A felicidade reside na falta de juizo..

Nós conseguimos transformar uma simples ida a uma lavandaria num momento "daqueles"..Isto, na 5 à Sec do forum.

Saco o primeiro casaco, a minha parka branca, saco o segundo casaco, do marido, saco o terceiro casaco, o meu kispo cor-de-burro-quando-foge. Nesta altura, ela (a funcionária) examina o casaco e pergunta:

- "Isto é uma nódoa de humidade?"

Eu disse que não, e ela disse qualquer coisa do tipo que se fosse nódoa de humidade, não ia sair. Ao que o marido responde, em tom de gozo:

- "Não! É sujidade mesmo!" Depois pega na manga da parka, mostra-lhe, e diz "Não vê? Isto é mal geral!"

Depois tiro o último casaco, que era dele, e exprimo sonoramente o efeito que o cheiro que ele mandou provocou no meu nariz:

- "Pfftt, se cheira mal!!"
- "Isso foi um morto que eu vi na estrada, e roubei-lhe o casaco, só que o gajo já devia tar morto há uns três dias, por isso é que cheira tão mal!"

Faço ideia o que a gaja que estava a atender deve ter pensado...ela só se ria, mas devia estar mesmo naquela "que raio de gente mais parva"...bem, resta dizer que: somos assim, mas somos felizes lollll

Depois fomos à Fnac, ver as novidades e namorar a Canon EOS 350D (ai caraças, que nunca mais chega o Natal loll), e acabei por trazer (finalmente) o Wide Open, de Kinobe hi hi hi (CD não tem memo nada a ver com mp3...)
Então e o que é que eu vi lá que me deixou em pulgas: a 1ª season da Nanny, a e seasons de Highlander, e a de Six Feet Under (a já está lá à bués)...lá vou ter que arranjar uns trabalhitos..lolll

E o marido hoje lá foi tratar da papelada (lá tou eu bater na mesma "tecla" outra vez, mas como isto anda mal de novidades por aqui, as que aparecem têm que ser bem exploradas lolll), mais uma hora de seca para mim, que fiquei no carro à espera. Ele trouxe logo o cartão de colaborador (esta coisa dos funcionários agora serem tratados por "colaboradores" é muito fixe loll) e tudo.
Eu cá é que estou a curtir do assunto à brava, porque isto de ser mulher de um assalariado tem as suas vantagens. Se não, vejamos, eu andava para fazer um seguro de saúde porque a minha "máquina" anda a precisar de reparações, mas agora já não vale a pena dar-me a esse trabalho, porque como "esposa" tenho direito ao seguro médico que o marido vai ter por trabalhar lá. Nada mal, huh?
    30 de Julho de 2005, às 00:36link do post comentar