Férias "grandes", o post!

tava dificil lol

 

junho sem campismo não é junho! e como no ano passado não tivemos oportunidade de o fazer, dizer que estávamos doidos por uma semana na nossa estância de férias favorita, não faz justiça ao nosso estado de euforia quando chegámos ao parque.

 

como nas últimas férias mal parámos para respirar, estas queriam-se calmas e descansadas, estilo não mexer uma palha - e não conheço de melhor sitio no mundo que a galé para fazer render o tempo.. aliás, suspeito que existe ali um vortex que destorce o espaço e o tempo, tal não é a lentidão que os dias demoram a passar. dois parecem quatro e quatro parecem oito.. ou então é mesmo porque não se faz absolutamente nada :D

 

o que vês tu da tua toalha, isa?

(é basicamente isto.. dias inteiros deitada na areia a ver as gaivotas a deslizar preguiçosamente ao sabor da brisa, no azul do céu por cima de mim - não! nunca aconteceu nenhum "acidente" muhahaha)

 

deixámos passar o primeiro fim-de-semana por estar pegado à semana dos feriados. é uma altura que atrai magotes de jovens levados da breca ao parque, e que isso é significado de ramboiada, e que ramboiada é significado de confusão, e eu já estou com um pé na terceira idade, não me posso por a jeito dessas coisas que esfodaçam-se-me os nérves.

 

então arrumámos a tralha nas calmas e na terça ao inicio da tarde, metemo-nos a caminho. o parque ainda estava no mesmo sítio e tal como esperávamos, deserto!

 

estava deserto e deserto se manteve até ao fim-de-semana. ou foi porque a malta calçou lá toda na semana anterior, ou porque o tempo ficou assim meio xoxo e desencorajava a activade.. só sei que nunca tínhamos apanhado aquilo assim, parecia que éramos os únicos campistas de tenda. não que eu me queixe, claro. zero de filas e havia dias que nem me dava ao trabalho de vestir para ir tomar o pequeno-almoço, ia mesmo em pijama - ao fim de tantos anos já me sinto como se estivesse em casa, só não ando por lá em cuecas para não chocar as velhas muhahahah

 

o lado menos positivo em termos o parque só para nós é que na pas de parvoíces alheias com que nos entretermos.. numa semana, a única coisa assim mais parola era a "cerca" de garrafas de cerveja vazias que uns campistas tinham a circundar a tenda, que todas as manhãs tinha aumentado mais um bocadinho :D

 

uat?


(pode-se sempre fotografar bichinhos nas suas actividades habituais. a teleobjectiva da sis foi ainda mais longe e conseguiu captar um casal de lagartos a mocar, num registo digno da national geographic) 

e o tempo até podia não estar muito quente mas o sol não estava para brincadeiras. ao segundo dia de praia descuidei-me e apanhei logo um escaldão jeitoso.. não foi *de todo* bem-vindo..


tivemos apenas um dia realmente mau, em que fomos acordados por uma épica trovoada, com direito a relâmpagos na primeira fila. a tenda teve finalmente o seu derradeiro teste: resistir a uma chuvada cabrona. fiquei impressionada, pensei que aquilo alagasse tudo, mas não vi vestigios de água lá dentro w00t

 

summer is cancelled

 

mas acima de tudo, estas férias foram um autêntico deboche gastronómico!

normalmente jantamos sempre no parque, a comidinha que as senhoras cozinheiras preparam é boa e muito em conta. mas desta vez só aconteceu nos dois primeiros dias - ao terceiro (quinta) o homem estava com desejos e sugeriu que fossemos aos lagartos na tasca de melides e eu concordei, já a limpar a baba ao canto dos beiços. não havia lagartos mas havia secretos, gulosos como de costume. 

e a partir daí foi sempre a abrir!

na sexta, como eu estava de castigo por causa da minha recém adquirida tonalidade de vermelho escarlate e como tínhamos que ir a s. miguel buscar a sis que se ia juntar a nós para o fim-de-semana, fomos ao restaurante da azenha do mar mamar camarãopercebes (a 19€/kg *morri*) e salada de polvo

o jantar foi peixe fresco na tasca da vila em milfontes, que desiludiu um bocado.. renovaram o espaço e ficou mais amplo e agradável (apesar de ter perdido o ar de tasca), mas o pratos levaram um downgrade e já não vêm tão bem guarnecidos como era costume.. oh well..

 

selfie

 

(dois hipsters tiram selfies juntos à beira duma falésia em porto covo)

no sábado, o homem e a sis conspiraram para que eu os levasse à carrasqueira. ela chegou-se ao pé de mim a esfregar a barriga e a dizer que tava de apetites a arroz de lingueirão, e como eu sei que ela é apreciadora da iguaria em questão achei aquilo natural e disse-lhe que ali perto havia disso. sugeri também que aproveitássemos para ir até ao cais palafítico ver o pôr-de-sol do dia mais longo do ano.

òtempo que ouço falar naquela especialidade mas nunca tinha comido. não é mau de todo, apesar dos lingueirões se parecerem com seres extraterrestres, e serem apanhados em zonas com aspecto duvidoso.. mas não vamos pensar nisso..

mais tarde, durante a sobremesa, confessaram-me que o que ela queria mesmo era ir tirar fotos no cais e o homem disse-lhe que se ela me falasse no arroz eu saltava da toalha em três tempos - como se eu precisasse de desculpas para ir lá!!

pelo meio ainda estivemos a medir a pilinha com os fotógrafos que costumam frequentar o cais, que naquela tarde estava particularmente concorrido. as nuvens no horizonte estragaram-lhes as longas exposições - bem feita para não olharem pra minha D90 com desdenho. foi um bom dia :D

 

o dia mais longo do ano


(quer dizer.. só não me meti a fazer longas-exposições porque não tinha as pilhas no disparador.. FML)

no domingo, depois de estarmos três horas a marinar em s. torpes, fomos lanchar/jantar numa das tascas que estão junto à praia. eu e a sis enfardámos uns hamburguers deliciosos e o marido uma deliciosa tosta de frango, que escorria queijo por todos os lados, yummy!

pode não ser a praia mais charmosa do mundo - por causa da paisagem, da areia foleira junto à entrada e o aroma a peido queimado que nos entra pelas narinas adentro quando a brisa sopra de nordeste - mas até é bastante agradável, especialmente quando o mar está de feição.. a coisa aquece. literalmente!
a água quente que sai pelos canais de escoamento da termoeléctrica fica ali toda concentradinha junto ao molhe e o mar transforma-se numa banheira gigante. não tou a exagerar, desta vez até se via vapor.. quais caraíbas, qual carapuça!!
já tinha a pele toda encarquilhada e mesmo assim não queria conseguia sair de lá de dentro. eventualmente estômago cansou-se de dar horas e arrastou o meu sorry ass para terra firme, humpf..

na segunda, quando fomos devolver a sis, parámos para almoçar outra vez na azenha do mar, onde nos aterrou na mesa um brutal arroz de marisco que ainda hoje se me escorre água da boca só de me lembrar dele :D'

e os percebes continuavam a 19€/kg *chora, enquanto se lambe toda*

pelo meio ainda houve um saltinho até à terrinha, onde marcharam os maravilhosos croissants de chocolate da 29, e umas pizzas em s. teotónio, no il padrino,  bem regadas.. por somersby's - tanto insistiram comigo para experimentar aquela treta que lá decidi dar um golinho para ver se me deixavam em paz e…

...O QUE É QUE EU FUI FAZER?? 

fiquei viciada naquilo! é uma bebida estranha.. refrescante, gulosa, e que apesar de doce não acho enjoativa, e não me sabe minimamente a álcool.. o que é um problema - depois de mamar uma, quando me levanto vejo logo tudo a andar a roda.. tenrinha que sou lol não tou preocupada, mais uns dias e a coisa vai lá!

 

a descoberta do ano

 

e para terminar as férias em grande, uma patuscada de choco frito no leo, em setúbal.

not bad!