Desaparecida em combate

a culpa foi do homem lol

no meio de tanto anime da treta que ele se põe a ver, houve um que me agarrou ao fim de 5 minutos - sem exagero! conto pelos dedos de uma mão as vezes que isto aconteceu.

primeiro foi binge watching dos 47 episódios da série. a seguir, os 2 live actions. e depois precisei de closure e comecei a ler o manga, do ponto em que o anime ficou pendurado.. 42 capítulos, de 84 no total. no fim não tive o closure que precisava, porque o manga entrou em hiatus por tempo indeterminado.. mas as coisas até ficaram nuns termos fixes. slice of life na sua essência mais pura, uma autêntica novela mexicana, com um enredo tricotado de forma soberba, e uma narrativa tão invulgarmente frontal e crua, que às vezes até ficava a bater mal lol

e assim se passaram duas semanas. apesar da pilha gigantesca que deixei acumular de posts para escrever, e fotos para editar.. i regret nothing!

24 de Maio de 2017, às 01:27link do post comentar ver comentários (2)

Abril, Abril

este ano foste assim, a modos que bruto.. sinto que não parei um segundo..

entre trabalho a dar cum pau, que no meu caso não foi tão intenso, mas o homem nem tempo para se coçar tem tido;

escapadelas programadas (a da páscoa, que mete a feira do folar de barão de são joão, e eu não falho nem que chovam picaretas - se bem que este ano não a achei tão famosa quanto nos anos anteriores), e não programadas, como o passeio a monsaraz e o do fim-de-semana passado, à beira baixa, bater um cantinho do país que ainda não conhecíamos;

tratar de um assunto pendente que já devia estar encerrado òzanos, e que ainda consumiu uma certa energia e tempo.. e uma certa carga emocional inesperada;

mais as despesas massivas com o carro, e com as burocracias do costume.. e fiz uma compra que andava há mais de cinco anos para decidir-me;

pelo caminho apanhei uma febre qualquer que me meteu a ouvir música psicadélica como se não houvesse amanhã. acho que a culpa foi dos ganso.. comecei pelos clássicos, só que a fome era tanta que comecei a vasculhar os sítios mais recônditos do spotify à procura de coisas mais recentes, e apesar de ter ouvidos esquisitos c'mó caraças, fiz uns achados interessantes;

as séries da mid season, que terminaram e deixaram-me a morrer de saudades.. mas a summer season não tarda está aí a rebentar, com regressos muito esperados. pena que algumas que pertenciam a esta época foram chutadas para setembro/outubro buáááááá;

o regresso à rotina dos transportes públicos, e do tempo derretido em esperas, e do serviço asqueroso que a carris presta, e das pessoas mal-cheirosas e rudes (tenho medo de andar nos autocarros sozinha, a sério que tenho).. só não me tenho chateado mais porque ganhei um *certo* trauma levar o carro para o bairro alto, até fico com tremeliques só de pensar nisso lol (remédio santo);

e de tentar equilibrar os horários, mas as noites mal dormidas graças ao cansaço / calor / gato (ou a um combo fatal dos três) sabotam-me os esforços;

com tanta agitação, nem dei pelo mês passar.. mas até isso já nem estranho, também não dei por janeiro, nem fevereiro, nem março, e daqui a nada estamos no fim do ano outra vez XP

2 de Maio de 2017, às 21:30link do post comentar ver comentários (9)(1)

1997

este foi (até então) o ano mais marado da minha vida.

não sei se terá sido motivado pela saída da adolescência (fiz 18 nesse ano), essa fase obscura da nossa existência, se foi o vício que me fez sair da casca, mas parece que vi "a luz" e comecei a sentir-me viva pela primeira vez na vida. só sei que foi granda reviravolta, a todos os níveis.

tanto que até os professores notaram. era aquela miúda tímida, com ar enfezado, que se arrastava pelos corredores e entrava na sala muda e saía calada. sentava-me sempre nas filas de trás, ao lado da janela e passava metade das aulas a olhar para a rua, perdida no vazio. não queria saber de nada nem de ninguém.. e no ano seguinte (a repetir o 10º ano), era ameaçada de ir prá rua porque não calava nas aulas. parecia que tinha levado uma mega injecção de adrenalina.. andava eléctrica, não parava quieta, nem calada. nem parecia a mesma pessoa. a única coisa que não mudou é que continuava a detestar a escola com todas as minhas forças muhahahah

não tinha uma vida muito fácil naquela altura, e estou genuinamente surpreendida por assim de repente, ter começado a recordar aqueles tempos com mais nostalgia do que alguma vez acreditei ser possível.. quando ouço músicas que ouvia naqueles tempos, e tenho aquelas trips temporais, até fico com o estômago enguiçado.

e o receio de me esquecer destes tempos esta-se a tornar numa cena.. daí que tenho que começar a registar as memórias que ainda vou conseguindo trazer ao de cima.

isto de envelhecer é interessante. não é fixe.. mas é interessante.

24 de Fevereiro de 2017, às 23:48link do post comentar

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly