Lost in… Madeira!

estava tudo encaminhado para que as férias da primavera fossem passadas entre a peneda e o gerês - matar saudades dos nossos locais favoritos, conhecer outros, e tratar dos "assuntos pendentes" que vão acumulando a casa visita..

..até que no fim de janeiro, recebemos a notícia de que a cunhada tinha sido colocada numa escola no estreito da câmara de lobos... mudança de planos: siga conhecer a madeira!!

a madeira é um daqueles destinos que nunca ninguém me disse que "tens que ir lá, que aquilo é fantástico".. para falar a verdade nunca ouvi falar grande coisa sobre as características daquele pedacito de portugal, plantado no meio do atlântico, e o que ouvia não era suficiente para me despertar a curiosidade (shame on me, i know, i know).. mas com alojamento à borla e voos em conta graças à easyjet, éramos parvos em não aproveitar a oportunidade. 

tão de modo fazer render ao máximo a nossa visita de seis dias, em vez de irmos às cegas como de costume, decidi fazer o trabalho de casa. vasculhei fotos, guias, foruns, blogs, etc, o que resultou numa checklist com vinte e cinco items, entre pontos de interesse, percursos, gastronomia, etc, tudo que não devia podia perder.

para além dessa lista, elaborei ainda outra, com o material a levar e tarefas que tinham que ser feitas até à partida, tudo planeado ao milímetro para que nada falhasse, nem parecia coisa minha lol

comprámos os bilhetes de avião com 3 semanas de antecedência, algo que detesto fazer porque tenho sempre receio que aconteça alguma coisa à última da hora que me impeça de viajar e depois é dinheiro deitado à rua, mas o preço era demasiado bom para deixar passar.

quisemos também aproveitar a parceria da easyjet com a europcar, que permitia alugar carro por um valor bastante em conta.. mas as regras parvas deles obrigaram-nos a cancelar a reserva e procurar uma rent-a-car que fosse menos picuinhas. 

 

mal assentámos o coiro no chão, não sei se foi por ter os ouvidos completamente tapados pela pressão (tal não foi a bruteza da descida), ou se foi por estar a 1000km de distância da rotina, ou se foi da paisagem que vi da janela do avião, desliguei-me. não queria saber de mais nada, apenas daquele lugar :D

 

andámos (de carro lol) que nos fartámos, subimos aos picos mais altos, descemos aos vales mais baixos, arrastámos o cú por canais de lava de um vulcão extinto, tirámos centenas de fotos (não conseguia tirar o dedo de cima do disparador da máquina, parecia que estava colado com super cola 3), cachámos, ficámos deslumbrados, arrebatados, emocionados, e inspirados pela beleza natural daquela ilha.

 

apesar de ainda ter ficado tanto, mas TANTO para ver e fazer (acabei por chegar à conclusão que tinha feito uma lista demasiado ambiciosa para apenas uma semana), o saldo final foi bastante positivo. esta viagem acabou por servir o propósito de fazer a volta de reconhecimento à ilha, e a próxima será certamente para palmilhar aquilo a pé. é um sacrilégio não caminhar por aquelas veredas, levadas e trilhos...

 

srly, quem diz que a madeira se vê em 3 ou 4 dias está redondamente enganado!

1 de Abril de 2014, às 21:22link do post comentar