Total Re...crap!

(atenção que tem spoilers )

 

a maior epidemia de falta de imaginação remakes que alguma vez atingiu hollywood tem provocado muitas náuseas aos fã de cinema. pegar em filmes de culto, avacalhar-lhes o argumento, juntar-lhes fogo de artificio e actores da nova geração e esperar que o pessoal engula aquela merda como se fosse uma grande coisa é simplesmente imbecil!

 

o total recall, um dos meus filmes favoritos de todo o sempre, foi uma das vitimas.. quando soube que estavam um remake dele até me benzi. estamos a falar de um clássico de sci-fi, como tal devia ser deixado intocado.. 

 

mas vá.. uma pessoa até dá o beneficio da dúvida. ainda considerei ir vê-lo no cinema porque o trailer parecia porreiro. muita acção, tecnologia futurista, altas cenários, efeitos visuais e o caneco, e nessas coisas vendo-me por pouco. 

mas depois mudei de ideias.. afinal, gosto pouco de ir ao cinema e sair de lá irritada, e já tinha a minha dose de desgostos este ano.

 

entretanto o filme desceu das telas e entrou nos tubos. bora lá despachar a coisa.

 

começa bem.. como se já não fosse infeliz a ideia do remake, decidiram que marte era demasiado mainstream e transferiram a colónia (e a trama) cá pra terra..

 

e como na terra ar é coisa que abunda, qual foi o motivo que arranjaram para meter a malta à batatada? ESPAÇO!

 

reza o argumento a história que o mundo foi devastado por uma guerra violentíssima e restaram apenas duas zonas habitáveis, em localizações opostas no globo: reino unido (re-baptizado de federação unida da bretanha) e austrália (ou a colónia - uma espécie de subúrbio, com um aspecto sombrio, rasco e decadente). zonas essas, completamente infestadas de humanos. 

 

apesar de antipodais, os dois locais não estavam isolados, antes pelo contrário, estavam unidos por uma espécie de elevador on steroids, que assegurava o transporte regular de pessoas de um lado ao outro, pelo interior do planeta... 

 

...e isto até seria um conceito brutalissímo se a idade não estragasse uma pessoa, dando-lhe algumas luzes sobre o funcionamento das coisas.. e epá, chamem-me quadrada mas acredito mais depressa numa colónia e atmosfera em marte do que num túnel que atravessa o planeta ao meio, passando pelo núcleo.. MAN!

 

mas pronto.. tamos a ver um filme de ficção cientifica :P

 

acontece que o mauzão lá do sítio queria invadir a colónia para ficar com o espaço todo para a federação (algo que não achei que fizesse grande sentido - se estamos a falar de uma colónia, não se partia logo do princípio que o território já pertencia à federação? qual era o propósito de uma invasão mesmo? quanto muito seria uma "limpeza") então arranja um bode-expiatório - a resistência - que supostamente planeava uma revolta contra a opressão da federação na colónia.

 

(fuckers.. o plot do filme original é TÃO MELHOR que isto..)

 

o resto da lengalenga é parecida à do primeiro: mexem com a memória do gajo, o gajo mexe com a própria memória, de repente a vida dele tá em perigo, junta as peças do puzzle e descobre que ele não é ele, vai direito ao líder da resistência, yada yada plot twist, os maus entram em cena, dão cabo da resistência e prosseguem com o plano de aniquilar os habitantes da colónia, perseguições, pontapés, tiros, e no fim do dia o herói salva o povo...

 

qualquer pessoa que tivesse visto o original, sabia o que ia acontecer e quando ia acontecer.. previsível e aborrecido. só teve uma surpresa: a tipa do "two weeks" lol até a prostituta das três mamas andava por lá, ainda que sem explicação fornecida para aquela "mutação" (agradar aos fãs, suponho).

 

nem tudo é mau neste filme. o cenários são de uma riqueza quase pornográfica, efeitos visuais belíssimos, uma montra de tecnologia bastante diversa e sofisticada...

 

...MAS!

 

como hoje em dia já se começa a ter alguma dificuldade em inovar e fazer coisas que nunca antes foram vistas, este filme acaba por ser uma amálgama de outros tantos do mesmo género: facilmente identificamos ali o blade runner e o minority report, e também arrisco a dizer que tem um cheirinho a a scanner darkly (o marido fala mesmo em tributo ao philp k dick), 5th element, i robot e tron:legacy..

 

também conseguiram falhar numa das coisas que torna o total recall ainda mais genial: por mais vezes que se veja o filme, nunca conseguimos chegar à conclusão se aquilo era um sonho/fantasia implantada ou se era de facto "real" (e nem sequer é suposto sabermos).. neste, essa dúvida nem sequer chega a levantar-se...

 

sobre os pobres seres que andaram durante duas horas a saltitar pelos cenários..

 

dizer que as actuações são mornas é estar a ser simpática.. não sei se houve ali erros de casting ou se os visuais e o próprio ritmo frenético do filme açambarcaram completamente a atenção, que nenhum dos actores conseguiu sobressair naquela salganhada toda. não senti empatia por nenhum deles, podiam levar porrada e morrer que nem tordos que não me arrancavam emoção alguma. e o farrell.. coitado.. parece uma pileca comparado ao schwarzennegger!

 

não quer dizer que o ti arnaldo seja o melhor actor do mundo.. longe disso. adoro o homem mas reconheço-lhe o péssimo jeito para representação (e na volta é aí que reside o charme). mas que enche qualquer ecrã onde apareça, ninguém pode negar. isso e a boca dele só servir para disparar one-liners que nunca falham em arrancar gargalhadas à malta, mesmo que tenha acabado de rebentar com a cabeça de alguém.

 

e o total recall é isso mesmo: aquela montanha de músculos a matar da forma mais bárbara que conseguir, tudo o que se atravesse no seu caminho.. o colin farrell parece um menino que se perdeu da mãmã.. bah!

 

a jessica biel (melina) também não teve presença alguma.. mas aí culpo o realizador, não quis tirar o foco à sua esposa vampira e a acção feminina foi toda para ela!

um papel exagerado, IMO.. que raio de perseguição diabólica.. o quaid/houser devia ser muito mau na cama para ela ter ficado com aquela sede de vingança (kidding - eram rivais).. ou então sérios problemas de auto-afirmação, para querer tanto executar a missão com sucesso e mostrar ao chefe que era muita boa :P

 

e se os heróis do filme são fraquinhos, os vilões ainda mais.. este cohaagen então, comparado com o do ronny cox é um insulto!

 

resumindo, que isto já vai longo.. armaram-se em espertos e quiseram fazer um remake de um filme perfeitamente saudável e bem-disposto. tinham um orçamento bem maior, tecnologia e meios impensáveis para a época do outro, e mesmo assim conseguiram produzir um cagalhão daqueles (que nem reluzente é).. well done!

 

fazerem-se sequelas (e prequelas!!!) já é arriscado o suficiente, quanto mais remakes.. a boa noticia é que a maioria resulta em flops.. pode ser que um dia a malta de hollywood se aperceba disso e desista..

12 de Dezembro de 2012, às 20:28link do post comentar