Pancas da serigata III

se a primeira era a mais curiosa e a segunda a mais antiga, esta é a pancada que deixou de ser pancada.

quando a sôdona macaca veio cá para casa, apercebi-me que era capaz de ser desconfortável para o bichito, coitadito tão piqueno e frágil, comer agachado no frio chão de mosaico. então comprei um tapete para botar por baixo do prato dela. tempos depois, comecei a reparar que andava sempre a tirar o tapete de cima do prato.. ca raio..?

apercebi-me nos entretantos, que sempre que ia comer, a rapariga terminava o repasto com o mesmo gesto que usa para enterrar as poias na caixa de areia, e comecei a pensar se aquilo não seria alguma mensagem que ela estaria a tentar passar, ao tapar o prato..

fiquei indignada. atão quer dizer, essa ração que me custa os olhos da cara é para ti, o mesmo que merda. ok, mensagem recebida. não gostas disso e eu até consigo perceber porquê, mas esquisita como és, tás tramada, que não sei que mais te dê para comer :/

e os meses passaram e ela sem perder o hábito.. até que há umas noites atrás vi um documentário sobre gatos que dismistificou completamente esta pancada: é instinto! quando lhes sobra comida, os felinos tentam escondê-la para que os outros que andem nas redondezas não lhes venham fanar o pitéu..

AHHHHHHHHHHHHHHHHHH tão é por isso que a sacana da gata quando acaba de comer e deixa comida na taça (que é, tipo, sempre!), mete-lhe o tapete em cima!

opá, e eu a mandar vir com o bixo este tempo todo, por achar que ela andava a praticar terrorismo psicológico com os donos... sim senhora!

23 de Março de 2014, às 00:54link do post comentar