Há dias muito difíceis

na vida de uma pessoa, temos que ser fortes.. no domingo, mal acordei, fui logo enfiar-me na cozinha, ainda meio grogue do sono. preparei as minha receita secreta de sandes de atum, com toda a técnica e rigor que ela pede. eu levo isto das sandes de atum muito a sério, porque só as preparo numa ocasião especial: em dia de praia. nenhum detalhe pode falhar, nenhum ingrediente pode ficar esquecido, ou em proporções inadequadas. uma má sandes de atum, é prenúncio de um mau dia de praia. enxotei o homem da cozinha, e reclamei-a toda para mim, para atingir o nível de concentração necessário. 

aviadas as sandes, despachei-me muito rapidamente, não queria desperdiçar tempo precioso daquele dia.

tinha pela frente 130km. uma hora e uns poucos de minutos agarrada ao volante, chegamos ao nosso destino. depois ainda tive que arrastar o trolley com as tralhas da praia umas centenas de metros pela areia, até encontrarmos um bom sítio para assentar. como fazia um certo vento, perdemos alguns momentos a estudar a sua direcção, para decidir qual a melhor posição para colocar o resguardo. depois de algumas tentativas menos bem sucedidas, a tarefa foi concluída com sucesso. seguiu-se a colocação do chapéu de sol, e a preparação do restante estaminé: sacar as toalhas, a almofada, os cremes solares, e a literatura.

nesta altura já estava estafada, que mal me aguentava.. e ainda tinha que me despir!

mesmo assim, não consegui parar muito tempo quieta a descansar. levei o dia todo entre a água e a toalha, e a toalha e a água. super-cansativo, é o que tenho a dizer.. tanto que às vezes ficava a meio do caminho, caída redonda na areia. depois tinha que voltar à água para tirar a areia, e ficava presa neste loop. mas na toalha as coisas também não são fáceis. não consigo ficar muito tempo deitada na mesma posição, é uma chatice ter que virar-me constantemente..

ao fim da tarde, o processo foi todo revertido. vestir, arrumar a tralha, voltar ao carro, voltar a casa. não minto, foi um dia tremendamente extenuante. só de me lembrar dele, fico sem folgo..

ou então é lembrar-me deste cenário que fico sem folgo



não há condições..

btw, as sandes estavam deliciosas, como de costume.

14 de Julho de 2016, às 15:09link do post comentar(3)