Love is in the air

não haja dúvida que as árvores e as demais plantas escolheram uma forma de reprodução muito engenhosa: servir-se do vento para transportar a sua semente de umas prás outras, uma vez que não podem sair do lugar onde foram nascer para tratar desse assunto.

chega primavera e a atmosfera de todos nós é palco de um intenso bacanal*, com pólen de toda a especie e feitio a ser lançado em quantidades massivas por esses céus fora, e que à deriva vai bailando até encontrar uma parceira desejosa de recebe-lo no seu seio :D

só que entretanto, boa parte dele é aspirado por narizes insuspeitos..

e começa o drama sazonal de muitos humanos e do seu sistema imunitário coninhas.. olhos inchados e lacrimejantes, comichões em sítios onde nenhuma unha alcança, espirros à parva, doses industriais de gosma.. passar abril e maio nisto não é fixe. não. é. fixe!

eu, que enquanto vivi no campo não sofria nem sequer alguma vez me preocupei com essa coisa dos pólenes, foi preciso vir pra cidade para começar a ficar afectada por essa moléstia.. e agora quando vou pró campo, volto toda desgraçada, com a cabeça feita num oito. e depois chego a casa ainda tenho o gato.. cabrona de sorte.

* existe outra palavra, também começada pela mesma letra, que era mais adequada para o caso.. mas eu não quero ferir susceptibilidades muhahahaha

25 de Maio de 2015, às 02:01link do post comentar