Não fujas

tempo… ò tempo… anda cá! achega-te aqui a mim. assim, bem pertinho. não temas que eu não mordo, sou boa pessoa. vá, precisamos ter uma conversa séria, tu e eu.

 

má'que jeito, se ainda ontem estávamos no frio do inverno, a assistir da cobertura do prédio ao fogo de artificio do primeiro de janeiro e a mastigar uvas passas, como é que hoje já estamos em agosto? explica-me lá isso porque eu não compreendo, a sério que não compreendo. tanta pressa para quê? será caso que andas a fugir de alguma coisa? isto assim não tá com nada, parece que cada vez que pisco os olhos acordo noutro mês, humpf!

 

há uns anitos atrás, demoravas taaaaaaaaaaaanto a passar que te tornavas chato. os dias pareciam longos e intermináveis, eternos quase.. nem tanto ao mar, nem tanto à terra, calma lá com isso que eu gostava de conseguir saborear a vida um bocadinho melhor :P

1 de Agosto de 2014, às 00:01link do post comentar