Isto de viver em apartamentos tem muito que se lhe diga

não há casa mais prática.. mas em contrapartida, a nossa privacidade (e a dos outros) fica só assim um bocadinho comprometida.

das várias questões que existem, a do ruído é capaz de ser das mais chatas.. especialmente se não estamos no último andar do prédio.

 

não basta o chinfrim que por vezes consegue atravessar os minúsculos poros dos dois palmos de betão que nos separam do andar de cima, o tomp tomp tomp de um lado para o outro, os móveis a serem arrastados e as portas a baterem, como no silêncio da noite, ouvir-se perfeitamente a actividade mictória do vizinho.. e estamos a falar de sanitas suspensas!

 

é preciso ter estômago.. e não vale a pena estrebuchar pois o vizinho de baixo também é capaz ter ter algumas queixas nossas - MAS - nada nos impede de fazer uma utilização criativa desses pequenos incómodos, pois não? :D

 

assim de repente, ocorre-me que pode ser um excelente ice breaker para usar em reuniões de condomínio ou nos silêncios constrangedores durante as viagens de elevador:

 

"então vizinho, aquilo ontem é que foi uma senhora mija, hem.. mais um bocadinho e provocava uma inundação no prédio!" seguido de risada labrega

 

ou então ficar simplesmente a olhá-lo de esguelha, com cara de caso "eu sei que tiraste o cú da cama às duas da manhã para ir mijar"

5 de Fevereiro de 2014, às 01:15link do post comentar