Summer of 16 // o hotel

ao décimo segundo dia de férias concordámos que estava na altura de vingar a frugalidade do campismo, e que passar os últimos dois dias num hotel com spa (cuja diária rondava o mesmo que 12 dias no parque, só para meter perspectiva na coisa) seria uma forma simpática de nos despedirmos das férias.

essa manhã correu sem pressas. depois do pequeno-almoço no sítio do costume, começamos a arrumar a tralha. tudo bem limpinho e bem dobradinho e arrumadinho, que provavelmente já não volta a sair este ano. tínhamos a manhã toda, que o check-in no hotel começa a partir das duas. e num feito altamente inédito, às duas estávamos ao balcão da recepção \m/

das primeiras coisas que ficámos a saber quando chegamos ao albacora (where else?!), é que as massagens e outros tratamentos no spa estavam com desconto. mesmo a calhar, que já não podia ouvir o homem a choramingar por uma massagem. nem por isso ando de apetites, mas duas massagens pelo preço de uma parece-me que é de aproveitar. então dali seguimos directos ao spa, marcar massagens. ainda considerei uma mani-pedi (uau, que finória!!), que só deus sabe o quanto necessitada estava, mas depois lembrei-me do som e da sensação arrepiante das limas, e da seca que ia apanhar, e mudei logo de ideias.

quando assentamos o pé no quarto do hotel, éramos pessoas diferentes LOL  

ah.. os maiores luxos da vida.. aqueles que tomamos por tão garantidos que nem damos por eles. como por exemplo, ter um wc só para nós, e não ter que desinfectar e gastar meio rolo de papel higiénico para forrar o trono antes de mandar a real cagada; ou tomar banho com água quente sem ser a contra-relógio, descalços, sem receio de apanhar um fungo nos dedos dos pés; ou ter tomadas eléctricas a meio metro de distância; ou wifi na cama; e uma cama de verdade.. e ZOMG, ar condicionado!!



ainda não tínhamos pousado a bagagem quando demos com uma hóspede clandestina no quarto. uma osga, que muito certamente não estava interessada em partilhar a tarifa do alojamento, humpf.. vejam lá se adivinham o que aconteceu nos momentos seguintes:

a) isa telefona para a recepção, e em berros histéricos exige que lhe troquem de quarto, pois não é ser capaz de dormir num espaço frequentado por monstros pré-históricos;

b) isa desata aos gritos, a hiperventilar, enquanto o seu homem trata de encaminhar o bicho para o exterior;

c) isa dá um gritinho agudo "ai que fofa" e saca do telemóvel para tirar uma foto de recordação, enquanto sugere que deixem a janela aberta para ela ter jantar;

...

isso mesmo :D



tão fofa!

o homem não quis saber da minha sugestão de deixar a janela aberta.. não lhe apetecia servir de refeição aos mosquitos, antes que a osga os jantasse.. meh, wuss!

nessa tarde ainda voltamos à ilha, gozar mais umas horinhas de praia em modo de despedida. e ouvir a playlist do ferreira uma última vez, e concluir que muito provavelmente estivemos apenas um dia na ilha, que se repetiu doze vezes lol

depois da praia, ainda estivemos hora e meia no spa, a demolhar entre a piscina, o jacuzzi, o banho turco e a sauna. perfeito para desincrustar o sal acumulado nos recantos mais recônditos, de duas semanas de água salgada lol



e antes de dar o dia por terminado, passei quase duas deliciosas horas no terraço do quarto, a curtir a noite quente, o céu estrelado, som dos grilos misturado no das ondas, cheia de pena por saber que naquela noite já não ia adormecer ao som daquela melodia mágica.

to be continued...

2 de Outubro de 2016, às 19:02link do post comentar