We... are... your friends...

a propósito da presença dos justice no alive, que nós passámos por uma porrada de motivos..

 

quando há uns anos atrás o marido conheceu a banda ficou doido, não havia muita coisa que se parecesse com aquela sinfonia explosiva que eles produziam, electro maximal aos ouvidos de um ex-metaleiro soa a mel. 

já eu andava numa fase em que não aceitava coisas novas de bom grado. já me tinham falado neles, mas na altura achei.. acriançado ( LOL - só ouvi a D.A.N.C.E., vá :D) então pus de parte. mas quando ele me apareceu com aquilo em casa e disse o que era, fiquei "whoa! isto é justice?!"

 

mesmo assim ainda levei algum tempo a habituar-me àqueles rugidos electrónicos distorcidos.. mas entranharam-se-me e não tardou muito até que os álbuns deles fizessem parte da nossa colecção. 

 

o  tem um som poderosíssimo mas agressivo pa cacete, não é para qualquer ocasião.. por exemplo, está proibido de tocar no carro a certas horas mas é obrigatório noutras. se me ponho a ouvi-lo quando estou no meio do trânsito fico com instintos homicidas, dá-me ganas de levar tudo à frente.. mas quando vou a cair de sono e não posso parar para descansar, aquilo é a minha salvação!

 

o a cross the universe (álbum ao vivo) faz-se acompanhar por um documentário sobre a tour norte americana que me deixou estupefacta. ao ver aquilo fiquei com a sensação de que os putos até tinham o que era preciso, mas aquele comportamento auto-destrutivo ia acabar com eles num instante.. vai daí ter ficado genuinamente surpreendida quando o civilization saiu, nem queria acreditar que aquele par de doidos tinha-se atinado e estava a compôr um álbum novo.

 

o audio, video, disco não tem metade da agressividade do primeiro mas não creio que tenham quebrado com o estilo, que aquilo transpira justice por todos os poros e tem o toque francês em todo o seu esplendor.. está é bem mais ligeirinho e com um pormenor brutal: parece aqueles moços que pegaram nas pás dum desfibrilhador e mandaram um choque no rock a ver se o traziam de volta. ouve-se por ali com cada malha sintetizada mais potente que eu sei lá, especialmente na new lands :D 

 

mas ao vivo é que a coisa falha.. puxei alguns live acts desta última tour e não achei nada de especial, falta-lhes "um bocadinho assim"..

23 de Julho de 2012, às 23:23link do post comentar