Lost in.. Zürich

o avião aterrou debaixo de chuva pesada, o recinto ali ao lado devia estar *bem* empapado.. good, já que vinha carregada com as galochas, queria usá-las!!

 

como pessoas aventureiras que somos, fomos prá suiça completamente à nora do que nos esperava.. mas bote-se COMPLETAMENTE À NORA nisso!

 

não li nada sobre zurique ou sobre a suiça, não arranjei guias nem mapas, não sabia as manhas dos câmbios e das comissões. fazia apenas uma ideia geral da cidade por ter andado a lamber o gmaps e a traçar rotas para ter ideia das distâncias, e de resto sabia que:

 

a) podíamos usar o cartão de multibanco tuga sem problemas;

b) havia um transfer gratuito do aeroporto para o hotel;

c) podíamos comprar o bilhete para o festival em estações de comboios ou supermercados (não os vendem à entrada do festival);

d) o nome da paragem de eléctrico para chegar festival;

 

e para o que desse e viesse, quem tem boca vai a roma!

 

como tínhamos tempo até ao transfer, fomos comer qualquer coisa. àquela hora, o único "restaurante" aberto no aeroporto era o macdonals.. ia ter que servir.

 

12CHF (± 10€) por uma salada miserável (a anos-luz das que vendem nos macs tugas) e uma água de 25cl. WHAT? THE? FUCK? não... eu não sabia que estava numa das cidades mais caras do mundo :D

 

o transfer veio, pontualissimo, e em menos de dez minutos estávamos no ibis

 

o check-in foi rápido e deram-nos um quartito no último andar e um papelito com 1 dia de acesso wifi grátes à net. naice!

era a primeira vez que ficávamos alojados num ibis e estávamos curiosos. realmente, a piada da caravana tem a sua razão de ser.. mas para um hotel de 2*, aquilo tinha muito bom aspecto!

 

ok, o quarto até podia ser minúsculo e o WC uma caixa de sapatos, mas.. muitíssimo acolhedor! 

a cama.. omg, a CAMA! (ou tenho memória demasiado curta ou) acho que poucas foram as vezes que dormi numa cama TÃO confortável!

 

tive que ir investigar que raio de colchão xpto seria aquele.. quando vi que era uma singela folha de espuma com apenas alguns centímetros e uma cobertura tipo edredon sobre um sommier, fiquei confusa.. como era aquilo possível?

as almofadas e o resto da roupa da cama tornam-na ainda mais confortável. serão todos assim? é que se forem, ganharam uma cliente prá vida lol

 

só sei que dormi abraçada à cama!

 

no dia seguinte acordámos cedo pa cacete.. muito conveniente quando se planeia estar acordados até às 4 ou 5 da manhã e com o "pequeno" detalhe que ainda queríamos explorar o centro cidade antes de nos irmos meter no lamaçal.

 

o wifi do hotel era um bocado manhoso e acabei por não conseguir ver mapas nem ler sobre a cidade onde estava nem o que devia visitar..

 

tudo em zurique está em alemão. por sorte, praticamente quase todas as pessoas a quem pedimos indicações na rua falavam inglês. uns revisores do eléctrico orientaram-nos para uma estação onde se podia comprar bilhetes com MB (sim, nem sequer levantámos dinheiro na moeda local quando aterrámos). comprámos dois bilhetes diários de transportes públicos e a seguir tínhamos que encontrar um sítio onde vendessem entradas para eventos.. nisto, topámos uma rapariga que já tinha a pulseira do festival e perguntámos-lhe se sabia onde podíamos comprar bilhetes. sugeriu-nos que tentássemos uma estação de comboios ali perto.

 

na estação indicada - a zürich oerlikon - conseguimos comprar as tão almejadas entradas para o festival e mais, como incluiam transporte público gratuito em toda a cidade, reembolsaram-nos os bilhetes que tínhamos acabado de comprar. w00t!

 

dali apanhamos um eléctrico para o centro. começamos o passeio na rua augusta lá do sitio, a bahnhofstrasse. muita gente, muita loja (mas daquelas hardcore, para carteiras *bem* recheadas), muita confusão.. até que finalmente chegamos às margens do lago, que é simplesmente brutal!

bahnhofstrasse apple store!! Untitled Untitled Untitled Untitled

 

fiquei parva com a cor e transparência daquele lago. apetecia-me saltar lá dentro, vestida e tudo.. ainda bem que sou uma pessoa ajuizada (cof.. cof..)

 

mortos de sede e calor, fizemos uma pausa no grand café motta, onde pagámos 13CHF por um sumo natural e uma cerveja (távamos mesmo a pedi-las.. se bem que até achei barato para o sitio que era lol e os wcs daquilo? só faltava lá um empregado para nos limpar o cú :D)

 

barrei-me à entrada de uma bodum (não queria voltar carregada para casa), e mais à frente, curiosos com o barulho, fizemos uma viragem para uma rua que era só restaurantes e música alta. no ar pairava um cheiro pestilento a queijo derretido.. blargh (e eu gosto de queijo derretido!)

 

ficámos um bocado confusos pela oferta gastronómica lá do sitio. à semelhança de amsterdam, parecia uma grande mistura de cozinhas: italiana (pizzarias everyfuckingwhere), chinesa, turca, indiana, americana.. mas.. e suíça? cadê os restaurantes típicos? o que é que esta malta come?

 

(nope.. não sabíamos que os suíços eram devoradores de queijo derretido com batatas cozidas, pickes e enchidos muhahahah brutal!!)

 

já um bocado cansados apanhamos o eléctrico de volta ao hotel porque convinha descansar e comer qualquer coisa antes da aventura que nos tinha metido em território helvético.

13 de Setembro de 2012, às 00:44link do post comentar