Adeus 2013…

..não deixes que a porta te saia bata no cú quando saíres!

 

dizia eu, nos últimos dias de dezembro do ano passado, que estava pessimista em relação ao ano que se seguia. imaginava perfeitamente o desafio que tínhamos pela frente e a coragem que iria ser necessária para enfrentá-lo. acabou por surpreender-me, mais pela positiva do que pela negativa, se bem que..

 

puta de ano mais estranho. não posso dizer que me correu mal, se não ainda sou atingida por um raio na tola, mas foi tão estapafúrdio - cheio de plot twists, alguns deles bem repentinos, em que num minuto tava nas nuvens, e no seguinte, colada ao chão. muitas vezes nem tinha tempo para digerir as coisas, tal não era a velocidade que aconteciam. nem sei ondé que fui desencantar energia para gerir tanta salganha junta.

also, teria sido menos denso se não fosse o facto de à minha volta parecer que nada corria bem a ninguém. vi muita gente ser maltratada pela vida e não consigo evitar de sentir-me consternada em relação a isso, embora não o demonstre muito.

 

complicado e cansativo, com montes de desafios pelo caminho, e passou tão rápido - mas tão rápido que mal dei por ele. parece que não sobra tempo sequer para respirar, hoje em dia :P

 

também a meteorologia decidiu não colaborar e espetou-nos com um dos anos mais molhados, frios e desagradáveis que tenho memória. choveu até meados de junho, e o inverno começou praticamente logo no inicio de outubro, às contas disso saímos muito pouco. algumas caminhadas, férias passadas no conforto dos sítios do costume, sem grandes aventuras. não chegámos a viajar para fora do pais, mas a verdade é que nem apetecia.

 

foi generoso em cinema, mas sovina nos concertos. nem um (o da festa de natal não conta lol)! tivemos quase, quase para voltar ao lamaçal de zurique.. o problema foi que o cartaz deste ano era tão épico que a irmos, tinha que ser os dias todos, o que significava um rombo que não podíamos mandar no nosso recém-escafiado orçamento porque.. a meio do ano pegámos na trouxa e mudámos de casa, deixando para trás uma série de coisas que já estávamos fartos. 

 

e mais uma vez não faço planos nem tenho grandes expectativas para o ano que se segue. o legado de 2013 vai continuar, que temos  uma porrada de merdas em banho-maria que têm que ser tratadas sem grandes demoras. so.. mais cansaço e complicações no horizonte, quando eu só quero é sopas e descanso. bah!

 

bom.. desde que haja saúde, que dois mil e catorze seja o que o universo bem entender!

31 de Dezembro de 2013, às 23:57link do post comentar