Only on E!

ligo pouco aos fenómenos televisivos, mas alguns conseguem escapar à regra e acabam por ter uns minutos da minha atenção.. normalmente pelas piores razões.

 

um deles é o fenómeno kardashian. aquilo que sei destas pessoas é o que apanho ocasionalmente no the superficial e noutros sites do género.. mas às vezes, também na televisão.. é que existe um canal no meo, o e!, que passa porcarias de reality shows da vida das (pseudo) celebridades a pontapé, e que só não está escondido na grelha de canais pela mesma razão que me leva a abrandar para espreitar um acidente à beira da estrada (shame on me, i know).. mas adiante!

 

então este mês tive três incidentes com o programa das kardashians (acho que há mais que um mas sinceramente, não sei distingui-los):

 

o primeiro aconteceu num zapping logo no início de janeiro. tava aborrecida de morte, e à milésima passagem pelo e! eis que vejo uma das irmãs a correr atrás do marido(?) com um strap-on assustador em riste, disposta a arrombar-lhe a porta dos fundos.. cena essa que me provocou um curto-circuito no cérebro e que me deixou paralisada, de queixo caído, a assistir àquilo.

 

pelo que percebi, naquele episódio a pancada do dia era o gajo querer plantar-lhe o nabo onde o sol não brilha e a tipa não estar praí virada.. e se ele continuasse a insistir, então tinha que levar na peidola primeiro, a ver se gostava. morreram-me uns quantos neurónios nessa noite. paz à sua alma..

 

o segundo aconteceu por culpa do homem, meteu-se a ver o desfile de vaidades dos SAG awards, e desligou a tv com o canal sintonizado. quando a tv voltou a ser ligada, à hora de jantar, lá estavam as gajas aos guinchos, todas histéricas com aquele cota com ar de tia solteirona, que aparece lá de vez em quando. penso que o tema dilema era ter uma arma de fogo em casa.

passado uns três minutos, perante a lengalenga da kim, o homem larga abrutamente os talheres em cima do prato e diz “epá, desculpa mas eu não consigo ver esta merda”. fui à procura do comando e mudei de canal, mas ainda fiquei a rir durante uns bons 10 minutos às contas da reação transtornada dele. 

 

o último foi ontem à noite. não tava a dar nada que me prendesse a atenção e ao passar pelo tal canal, fiquei para ver até onde ia chegar aquela conversa das bolas para exercitar os músculos pélvicos, e que uma delas estaria supostamente a experimentar. depois.. O DRAMA! uma das bolas ficou presa no interior da patareca, e a irmã que vem em seu auxilio achou que umas palmadas na nalga resolviam o problema. a classe destas criaturas é um assombro.

 

como se a cena das bolas não fosse ridícula o suficiente, mais à frente no episódio deram em começar a emborcar sumo de ananás porque supostamente o ananás tornava a pêssega mais doce e cheirosa.. até senti o cérebro a mirrar, juro! mas o pior ainda estava para vir..

 

quase no fim do episódio, há uma delas que serve de júri sobre qual das manas tem o hálito cavernal mais agradável. vai daí, levantam-se à vez, e acompanhadas de um guardanapo de pano na mão, vão até outra sala (para dar a ideia que vão esfregar o pano no mexilhão, pois claro) e voltam com aquilo pra irmã cheirar e dar o seu parecer… epá… srly? isto passa mesmo na tv americana? tinha cá para mim que os americanos eram uma cambada de (falsos) puritanos que não permitiam estas merdas à luz do dia.

 

mas a pergunta que realmente se impõe é: foi assim que elas conquistaram a fama? por serem umas badalhocas de primeira num programa de tv? fónix… e aposto que as pessoas que consomem isto são as mesmas que ficam todas abespinhadas quando se fala de pr0n :P

 

(btw, a designação formal das anatomias mencionadas foi intencionalmente camuflada.. é que se chamo os bois pelo nome, os motores de pesquisa encaminham-me praqui uma avalanche de rebarbados e eu não quero rebaldarias aqui no tasco..)

30 de Janeiro de 2014, às 23:17link do post comentar