quando o preço de balcão era 85€) com pequeno-almoço incluído e free wifi não nos podíamos *mesmo* queixar. além disso o quarto estava impecavelmente limpo e tinha ar condicionado. uma pechincha do outro mundo, srly!

 

..mas foi na manhã seguinte que ficámos definitivamente com a sensação de ter chulado o hotel big time. o pequeno-almoço arrumava a um canto muito hotel de 4* por onde já passámos.. havia de tudo e em farta quantidade: diversos tipos de pão, bolos, croissants, doces, queijos, carnes frias, ovos, salchichas, bacon, fruta, cereais, etc etc etc. bom, enchemos o bandulho que nem uns lords e seguimos caminho.

 

a passagem pelo este algarvio tinha por objectivo irmos conhecer a praia de altura/alagoa (whatever).. oiço tanta gente falar bem dela que quis conhecê-la. é de facto enorme e calma (fomos para uma zona pouco populada, vá)!

não tivesse o mar atafulhado de algas (que mais parecia uma sopa miso :D) e vento, tinha sido um dia de praia perfeito. a praia é fixe, tem areia finíssima e água quentinha sem ondas.. e o bar de praia do eurotel de altura faz umas sandes à maneira.

 

depois de umas horitas de praia continuámos para este até monte gordo, mas (e que me perdoem os seus habitantes e as pessoas que gostam) não ficámos *nada* impressionados.. aquele é o perfeito exemplo do algarve que eu detesto: completamente descaracterizado para chular agradar o turista :P

 

e já que estávamos tão perto, não custava nada ir até ao fim: vila real de santo antónio. 
parece ser uma vila pacata, mas confusa por causa de obras que por lá andam a fazer. curioso, não tinha a noção que ayamonte ficava "já ali" na outra margem. como se fazia tarde, não arrisquei espanha adentro, que havia um rodízio de peixe fresco à nossa espera em tavira :D'''

 

a noite acabou na terrinha, onde fui (novamente) sendo enrabada pelos pórticos da A22.. NOJENTOS!! paga-se mais por km que na A2 e a estrada é *bem* pior :P

 

não nos demorámos pela terrinha, que as férias estavam a acabar e ainda faltava ir assar para uma das nossas praias favoritas da costa alentejana: carvalhal da rocha. still, conseguimos rever a madrinha de folga da terra dos bifes e jantámos numa joint de sushi demasiado má para recordar.. saí de lá com ganas de escrever uma granda rant sobre este tipo de sítios :P 

 

já por terras do literal alentejano, apanhámos um granda desgosto: uma das nossas tascas favoritas fechou.. íamos fisgados ao arrozinho de marisco deles, mas demos com o nariz num letreiro onde se lia "arrenda-se". ficámos desolados.. (oh e btw... a marisqueira "o barco" em s. teotónio, passou a restaurante chinês.. mas que raio se passa neste quintal?!)

 

bom, tínhamos que jantar nalgum sitio. fomos tentar OUTRA VEZ... o restaurante da azenha do mar. costuma-se dizer que à terceira é de vez.. bem.. foi à quarta!

mesmo assim... depois de nome dado, TRÊS HORAS e 70 PESSOAS depois estávamos finalmente sentados para jantar.. é incrível..

obviamente não ficámos lá de plantão.. houve tempo para tudo:  arranjar sítio para passar a noite, cagar e tomar banho muhahaha

 

como íamos numa de arroz, foi o que pedímos, mas infelizmente não era tão bom como no dá-zé. deu para perceber que a malta vai lá mesmo é para apanhar épicas barrigadas de marisco.

 

no dia seguinte ainda deu para voltar ao carvalhal, jantar na tasca da vila, e encerrar as férias a comer um gelado na mabi. simplesmente.. perfeito!

 

resumindo: foram umas feriazitas à maneira, aproveitadas até ao último fôlego. conhecemos sítios, bichos e pessoas novas e revisitámos outros que adoramos, muito passeio e muito descanso \m/

11 dias fora de casa \m/ 

as fotos da coisa tão no sítio do costume :)

17 de Julho de 2012, às 01:08link do post comentar