Dia dos apaixonados II

AHA!! hoje tenho desculpa para escrever um post lamechas sem ninguém apontar o dedo :D

tão eu e o homem trabalhamos juntos, e não é raro ouvir "não sei como conseguem, eu não era capaz!" acompanhado por uma expressão facial algures entre o surpreendido/chocado..

a sério que não compreendo o espanto, o que não falta por aí são casais/famílias que partilham o local de trabalho, e nunca vi problema nenhum nisso. aliás, só vejo vantagens... mas eu sou suspeita!

para nós, ser colegas é algo natural. talvez porque tenhamos começado como colegas de curso, o que assentou bem as bases da coisa. estávamos habituados a estar 24/7, e quando o curso acabou e cada um foi para o seu lado trabalhar, foi esquisito. felizmente, cinco anos depois voltávamos a ser colegas. desde 2010 que trabalhamos juntos, e estamos na mesma equipa já lá vão 4 anos.

estamos sentados lado a lado e ainda ninguém se magoou.. se bem que ele às vezes diz que tem medo de mim. admito que ele é muito mais paciente que eu, que não é raro ter ataques de fúria com as minhas cenas he he he

se levamos os problemas do trabalho para casa? podem ter a certeza que sim! se isso faz mossa na relação? de maneira nenhuma! a nossa vida pessoal e profissional pode estar completamente baralhada, mas é possível gerir a coisa.

mas assim sempre juntos, não se cansam um do outro? não! somos muito parecidos nos gostos e na forma como encaramos a vida. levamos tudo na descontra, estamos sempre a ter conversas parvas, sobre tudo e mais alguma coisa, e sempre a gozar um com o outro. diz o homem, que parecemos dois adolescentes cretinos com rasgos de seriedade lol

mas não é apenas a nossa personalidade descontraída que permite esta dinâmica. a nossa amizade e cumplicidade também pesam muito. enquanto equipa, só temos a ganhar. dentro e fora do trabalho. e sabemos que funciona bem, porque os nossos colegas mais antigos reconhecem-nos quase como se fossemos uma só pessoa :D

temos um entendimento muito próprio, muitas vezes nem preciso de lhe dizer como quero as coisas feitas que ele já sabe, e vice-versa. adivinhamos muitas vezes o que o outro está a pensar. é bué creepy e fixe ao mesmo tempo.

o homem é perfeccionista e um bocado workaholic, e obceca muito com o trabalho. é frequente apanhá-lo a programar a altas horas da madrugada, porque andou o dia todo encravado com qualquer coisa, e lembrou-se de repente da solução; ou porque descobriu outra mais eficiente. às vezes tenho que armar-me em polícia, porque não quero que ele frite os circuitos cedo demais.. mas por compreender melhor a necessidade que ele tem de fazer aquilo, não lhe dou cabo da cabeça. muito muhahahahah

e os problemas pessoais, não vão para o trabalho? a cena é, estamos sempre juntos.. não há disso. por estarmos perfeitamente cientes dos stresses um do outro, e conseguimos apoiar-nos melhor. quando chega ao fim do dia estamos ambos de rastos, ninguém se põe a medir a pilinha do cansaço ou da frustração.

quando é para desligar, é para desligar. é por isso que levo as férias e as escapadinhas tão a sério. apesar de nunca ser a 100%, porque muitas das conversas rodam à volta do nosso ramo. but then again, não imagino as coisas de forma diferente.

e espero que assim continue, durante muuuuuitos mais anos. tipo, até à reforma!!

14 de Fevereiro de 2017, às 19:00link do post comentar(5)