Lost in... the market II

há coisa de um ano contei por aqui que andava perdida de amores pelo mercado e esperava conseguir tornar as compras lá num hábito enraizado. 

 

apesar do verão desgraçar-me completamente as rotinas e ter posto lá os pés lá apenas três ou quatro vezes entre junho e setembro, parece que consegui: tornei-me cliente assídua e gosto mesmo de ir lá e voltar carregada com frescos. sem duvida, uma das melhores decisões que tomei nos últimos anos :D

 

já há muito que tenho bancadas (ou pedras) e vendedores favoritos, aqueles que cumprimentam e esboçam sorrisos genuínos quando vêm os clientes habituais e nunca nos enganam na mercadoria. também continuo a achar piada aos arredondamentos sempre a nosso favor e o facto de nunca querem ficar com o troco, às vezes temos que fugir lol. é uma experiência completamente à parte, humana e bastante agradável.

 

 

mas o mais interessante desta história é constatar o impacto que teve nos nossos hábitos e na nossa carteira, então:

 

- deixei de comprar vegetais no supermercado, frescos e congelados. para além do sabor da comida ter melhorado bastante, as visitas aos supermercados diminuíram. menos idas ao supermercado significa menos compras supérfluas;

 

- a fruta e os legumes têm muito melhor aspecto e são menos remexidos e quando cozinhados sabem muito melhor;

 

- como desculpa para trazer ainda mais vegetais, comecei a fazer sopa regularmente. ao passar a ter comida pronta em casa, deixámos de jantar em centros comerciais e tascas. para além da nossa alimentação ter melhorado bastante, a carteira agradece;

 

- passámos a consumir fruta regularmente;

 

- como só consigo ir lá aos sábados de manhã, ao fim-de-semana deixei de sair da cama às duas da tarde e passei a levantar-me às 9.30 / 10 horas, e assim, o fim-de-semana acaba por render muito mais;

 

- e o cliché: ao comprarmos no mercado estamos a contribuir para o desenvolvimento da economia local em vez de alimentar os "grandes" mais os lobbies deles;

 

os preços em relação aos praticados no supermercado são ela-por-ela. outras coisas mais baratas, outras mais caras, especialmente a fruta, que é o que pesa sempre mais na conta, mas o sabor e a experiência de comprar nesta forma tão tradicional compensam!

27 de Janeiro de 2013, às 19:14link do post comentar(1)