Leggings

se houve moda que me tirou do sério (e não no bom sentido), foi aquela de se usar leggings como se fossem calças. achava uma falta de gosto tremenda a malta andar por aí a flashar a pata do camelo e as banhas do rabo a quem não tinha pedido para ver, e nalguns casos, lamento a frontalidade, mas é uma visão do inferno..

mas a moda não se foi embora, antes pelo contrário, tornou-se numa peça standard de vestuário. as leggings-calças não vão a lado nenhum.. e era apenas uma questão de tempo até que eu própria me desse por vencida e alinhasse também. demorou, mas aconteceu.

portantos, visto que fui uma activista anti-leggings no passado, achei que devia meter as coisas em pratos limpos. eu, isa maria, confesso-me dona de dois pares delas. e gosto muito de usá-las sem mais nada por cima. são realmente confortáveis, tou fã!

MAS!!

só consigo vesti-las com blusas ou t-shirts compridas, não quero andar a mostrar ao mundo aquilo que não gosto que me mostrem a mim.

Cabelo para que te quero IV

acabou-se-me o amaciador e decidi trazer um do supermercado. de vez em quando gosto de fazer umas pausas da good stuff, para ele não ficar mal habituado, e até nem corre mal.

mas desta vez não me quis armar em sovina. em vez de trazer a marca habitual, escolhi um novo, todo xpto, sem químicos esquisitos (dizia a embalagem), e que até tinha um aroma muito agradável, nada daqueles cheiros farsolas. caro para produto de supermercado, mas não tão caro como os que costumo comprar. se funcionasse, até podia ser uma boa alternativa. e lá vim eu toda contente.

só que não!

o homem notou logo à primeira utilização que o cabelo estava baço, mas não fiz caso e continuei a usar. à quarta, já não tinha cabelo, tinha PALHA. áspero, raquítico, foleiroso.. molhado então, era uma história de horror. super difícil de desembaraçar, mesmo com a cabeça cheia daquela bodega. depois uma luta titânica entre o pente e algo que era suposto serem fios de cabelo, mas que mais parecia desperdício (aquela amalgama de fios que os mecânicos usam para limpar o óleo das peças), achei que o amaciador tinha que ir co'crl. que raio de porcaria aquela, que me ia arruinando o cabelo!!

não é a primeira vez que acontece. até acertar com as mistelas que ele gosta, já deitei muita coisa fora ao longo dos anos.. mas.. se eu já sei que tenho um cabelo esquisitóide, que não papa qualquer coisa, como é que ainda caio nestas asneiras??

resultado, gastei dinheiro naquilo, e depois tive que ir a correr a um cabeleireiro que tem os preços assim altamente inflacionados, só para trazer a marca do costume e ter a minha juba esvoaçante de volta :P

26 de Março de 2017, às 22:30link do post comentar ver comentários (1)(1)

Silly season

(peeps be advised: post de gaja, prossigam por vossa conta e risco)

fui de propósito à zara comprar um top curto. estava necessitada de tal peça porque mandei vir uma t-shirt (que tem uma história, mas fica para outro post), cujo corte calhou sair demasiado "arejado" para o meu gosto.. não me sinto confortável em ter o soutien a espreitar pelos buracos dos braços. sei que está na moda, mas para para mim é too much information (apesar de invejar o à vontade das moças que o fazem sem ligar a preconceitos).

bom, adiante. andava eu a deambular pelos corredores da zara, a gozar com ver os trapos, quando as minhas retinas se colam numa peça, que me deixou plantada no meio da loja, em profunda empatia com as fãs mais devotas da marca.

uma saia. de tule. com glitter.

tão a ver as traças, quando ficam ofuscadas por um foco de luz e andam ali zonzas às cabeçadas? foi mais ou menos isso. aquela costela de gaja que tenho algures no fundo da caixa torácica, tem o condão de se relevar nas piores situações.. e eu ainda não aprendi como proceder nestes momentos de crise, é dramático.

levei a saia comigo para o provador, naquela de purgá-la do sistema. depois de experimentar o top, e aceitar a contragosto que deixei de ser um S para passar a ser um M (sacanas andam outra vez a mexer nas medidas, só pode!!), e que estava resolvido o problema do soutien à mostra dentro da t-shirt largueirona, sem me matar de calor por ter duas camadas vestidas, enfiei-me na saia...

...e ZO-M-G! caiu-me o queixo, e fiquei com os olhos tão brilhantes quanto o glitter da puta da saia (também pode ter sido da luz do provador, todas as mulheres à face da terra sabem que aquelas luzes são maquiavélicas). parecia que estava vestida de céu nocturno, com milhares de estrelas e galáxias a cintilar!

acabei por ceder à costela e trouxe a saia comigo. encheu-me o roupeiro de purpurinas, i regret nothing.

vesti-a no primeiro dia de férias. achei adorável o look de urban/grunge/dark ballerina, o dia estava quente, e apesar da cor escura, o tecido é fresco, leve, e TÃO GIRO.



my god, it's full of stars

ando a ganhar coragem para vesti-la outra vez, antes do verão acabar :D

(não me julguem, estamos em plena silly season e eu também tenho direito aos meus momentos muahaha)

31 de Agosto de 2016, às 09:02link do post comentar ver comentários (7)(2)

Cabelo para que te quero III

o meu cabelo não é muito interessante e a culpa é minha, que não tenho paciência nenhuma para ele. já passei a fase dos cortes marados, e apesar de adorar cabelo colorido ou desbotado, ganhei uma certa distância aos químicos, com receio de arruinar a gloriosa e irreverente juba que deixei crescer. no mesmo saco meto géis, espumas, lacas, ceras e whatnot. e por muito que goste de ver o cabelo aos "cachinhos", não consigo massacrá-lo constantemente com cenas quentes, já basta o secador. e tudo o que meta acessórios, ganchinhos e fitinhas e bandoletes, e outra merdelices também não é para a minha pessoa.

uma das vantagens de ter cabelo comprido é poder andar com ele apanhado. por vezes (cof cof, quase sempre) intromete-se e chateia-me um bocado ter de afastá-lo da frente da cara - nada que um elástico ou uma mola não resolva prontamente.

cansada do insosso rabo de cavalo, procurei uma alternativa. andei uns tempos a ver se conseguia dominar o messy bun, estilo que agrada-me de sobremaneira, mas acabei por desistir. não quero acreditar que seja só falta de jeito, cheira-me que tenho o cabelo demasiado comprido para ficar como quero.. e eis que começa a surgir diante os meus olhinhos, o top knot!

passou instantaneamente a ser a minha forma favorita de apanhar o cabelo. mas não julguem que o processo é fácil. não.. 8 em cada 10 tentativas calha cócó (pun intended, que aquilo mais parece um cagalhoto no alto da cabeça). o meu objectivo é chegar ao nível dos top knots que a minha badass favorita do momento, a toda poderosa princesa dos hackers darlene miss robot, tem andado a ostentar ultimamente.

anyway, na demana top knot "perfeito", o homem sugeriu que experimentasse aquelas.. cenas, tipo cabo de telefone analógico, que se vendem nas para/farmácias. há muito que oiço falar daquilo, mas sempre me cheirou àqueles hypes falsificados que atingem as fashionistas da praça como alergias sazonais.

sucede que quando uma pessoa anda ali a roçar no desespero, experimenta de tudo...

tão e não é que aquela história funciona bem? what kind of sorcery is this?? super prático para pessoas preguiçosas como eu. para além de ser mais fácil colocar que os elásticos, mantem-se firme no lugar, e não marca a cabeleira, que é das coisas que mais me irrita em andar com o cabelo amarrado. e muitas horas com o cabelo amarrado começa a doer o escalpe e sou forçada a arejar a cabeleira e não gosto de ver as marcas.



(segundo o homem, não está alto o suficiente.. mas eu gostei, por isso caguei!)

10 de Agosto de 2016, às 22:28link do post comentar ver comentários (7)(1)

O vestido comprido

depois de anos, ANOS!! consegui finalmente encontrar um vestido compridão que não me fizesse parecer uma anã enfiada num saco de batatas apertado no gargalo YAY!! quer dizer.. continuo a parecer uma anã ensacada, mas vá, foi o primeiro que experimentei até aos dias de hoje que não achei que me ficasse terrivelmente mal. não experimentei muitos, é certo, que a minha paciência para compras é limitadíssima.. mas tive um golpe de sorte aqui, mais 2cm de comprimento e andava a varrer o chão com ele!



vestidos compridos têm um benefício inesperado, que nunca me tinha apercebido: ninguém suspeita o vibe primata que vai ali por baixo do tecido muhahah

se já gostava do estilo, agora fiquei rendida. encontrar um que me assente bem é que é mais difícil de encontrar que o pote de ouro no fim do arco-íris :/

13 de Julho de 2016, às 15:03link do post comentar ver comentários (19)(1)

Vai ser giro, vai!

este ano decidi que não ia stressar pelo facto de não conseguir encontrar t-shirts nerds de jeito para gaja.

este ano decidi que durante o verão, vou dar numa de hipster hobo chic!

(seja lá o que isso for)

conto dar bom uso à colecção de jeans esfrangalhados que tenho, que assim de repente, já são mais que os "intactos" (sou fã, nadàfazer!). e tenho andado no processo de adquirir tops a condizer, largueirões e com cortes desajeitados. e acho piada àquela moda das saias-lápis compridas com ténis, apesar da elevada probabilidade de tal coisa assentar-me horrivelmente mal. se calhar até já ganhava juízo.. só que não!

(não há esperança para a minha pessoa muhahahah)

Cabelo para que te quero II

nunca tive o cabelo tão comprido como agora! a dada altura começou-me a aborrecer dos penteados despenteados (mais às contras astronómicas de cabeleireiro) e simplesmente deixei de me preocupar com ele. e ele cresceu, cresceu, e cresceu..

só que manter uma cabeleira saudável e lustrosa requer manutenção e eu não sou a pessoa mais paciente do mundo para me por com rituais e o crl a sete.. mando cortar as pontas uma ou duas vezes por ano e uso máscara três vezes por semana, e é tudo!
acontece também que durante o verão costumo dar férias ao secador e deixo-o secar livremente ao ar. a minha longa e ondulada trunfa transforma-se então numa juba que não sei como é que não ando a ser perseguida por militares, pois mais parece que fugi do jardim zoológico..

(curiosamente o meu homem prefere o meu ar desgrenhado de quem acabou de espetar os dedos molhados numa tomada eléctrica, ao clássico esticadinho e lisinho lol)

vai daí, para minimizar este drama sazonal, descobri que untar o cabelo com óleo faz maravilhas pelo aspecto frisado a palha seca.. apesar da confusão que isto me faz, porque do meu coiro cabeludo já brota uma certa oleosidade natural lol pelos vistos não é suficiente e precisa de um reforçozito :D

 

no ano passado usei o óleo milagroso da schwarzkopf, mas este ano decidi comprar um (elixir qualquer coisa) da minha marca favorita de mistelas para o cabelo, a kérastase. custa uma pequena fortuna, o cabrão do óleo, mas tem reviews inacreditavelmente boas.. tão boas, que podia resumi-las da seguinte forma:

 

not of this world! i can only imagine they make this by milking the pussy juices out of horny little fairies and then top it off with some pixie dust for that golden finish! my goodness... what a heavenly thing!

 

é que nem pensei duas vezes, foi mesmo 

 

 

misticismos à parte, faz o que é suposto: deixa-mo cabelo leve, solto, brilhante, macio, e sem metade do frizz habitual. resumindo, a juba continua cá, embora ligeiramente mais domada e bastante agradável ao toque… e se antes já tinha dificuldades em tirar-lhe as mãos de cima, agora está a ganhar contornos de obsessão :/

 

o frasco tem doseador o que é excelente para evitar exageros na quantidade do produto a usar, e segundo as instruções, duas espichadelas são suficientes para o efeito. antes ou depois de lavar a cabeça, antes ou depois do secador, ou até mesmo sem secador. é bastante versátil.

 

se vale o que paguei por ele? não sei, deixem-me ver quanto tempo dura a embalagem que logo respondo a isso :)

Constatações VIII

comé que aprender a pintar a merda dos olhos consegue ser tão complicado?? FDX..

..ainda fico cega :P

19 de Dezembro de 2013, às 00:36link do post comentar ver comentários (7)

Fashion victim.. literalmente!

segundo o meu signo sou uma pessoa de extremos, de oitos e oitentas, capaz de grandes paixões e grandes ódios. um ser que não conhece meios termos, and so on..

 

até podia ser giro, se não influenciasse todos os aspectos da minha viducha, em que para umas coisas sou completa e absolutamente descomplicada, e outras, a mais singela das actividades pode revelar-se num enredo de proporções épicas.
torna-se cansativo, a sério.. um dia destes tenho que tentar compreender se se manifesta por influência de fenómenos cósmicos, como acontece com as marés, ou se é das hormonas, ou algo místico e sem explicação plausível!

 

anyway, isto tão tem nada a ver com o assunto do post, mas explica muita coisa..

 

..como a demanda em que me meti neste fim-de-semana, para arranjar um porta-cartões novo!

 

desde há vários anos que elegi os porta-cartões da fertagus (e antes desses usava uns do chinês) como carteira. só em vez de dois cartões, enfio seis naquilo e com a utilização intensiva que lhes dou, as carteiras estragam-se num instante. compro duas ou três por ano, e uso-as sempre até ao limite do aceitável.

 

quando esta última chegou em vias de ser recebida pelo criador, decidi que havia de arranjar uma coisa em condições e que durasse mais do que uns poucos de meses. então, ganhei coragem e lancei-me às lojas de malas.

 

no vasco da gama não encontrei nada de jeito e como o homem andava há algumas semanas a chagar-me a cabeça para ir à primark (temos claramente os papeis invertidos lolão), aproveitei a visita ao colombo - marroquinaria e acessórios é coisa que não falta naquela selva.

 

não sei em quantas lojas entrámos, perdi o conto algures no primeiro piso, mas foram demasiadas e sem grande sucesso. não que falhasse em encontrar o que procurava, que encontrei, às carradas.. mas aparentemente, é artigo exclusivo de gajo, só existem em cores aborrecidas como preto ou castanho, demasiado formais, e eu queria algo mais descontraído, giro, colorido.. girly, vá!

 

do rol de lojas onde botámos os cascos houve apenas uma, daquela marca que o logo parece um urso com um granda par de mamas, onde consegui encontrar um porta-cartões que reunia quase todos os requisitos.. quase.. era caro c'mó crl! 

digamos que àquele preço conseguia um fornecimento vitalício de porta-cartões da fertagus :P

 

no dia seguinte voltei à carga, desta vez no el corte inglés, que aquele modelo de lojas em open space poupa-me mais os nervos.
estava decidida a sair dali com uma carteira nova, mas ao percorrermos as ilhas era tudo mais do mesmo, só encontrava cenas para gajo.. bah!

 

...e lá estava eu, de volta à montra da loja do ursinho mamalhudo. conformada, lá apontei à colaboradora do espaço o modelo e a cor que queria levar, enquanto remoía mentalmente que era bom que aquela merda durasse três vidas e meia. no mínimo!

 

quanto a rapariga desapareceu atrás do balcão com a minha soon-to-be carteirinha, olhei em redor e constatei ao homem que ele era um sortudo do caneco.

 

- só te digo, se eu fosse gaja-gaja tavas bem fodido..

- porquê?

- isto é o paraíso das malas, nem sabia para onde me havia de virar.. desgraçava-me todinha aqui. queria esta, e aquela e a outra lá ao fundo, que é bem gira. a tua sorte é que não tou minimamente interessada nelas. 

 

uns bons minutos depois, a colaboradora entrega-nos um saquinho todo pipi, pagámos e seguimos a com a nossa vidinha.

 

mais tarde, quando vou para meter as mãos no meu porta-cartões novo, ficou explicado porque é que a compra demorou tanto tempo: a fanfarronice do embrulho!

 

é que só visto..

 

primeiro tive que remover o selo do belíssimo saco de papel, em tons de rosa pastel e cheio de lacinhos e mariquices. lá dentro encontrei uma luxuosa caixinha de cartão, e de seguida tive que por de parte um envelope que continha um certificado de autenticidade, para depois deparar-me uma delicada bolsinha em algodão, e por fim, lá dentro, eis que surge finalmente a carteirola..

 

..SERIOUSLY??

 

quase que merecia as honras de um unboxing à lá apple!
tirassem-me aquela cangalhada toda da equação e o raio da carteira custaria menos 10€.. quase que fiquei com receio de a meter a uso, não fosse o deus das carteiras açoitar-me repetidamente com um cinto em pele de crocodilo por toda a eternidade, pelo sacrilégio :P

 

conices!

10 de Dezembro de 2013, às 00:47link do post comentar ver comentários (6)

May the 4th be with you!

comigo vai estar o verão inteiro :D

 

 

é uma especie de upgrade a um da calzedónia que usei nos últimos dois anos, mas mais.. petite, como a princesa muhahaha

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly