Dias de Vadiagem I

este ano não nos metemos com grandes planos para as férias de junho. ainda andaram uns quantos destinos além fronteiras a rodar em cima da mesa, mas não estava de apetites a confusão.. queria era fazer o mínimo possível, que de agitadas, já me bastaram as últimas! 
still, (ou não me chamasse eu isa :D) ainda demos umas voltas valentes he he he

foram surgindo ao sabor da nossa imaginação (já sabemos que as férias improvisadas são as melhores). para começar, lembrei-me que ando há que tempos para saber se aquela história do dark sky é mesmo como eles dizem ou nem por isso. era só apanhar uma noite de lua nova e céu limpo e...

 

..nem mais tarde, nem mais cedo! 

 

então, para abrir o programa de festas, demos um mergulho no alentejo profundo.

fiados nas previsões da meteorologia, marcámos duas noites num dos alojamentos recomendados pelo site (e com o aval do booking). só que.. chega o dia.. adivinhem quem decidiu estragar a festa? isso mesmo, nuvens!

 

anyway, observar o céu servia apenas a desculpa para visitar as terras do grande lago, não íamos cancelar a reserva só porque o tempo não colaborou. era zona que ainda não conhecíamos, isso só por si era motivo suficiente.

 

fizemo-nos à estrada sem pressas e chegámos a monsaraz por volta das seis da tarde. demos com o monte e depois do quarto escolhido e "check in" feito, fomos dar uma volta de reconhecimento pelas redondezas, spotar locais para fotografar o céu, e claro, conhecer monsaraz.

monsaraz 

a primeira coisa que notámos foi uma semelhança inconfundível a marvão. são ambas vilas medievais localizadas no topo de um monte, abraçadas por espessas muralhas, cujo casario bem preservado tem um charme e uma inocência cada vez mais raros de se encontrar. apesar de serem ambas pontos turísticos de referência, são respeitadas por quem as visita, as ruas estão impecavelmente limpas e até o comércio causa pouco impacto.


já a paisagem circundante é completamente diferente.. a sensação que ficámos é que as planícies e o grande lago ganham pontos à paisagem acidentada da serra de são mamede. o contraste entre o amarelo dos campos salpicado pelo verde das árvores e o azul do alqueva dá-lhe uma tranquilidade incrível. uma pessoa até fica emocionada.. tinha ficado ali a admirar o horizonte até que a noite caísse, mas chamaram-nos para jantar :)

 

depois da janta (recheada de iguarias da região), um bocado agitada por causa do jogo de portugal contra a holanda, fomos ver se essa coisa da noite escura era mesmo verdade. demos umas voltinhas por ali perto, e apesar de estar escuro (não havia lua nem iluminação pública), existiam alguns focos luminosos. disseram-nos que por volta da 1 ou 2 da manhã ficava ainda mais escuro, mas eu à meia-noite tava a cair pro lado com sono... bah!

 

o segundo dia foi dedicado ao passeio. havia duas aldeias relativamente perto dali que eu fazia questão de visitar: amareleja e luz. 

 

e, como é do meu apanágio, se estou perto de espanha, meto-me por ela adentro só porque sim.. depois dou meia-volta ao cavalo e regresso a portugal (há pancadas piores... espero!) :D

 

na amareleja ficamos parvos com a dimensão da central solar. a vila em si parece simpática, não sendo propriamente dito pequena, ainda conserva o aspecto típico das povoações alentejanas. não nos demoramos muito por lá, que estava um calor dos diabos e só apetecia estar dentro do carro com o a/c ligado. mas antes de seguirmos caminho lanchámos numa pastelaria com um nome sugestivo: banha. 

 

próxima paragem: aldeia da luz. estava deserta e silenciosa, não se via vivalma pelas ruas. na sua localização original não restou nada para contar a história, apenas podemos adivinhar pelas estradas submersas pelo lago. um bocado creepy, mas a zona é lindíssima.

Untitled 

antes de recolhermos ao monte, ainda andámos às voltas em redor do alqueva, que tem paisagens incríveis, cheias de calma. não sou fã de barragens, mas aquela é tão, mas tão imensa que esse "pequeno" pormenor passa despercebido :)

 

nessa noite jantámos num restaurante típico perto dalí, o marido alambazou-se primeiro com uma panela de açorda que dava à vontade pa 3 pessoas (entrada, diziam eles :D ainda provei mas tinha *demasiados* coentros pró meu gosto.. aliás, aquilo mais parecia um ensopado de coentros) e depois, uns belos (e deliciosos) lagartos de porco preto. eu, como não me apetecia nem carne nem bacalhau comi.. chocos grelhados. ya.. tem tudo a ver!

 

o hóme encheu-se de tal forma que quis voltar a pé para o monte, para ajudar a desmoer a barrigada lol 

não tivesse o carro ali, tinha-lhe feito companhia.. vim conduzindo devagarinho ao lado dele, para lhe iluminar o caminho que estava muito escuro.. e dar-lhe boleia, caso se acagaçasse com algum bixo muhahaha

 

no dia seguinte acordamos sem saber se ficávamos mais uma noite e ver se a meteorologia colaborava, ou se pegávamos n'agente e íamos pregar para outra freguesia.. entretanto, um sms acabou com a indecisão: a sis queria aproveitar os últimos dias de férias e decidiu juntar-se a nós no destino que se seguia: galé.

 

portanto, não vi galáxias, nublosas, estrelas e planetas.. mas vi paisagens lindas, raposas destemidas e.. furacões!

long story short, os donos da casa tinham um casalito de fedorentos.. e quando o marido me aparece no quarto com um pendurado no ombro ia-me dando uma coisa má.. não, a sério!

 

peguei nele e esfreguei-o na cara.. O-M-G! QUE SAUDADES de sentir aquele pêlo foooooofo e aquele (mau) cheiro delicioso. naquele momento quase que me caíram as defesas e quis desesperadamente voltar a ter bixos daqueles.. foram precisos dois dias para voltar a meter as ideias no lugar :P 

 

sobre onde ficámos alojados, só há uma coisa a dizer: ADORÁMOS!!

 

fica localizada entre o alqueva e monsaraz. não é muito grande (tem 5 quartos) e está decorada de uma forma muito acolhedora, com cores quentes e envolventes. descanso é a palavra de ordem: montes de sítios onde preguiçar, que nem apetece sair de lá :D
para além do quarto com um pequeno terraço, tínhamos a sala, o alpendre (onde a vista se perde até espanha), e a zona da piscina, com espreguiçadeiras, esplanada e uma lounge bastante agradável para passar lá as tardes de calor.

 

nunca antes tivémos uma experiência de alojamento assim. a sensação com que ficámos foi de que éramos tudo menos hóspedes, mas sim convidados na casa de amigos. os anfitriões (pessoal da nossa idade) deixaram-nos tão à vontade que nem trancávamos a porta do quarto.

 

ficou prometido um regresso, para conseguirmos observar o céu em condições :)

 

à vinda parámos em s. pedro do corval, atraídos pelo o reclame d"o maior centro oleiro do país". decidimos ir explorar algumas das várias olarias que lá existem e aproveitar para trazer uns recuerdos (parece que demos numa de gostar de coisas kitsch.. será a velhice kicking in? :D).
histórias interessantes, as que ouvimos de um dos comerciantes de artesanato. só por si dava um post.. havemos de voltar lá, mais cedo e com mais tempo.

Untitled 

chegámos a casa e toca de preparar o material para o resto das férias, sem sabermos ao certo como iriam ser :D

 

to be continued...