Dia 0 // de Lisboa a Melgaço

é matemático. quando digo que temos que sair de casa no máximo às "tantas" horas, saímos sempre 3 horas depois. tenho que começar a fazer contas com esse desfasamento, humpf!

ou seja, em vez de nos fazermos à estrada ao meio-dia, eram três da tarde quando finalmente entrámos na A1.

na verdade, para aproveitar bem o primeiro dia de férias, até porque queria visitar uma aldeia que fica lá pros lados donde judas perdeu as botas (mas que por acaso ficava numa das opções de caminho), o ideal teria sido sair de casa às 10 da manhã, não ao meio-dia.

mas sair de casa às 10 ia acontecer tanto como acertar nos 7 números do euromilhões do sorteio seguinte. não só ia sair da cama a essa hora, como ainda tinha uma porrada de coisas para fazer, tipo limpar a casa, ir a lavandaria, acabar de arrumar a tralha para a viagem, abastecer o carro e verificar a pressão dos pneus... talvez se não tivesse chegado do algarve as três e meia da manhã na noite anterior, as coisas teriam sido um bocadinho diferentes.. ou então não!

cheguei a melgaço, às oito da noite, toda rebentada. da primeira vez que fiz aquela viagem foi no chasso, pergunto-me como é que sobrevivi a tal provação lol 

a escolha do hotel monte prado não foi ao acaso. já lá tínhamos estado em 2007, para uma experiência pouco convencional (para nós), passar o natal num hotel. gostamos bastante das instalações e da zona, e andámos anos a dizer que havíamos de regressar.

infelizmente já não chegamos a horas de atacar o spa, e tão necessitada que eu estava, depois de quase cinco horas agarrada ao volante. ficamos ainda mais tristes quando soubemos que um dos melhores banhos turcos onde já cozemos ao vapor, tinha sido desactivado... ohhhhhh pá!! não se faz isto às pessoas :'(

só sei que estava tão cansada da viagem que mal consegui comer nessa noite. uma pena, que o bacalhau com broa estava realmente delicioso..

antes de encostar a cabeça nas almofadas e dar o dia por terminado, estive a confirmar a rota para o dia seguinte, a ver se por milagre, conseguia encaixar a uma passagem na tal aldeia. mas em todas as projecções, a coisa entrava sempre por caminhos que eu não queria seguir, por isso, e muito a contragosto, acabei por abandonar a ideia. há que deixar estrelas a brilhar no mapa, para futuros regressos anyway :D

não me lembra quanto pagamos pela estadia na outra vez (e como foi durante o natal deve ter sido inflacionado) mas 37€ por um quarto duplo num hotel de 4*, com pequeno incluído é uma promo do caraças!! foi a estadia mais barata das férias.

tirando o desgosto do banho turco, o hotel continua impecável, e à parte do a/c ruidoso (abençoados tampões para os ouvidos) proporcionou uma boa noite de descanso.

 

seguir para o dia 1 >