O Môce que faz rir

tão no sábado passado fui assistir a um espectáculo de stand-up.

apesar de gostar muito de rir, especialmente de parvoíces, stand-up não é bem a minha cena. acho que a última vez que liguei a estas coisas, ainda o fernando rocha tinha piada a contar anedotas e o george carlin era vivo. não é coisa que ligue, pronto!

acontece que há uns tempos, apanhei uma "reportagem" sobre lagos numa timeline qualquer e cliquei para ver o que vinha dalí. o "repórter" era um youtuber/comediante algarvio, um tal de môce dum cabréste, e tinha uma certa piada. quando dei por mim, estava no canal dele a ver vídeo atrás de vídeo e a rir-me que nem uma perdida.

para além de ter piada, no meio de tanta alarvidade até diz umas coisas acertadas, não é todos os dias que tropeço em alguém com essa capacidade. revi-me em muitas das merdas que ele fala nos vídeos, tipo esta, ou esta, e ainda mais esta (aliás, isto sou eu, mas com barba muhahaha), entre outras tantas. tudo embrulhado num sotaque muito genuíno e muito familiar, que não sendo da minha "zona", é d'ò perto.

anyway, pensei cá para mim que até era capaz de assistir a uma actuação do môce e como o universo é um grande conspirador, não tardei muito a descobrir que ele tinha um espectáculo agendado em lisboa, dalí a poucas semanas. eh lah!!

os bilhetes esgotaram com quase uma semana de antecedência e vá lá que não foi preciso andar à batatada para assegurar lugar na primeira fila, que a casa estava cheia.

com muito boa disposição, entre canções e poemas com letras badalhocas, humor negro, sátira inflamada e bojardas certeiras, numa prosa castiça e adornada com uma requintada selecção de palavrões, o marafáde arrancou gargalhadas à audiência durante hora e meia. o tempo passou a voar, podia ter demorado outra hora que ninguém dava por ela.

dário, se tropeçares nisto, fica a saber que adorei o lenDário e que saí do são jorge com rugas novas na cara de tanto rir... mas não te consigo perdoar por não teres levado a peruca contigo. bem sei que era um one-man show e a peruca tem uma personalidade própria, corrias o risco dela te roubar o protagonismo, mas só um bocadinho não àde fazer mal.. na te esqueças dela da próxima vez que cá vieres, ovístes!

17 de Dezembro de 2015, às 22:44link do post comentar